Em Florianópolis policiais matam jovem enquanto brincava no quintal de casa com arma de pressão

Vitor Henrique Xavier Silva Santos, de 19 anos, era “um jovem prestativo, que ajudava em casa e era tranquilo", descreveram vizinhos e parentes da vítima

Vitor Henrique Xavier Silva Santos. Foto: Reprodução/Facebook

Jornal GGN – Dois Policiais Militares de Florianópolis (SC) mataram, com pelo menos cinco tiros, um jovem de 19 anos, morador da zona norte da Ilha. O crime aconteceu nesta quinta-feira (18) quando Vitor Henrique Xavier Silva Santos brincava de atirar em latinhas com uma arma de pressão, no quintal de casa.

Segundo informações do jornal local ND+, A irmã do jovem, Vivian Silva dos Santos (22) estava em casa e disse que os PMs entraram atirando, “sem perguntar nada”. Após o assassinato, eles retiraram o celular da moça, a impedindo de ligar para a mãe de imediato sobre a morte de Vitor.

Vilma Silva dos Santos, de 49 anos, estava no restaurante onde trabalha como cozinheira, quando o filho foi alvejado. “Negro já nasce bandido para eles”, lamentou Rejane Gonçalves, uma amiga da família.

Segundo depoimentos de moradores da região ao ND+, os policiais chegaram fardados e usando capuz cobrindo boa parte do rosto. Familiares e amigos próximos contaram ainda que Vitor “era um jovem prestativo, que ajudava em casa e era tranquilo”.

No momento em que os PMs invadiram o quintal da casa onde morava, o jovem estava brincando com uma arma de pressão, usando latinhas de refrigerante como alvos. Os vizinhos disseram que essa era uma atividade comum de Vitor, além de brincar com o seu cachorro no quintal da casa.

A dupla de policiais confirmou o assassinato, alegaram que chegaram a abordar o jovem e que ele teria apontado a arma em direção a eles. Como não sabiam que se tratava de uma arma de brinquedo, atiraram.

Leia também: Em um ano sobe para 18% total de pessoas mortas por policiais, aponta levantamento

Leia também:  Maria, por Rômulo de Andrade Moreira

A casa da família de Vitor fica nos fundos de uma residência que dá acesso para uma rua onde, na madrugada do mesmo dia aconteceu uma tentativa de assalto a um mercadinho.

O dono do estabelecimento estava armado e matou um homem de 25 anos que tentava invadir o local e não estava armado. Horas depois, por volta das 15h da tarde, o mesmo mercado sofreu uma nova tentativa de assalto, dessa vez a mão armada. O dono reagiu novamente e o assaltante foi alvejado na cabeça, punho e peito. O homem chegou a ser levado com vida para o hospital público com vida.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Os eleitores não brancos do bozo se resolverem fazer “arminha” com as mãos igual ao mito, serão devidamente fuzilados, para a manutenção da lei e da ordem.

  2. O que é notório que isso só aconteceu por se tratar de uma família de trabalhador, se fosse rico,o garoto podia usar arma de verdade e não ia ser nem importunado.
    É isso que acontece quando se dá autorização para a polícia matar, só pobre é que morre .

  3. Num país em que o Presidente vai a público e diz que 80 tiros do exército em um carro onde estava um trabalhador com a família foi acidente e que ainda por cima condecora o advogado dos milicos não é de se estranhar essa conduta da polícia.

  4. A policia brasileira é a campeã em mortes no mundo. No governo atual, tendo a “arminha” como símbolo mais a outorga do ministro da justiça, o Conje, com a desculpa esfarrapada das FORTES EMOÇÕES, teremos uma carnificina.

  5. Se o líder de um país tem uma atitude incendiária e discriminatória em relação ao oponente ou a minorias, isso gera um tom e um exemplo que permitem que aqueles que já eram preconceituosos saiam do armário e transformem esses preconceitos em atos extravasando seus Instintos Primitivos, Protegidos pelo manto da Impunidade….

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome