Félix Fischer, Ministro do STJ, manda Queiroz de volta à prisão

No despacho, Fischer revoga a decisão do presidente do STJ, João Otávio Noronha e determina, ainda, que o Tribunal de Justiça do Rio analise com urgência o habeas corpus apresentado pela defesa.

Jornal GGN – E Fabrício Queiroz volta para a prisão. Assim decidiu o ministro do Superior Tribunal de Justiça Félix Fischer, ao revogar a prisão domiciliar do ex-assessor de Flávio Bolsonaro. E não é só. A mulher de Queiroz, Márcia Aguiar, aquela que só se apresentou à Justiça quando João Otávio Noronha, também ministro do STJ, concedeu domiciliar ao casal, também deverá ser presa.

No despacho, Fischer revoga a decisão do presidente do STJ, João Otávio Noronha e determina, ainda, que o Tribunal de Justiça do Rio analise com urgência o habeas corpus apresentado pela defesa. A análise está relacionada à pressa da defesa, que mandou para o STJ antes que o TJ do Rio pudesse decidir a respeito.

Noronha, quando decidiu pela domiciliar, entendeu que Queiroz era do grupo de risco e sua mulher era essencial para o seu bem-estar. A decisão causou espécie no meio jurídico.

Findo o recesso, Fischer ficou uma semana em licença médica. E, nesta semana, retomou os processos e definiu que Queiroz e Márcia tivessem domiciliar suspensa e voltassem à prisão.

Com informações de O Globo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Ministros do STF votam contra privatização de subsidiárias da Petrobras, que recua em venda de ações

3 comentários

  1. Nassif: agora tanto faz o meliante preso ou solto. O objetivo da “soltura” já foi alcançado. Em 30 dias provas “somem” ou se embaralham, testemunhas se escafedem ou combina-se depoimento que estavam “desafinados”, divergências são aplainadas. Toda Corte (e o Judiciário, como um todo) já sabia disso. As maslínguas tão dizendo que isto foi “instruções” de lá dos pico das Agulhas, nos conformes “elucubrações” vindas diretamente do ComandoSul, de Miami. Com isso um dos togados pousa de “mal” (com bonus de nova Casa) e outro de “mocinho”, num aparente jogo com cartas marcadas. No PalácioCasernaPorDoSol (antigo PalácioDaAlvorada) os da farda haverão de estar jubilosos. Não é todo dia que o bolo ganha tão doce cereja. Num só lance de enganabobos o Judiciário ajudou liquidar, pelo menos, uma dúzia de coelhos. Bingo…

  2. Antes, bandido bom era bandido morto. Atualmente bandido bom não é bandido morto mas bandido que usufrui de porcaria de foro privilegiado.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome