Fachin pergunta à PGR se quer arquivar inquérito da Odebrecht contra Aécio

Acusações partiram de delações premiadas da Odebrecht, que acusou repasse ilícito de R$ 1 milhão a 2 milhões

Foto: Agência Senado

Jornal GGN – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Edson Fachin, cobrou da Procuradoria-Geral da República (PGR) uma resposta sobre o inquérito contra o ex-senador e eleito deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) por corrupção em repasses eleitorais pela Odebrecht.

Estas acusações partiram de delações premiadas da empreiteira, principalmente a partir de falas do ex-presidente da companhia, Marcelo Odebrecht, e do executivo Henrique Serrano do Prado Valladares. Ambos detalharam que Aécio recebeu entre R$ 1 milhão a R$ 2 milhões em troca de apoio parlamentar para projetos de interesse da Odebrecht.

O senador, que teve sua campanha financiada pela Odebrecht, teria atuado a favor da empreiteira em projetos relacionados às usinas hidroelétricas de Santo Antônio e Jirau e no Rio Madeira. Desde que a investigação foi aberta, há dois anos, o tucano ainda era senador e negou o cometimento de ilícitos, afirmando que não havia “qualquer elemento ou mesmo indício de participação” a favor da Odebrecht em sua atuação parlamentar.

Por apontarem possíveis crimes cometidos por Aécio enquanto era senador, na última semana, o também ministro do Supremo, Marco Aurélio Mello, remeteu à primeira instância outro inquérito contra o tucano, o que investiga verbas ilícitas repassadas pela J&F.

Não se sabe se Fachin irá também remeter os autos à primeira instância, mas antes de tomar uma decisão, decidiu cobrar da Procuradoria o andamento do caso, se os investigadores querem dar continuidade às apurações ou arquivar. Por isso, nesta semana, o relator do caso pediu um posicionamento do PGR, concedendo o prazo de 5 dias para a resposta.

O advogado de Aécio, Alberto Zacharias Toron, defendeu ao G1 que a investigação seja arquivada. “Após cerca de dois anos de investigação e inúmeras prorrogações não foi apontado nenhum indício que comprovasse a falsa acusação feita pelo delator”, escreveu a defesa, ao portal.

“A obra mencionada no inquérito, Usina de Santo Antônio em Rondônia, foi realizada pelo governo federal, ao qual o então governador fazia oposição, e não teve qualquer participação do governo de Minas à época”, acrescentou.

10 comentários

  1. No Brasil é proibido prender tucanos! É o fim da picada até agora , não conseguirem provas contra o Aécio!

  2. PARECE PIADA…A IRMÃ DESSE AI FOI PRESA POR CONTA DE R$40->MILHÕES…QUE A ODEBRECHT DEPOSITOU LÁÁÁÁ EM NEW YORK..FORA O EDIFÍCIO COMPRADO PÔR R$30->MILHÕES…PELA CONSTRUTORA LÁ EM “B.H.”,,,,,AI A TAL MÍDIA BRASILEIRA…FALA APENAS…NESSE VALOE DESSA REPOR

  3. O propósito dessa fajuta Justiça brasileira, é de apenas punir o PR (O melhor presidente de todos os tempos do Brasil) que é injustamente um preso político, sem não ter cometido nenhum ilícito em toda a sua vida! Enquanto isso os ladrões comprovados: Michel (golpista) Temer; Aécio, Eunício estão todos livres e soltos.

  4. E o polico mais poderoso do Brasil.
    Encheu os bolços de propina e ninguém descobre nada.
    Ainda vai sair de vítima.

  5. Todos nós sabemos que todos os políticos ladrões estão soltos e rindo da cara de todos que querem justiça, FHC que só do Banestado ele desviou mais de mais 124bilhões,Aécio que só da saúde em Minas Gerais desviou mais de mais de 7 bilhões, José Serra o ladrão que mais tem dinheiro em paraísos fiscais, os tucanos envolvidos com o helicóptero com quase meia tonelada de pasta base de cocaína enfim, os hipócrita do STF, a rede Globo é Sérgio Moro só mentem para atacar, extinguir, o PT é principalmente o melhor presidente que esse país já teve LULA. Há por falar em safada,sabe quem julgou o escândalo do Banestado?Sérgio moro.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome