Ex-diretor da Dersa e operador do PSDB, Paulo Preto é preso novamente


Foto: Agência Senado
 
Jornal GGN – Após conseguir um habeas corpus do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF), não comparecer em uma audiência da Justiça Federal de São Paulo e ser suspeito de constranger testemunhas, o ex-diretor da Dersa e apontado como o operador do PSDB em esquemas ilícitos, Paulo Vieira de Sousa, foi preso novamente nesta quarta-feira (30).
 
Também conhecido como “Paulo Preto”, o ex-diretor faltou em uma audiência no dia 14 de maio, na 5ª Vara Federal Criminal. Ele estava preso desde o dia 6 de abril, acusado de desviar R$ 7,7 milhões da estatal paulistas durante os governos tucanos de José Serra e Geraldo Alckmin (2009-2011). Ele passou apenas um mês detido até conseguir a liminar de Gilmar, ministro do Supremo, que garantiu sua liberdade.
 
A defesa do ex-diretor da Dersa pedia a absolvição sumária e Gilmar ainda ordenou que a Justiça de São Paulo analisasse os pedidos da defesa antes de intimá-lo para audiências. Após faltar à audiência em que foi convocado, a Procuradoria de São Paulo pediu novamente a prisão.
 
Alegando a necessidade de se garantir a instrução processual e a ordem pública, a procuradoria afirmou que “deixar passar em branco tal desídia [não comparecimento à Justiça] significa desacreditar que a Justiça de primeiro grau tem extremado valor para todo o sistema jurídico brasileiro”.
 
Em resposta, a Justiça autorizou a prisão do operador do PSDB para “assegurar a instrução criminal”, afirmando, ainda, que Paulo Preto estava constrangendo testemunha, que não estava expondo toda a verdade e prejudicava a coleta de provas. A PF cumpriu a decisão judicial nesta quarta, prendendo Paulo Vieira de Souza.
 
 
 

12 comentários

  1. Bom, Preto não pode acusar

    Bom, Preto não pode acusar Gilmar Mendes de não ter tentado, né? De tê-lo abandonado caído, que ironia, numa estrada deserta do Dersa, rs…

    Será que alguém será acusado de tentar constranger testemunha, agora que a testemunha é o próprio Preto?

    “Óóóia… abriu o bico, morreu, hein?”

    Ah, se funcionários menos graúdos do Dersa, da Sabesp, da Fundação Padre Anchieta, do Metrô, da Santa Casa, da PM e do PCC resolvessem escrever cartas anônimas, anexando umas cópias aí… será que o PSDB ia tentar constranger testemunhas? Será que ganhariam promoção? Seriam transferidos para outra unidade, por exemplo, uma unidade funerária? Se até primo correu risco de vida…

     

  2. NENHUM JORNAL FALOU O MOTIVO DA PRISÃO!!!

    Procurei em todos os jornais, nenhum falou o motivo… todos reproduzem o mesmo texto: DESCUMPRIU MEDIDA JUDICIAL.

    A primeira prisão foi por ameaçar uma testemunha… o Habeas Corpus de Gilmar Mendes falava que não havia provas da ameaça… só falta Paulo Preto ter ameaçado a testemunha novamente.

    Se os jornais estão escondendo é porque tem algo de suspeito.

  3. Paulo Preto
    Gilmar Mendes detetminará a soltura dele de imediato.
    Ainda nesse feriado, talvez ainda hj, mediante simples petição do advogado dele.

  4. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome