FHC será intimado por Moro para testemunhar no caso triplex

Advogados dos réus também pediram que Renan Calheiros, Romero Jucá, Henrique Meirelles e outros sejam intimado na ação em que Lula é acusado de receber propina da OAS

Jornal GGN – O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) será intimado a depor como testemunha de defesa no processo em que a Lava Jato acusa Lula de ter recebido da OAS um triplex no Guarujá, entre outras vantagens indevidas.

Segundo despacho assinado por Sergio Moro na segunda-feira (5), FHC foi selecionado pela defesa de Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula. O depoimento deverá ocorrer dia 9 de fevereiro de 2017, por videoconferência, a partir de São Paulo, as 9h30. A lei impede que o ex-presidente se recuse a colaborar.

Okamoto é réu nessa ação por ter assinado um contrato com a empresa Granero para armazenar parte do acervo presidencial de Lula. Ao longo de pelo menos quatro anos, a OAS fez os pagamentos à Granero, ao custo toal de cerca de R$ 1 milhão. A Lava Jato diz que esse contrato foi fraudulento, pois omitia o real caráter do serviço.

Além disso, os procuradores afirmam que a OAS só aceitou pagar pela manutenção do acervo e pela reforma de um apartamento no Condomínio Solaris como contrapartida a três contratos que obteve com a Petrobras, por obras nas refinarias de Abreu e Lima (PE) e Getúlio Vargas (PR).

Na Lava Jato, FHC aparece em delações de Nestor Cerveró e Fernando Soares, por exemplo. Eles contam detalhes de como o governo do tucano viabilizou a cobrança de propina a empresas contratadas para construir termelétricas em regime de urgência, numa tentativa fracassada de evitar o apagão que se deu no início dos anos 2000.

LEIA MAIS:

Programa de FHC contra apagão viabilizou propina na Petrobras

Filho de FHC nem sabia o que era termelétrica, mas foi contratado pela Petrobras

De acordo com o despacho de Moro, a pedido da defesa de Okamoto, José Sarney também será intimado.

A defesa de Lula, por sua vez, arrolou como testemunhas o senador Romero Jucá, o ministro do Tribunal de Contas da União José Mucio Monteiro Filho, o deputado federal Henrique Fontana, o ministro da Fazenda Henrique Meirelles, o deputado federal Arlindo Chinaglia, o ministro Gilberto Kassab e o senador Renan Calheiros.

Leia também:  Ronaldinho Gaúcho e Assis estão perto de voltar ao Brasil

A oitiva das testemunhas de acusação selecionados pelo Ministério Público Federal se encerra no dia 16 de dezembro, diz Moro. Até agora, a defesa de Lula diz que nenhum colaborar conseguiu provar as acusações da Lava Jato. Já foram ouvidos delatores como Delcídio do Amaral, Paulo Roberto Costa, Nestor Cerveró, Alberto Youssef, 

Esses depoimentos, entre outros, ainda carecem de data, horário e local a confirmar.

 

O CALENDÁRIO DESIGNADO POR MORO PARA 2017:

 

09/02/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com São Paulo/SP:

Heitor Pinto e Silva Filho, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Jair Saponari, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Fernando Henrique Cardoso, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Emerson Granero, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Valentina Caran, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Danielle Ardaillon, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Ana Maria de Almeida Camargo, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Heloísa Liberalli Bellotto, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

Johanna W. Smit, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto.

 

10/02/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com São Paulo/SP:

Luiz Fernando Furlan, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Alexandre Padilha, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Ricardo José Ribeiro Berzoini, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Pedro Dallari, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Letícia Archur Antônio, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

 

13/02/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com Salvador/BA

Daniel Gonzalez, arrolado pela Defesa de Fabio Yonamine;

Adriano Cláudio Pires Ribeiro, arrolado pela Defesa de Fabio Yonamine;

Jaques Wagner, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Leia também:  Dallagnol não era procurador natural da Lava Jato e o antecessor teria contrariado Moro

José Sergio Gabrielli, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia

13/02/2017, às 14:00 – por meio de videoconferência com Barueri/SP:

Aline Mascarenhas de Sousa, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

 

13/02/2017, às 15:00 – por meio de videoconferência com Marília/SP:

Sônia Maria Troitiño Rodriguez, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

 

14/02/2017, às 14:00 – por meio de videoconferência com São Luís/MA:

José Sarney de Araújo Costa, arrolado pela Defesa de Paulo Okamoto;

 

14/02/2017, às 16:00 – por meio de videoconferência com Belo Horizonte/MG:

Walfrido dos Mares Guia, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

 

16/02/2017, às 14:00, presencial, perante este Juízo, para as testemunhas residentes em Curitiba/PR:

Jose Paulo Assis, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Mário Márcio Castrillon de Aquino, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

 

16/02/2017, às 15:30 – por meio de videoconferência com Porto Alegre/RS:

Tarso Fernando Herz Genro, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Flávio Fernando Casa Nova da Mota, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Fábio Oliveira do Vale, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

 

20/02/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com Salvador/BA:

Alana da Silva Batista, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

Carlos Alberto Dias dos Santos, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

Maria Angélica Belchote Trocoli, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

Manira de Souza Mustafa Nunes, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

 

21/02/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com São Paulo/SP:

Alexandre Tourinho, arrolado pela Defesa de Fabio Yonamine e Roberto Ferreira;

Fernando Hiroyuki Inoshita, arrolado pela Defesa de Fabio Yonamine;

Thiago Antônio Dias, arrolado pela Defesa de Fabio Yonamine;

Lauro Gomes Ladeia, arrolado pela Defesa de Paulo Gordilho;

Leia também:  Parcialidade contra Lula e clandestinidade marcam a nova Vaza Jato

Otávio Santos Lima, arrolado pela Defesa de Roberto Ferreira;

Carlos Fernando Heckman Júnior, arrolado pela Defesa de Roberto Ferreira;

Carlos Alberto Innocêncio, arrolado pela Defesa de Roberto Ferreira;

 

21/02/2017, às 14:00, horário de Brasília, por meio de videoconferência com Campo Grande/MS (horário local 13:00):

Sílvio Pettengill Neto, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

 

01/03/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com Brasília/DF:

Paulo Lacerda, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Luiz Fernando Correa- arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Ricardo José Ribeiro Berzoini, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia

 

02/03/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com Brasília/DF:

Cláudio Lemos Fonteles, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Antônio Fernando Barros e Silva de Souza, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

 

07/03/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com Brasília/DF:

Jorge Hage Sobrinho, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

José Aldo Rebelo Figueiredo, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

General Marco Edson Gonçalves Dias, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

Brigadeiro Rui Chagas de Mesquita, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio Lula da Silva e Marisa Letícia;

 

08/03/2017, às 09:30 – por meio de videoconferência com Brasília/DF:

Gilberto Carvalho, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio, Marisa Letícia e Paulo Okamoto;

Claudio Soares Rocha, arrolado pela Defesa de Luiz Inácio, Marisa Letícia e Paulo Okamoto.

 

Há outras testemunhas aguardando agenda.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Uma oportunidade de ouro para

    Uma oportunidade de ouro para o ex-presidente exercitar a sua honestidade intelectual através de um testemunho de quem fez o mesmo que Lula(com relação ao acervo presidencial) e só para este último sobraram suspeitas absurdas. Idem para o objeto desses institutos que ambos fundaram nos seus respectivos nomes. 

    Espero não me decepcionar. 

  2.  
    Duvido que o ex-presidente

     

    Duvido que o ex-presidente fernanado henrique cardoso tenha hombridade suficiente para relatar a esse juizeco provinciano de merda, de como se faz para catar coquinho. E, do aperreio que representa, quando se encerra o exercício do mandato presidencial, como fazer com o mundo de tralhas com as quais se é obrigado há manter e preservar. Se o FDP do FHC, repito, se o leviano e trapaceiro tiver um réis de vergonha na cara, exporá ao obtuso aprendiz de Benito Mussolini que foi da mesma maneira resolvida 8 anos depois pelo Lula, que ele também procedeu, aliás, como provavelmente todos os que o antecederam.

    No mais, manda esse juizeco de merda à pqp…antes que me esqueça.

    Orlando

     

  3. Pois é

    Vendo todas essas pesssoas arroladas enquanto testemunhas pensei que o ex-presidente Lula não precisava estar passando por  nada disso. O Pais esta de ponta-cabeça, uma tristeza ver nosso Brasil indo para o ralo desse jeito e essa Lava Jato perseguindo esse homem, que so fez tentar um dia dar um pouco de dignidade ao Brasil perante o mundo todo.

    Vi o ultimo filme de Clint Eastwood, “Sully” em inglês, no qual o comandante Sullenberger, o piloto que arremessou seu avião no rio Hudson em NY, em janeiro de 2009, foi perseguido pela seguradora da AirBus apos ter salvo todos os passageiros. Sully conseguiu a proeza de “pousar” um grande avião na agua e salvar absolutamente todo mundo e a seguradora usou de todas as formas para provar que a culpa do “crash” no rio Hudson era do piloto. Ao contrario de saudarem o piloto por ter salvado vidas, queriam culpa-lo pela perda do avião… Lula e Sully dois herois, cada um a seu modo, os dois perseguidos pelo sistema.

    • pois é….

      Esta gente da Nova Constituição. Da Constituição Cidadã. Toda gente da centro esquerda brasileira, exilados políticos que voltaram para construir um novo país, uma nova forma de fazer política?  Franco Montoro tinha 5 pensões nababescas. Quando foi que morreu mesmo? Nada como um dia após o outro. Todos tiveram a sua vez e seu governo. Farsantes. Canalhas. 30 anos depois, era este o país prometido?  

  4. Interessante cronograma…

    Interessante cronograma do moro para ouvir as testemunhas, segundo a noticia acima.

    Totalizam 11 dias para o ano de 2017. 

    Quantos dias moro e sua lava jato deixaram de tabalhar nesse processo para viajarem pros isteites, pra fazerem palestras, participarem de eventos midiáticos, “homenagens” a custa do contribuinte?

    Operação “gasta a jato”!

  5. Pô Favô FHFê…
    Bom dia. Com a escolha de Moro, o isentho (como se escreve lá no Tio Hari), para testemunhas de defesa de Lula, é possível ouvir uma voz, por videoconferência:“Por favô FHfê; pare de me ajudar…”.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome