Governo Temer dificulta investigação internacional contra Serra

Foto: Agência Brasil
 
 
Jornal GGN – O G1 divulgou neste sábado (23) uma reportagem informando que Rodrigo Janot queixou-se que o governo Temer tem dificultado a criação de uma força-tarefa internacional para investigar José Serra (PSDB).
 
Segundo o portal, em 15 de fevereiro deste ano, Janot encontrou-se com Michel Temer e pediu o encaminhamento de uma cooperação internacional para apurar pagamentos irregulares à campanha do político na Espanha. Uma semana depois, em 22 de fevereiro, Serra pediu demissão do cargo de ministro das Relações Exteriores. À época, ele alegou “problemas de saúde”.
 
De acordo com a matéria, Janot disse a Temer que, no cargo de ministro, Serra teria condições de intervir na intestigação. 
 
“O episódio, desconhecido até então, foi narrado em tom de indignação pelo próprio Janot no mês passado, durante uma reunião de trabalho com procuradores-gerais sul-americanos em Brasília”, diz o G1.
 
“Na ocasião, Janot desabafou sobre como o governo brasileiro, segundo ele, vinha dificultando a liberação de equipes conjuntas de investigação.”
 
O G1 obteve o áudio em que Janot relata que, sob Temer, o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional do Ministério da Justiça passou a cuidar dos pedidos de cooperação internacional com o objetivo de “criar embaraços” a investigações.
 
“Houve a criação, no âmbito do Ministério da Justiça, de órgão chamado DRCI [Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Internacional], que originalmente não tinha essa vocação, que depois absorveu a matéria de formação de equipes conjuntas. Depois, ao longo do tempo, se viu que o objetivo foi exatamente esse: de criar embaraços na formação dessas equipes conjuntas, de um lado, e, de outro, ter acesso às provas sigilosas que muitas vezes envolvem pessoas do próprio Executivo”, disse Janot (leia ao final desta reportagem o que diz o DRCI)”, diz trecho da gravação.
 
A INVESTIGAÇÃO
 
Janot contou que a Espanha identificou uma empresa que transferia dinheiro para campanhas de políticos brasileiros e recebia suborno quando contratada no Brasil. O nome da empresa não foi revelado pelo portal. Mas, de acordo com a reportagem, os espanhóis já haviam identificado inclusive o caminho do dinheiro e o pagamento do suborno.
 
“O problema, disse à época, era que a tramitação do assunto no governo passaria por um dos suspeitos: o próprio Serra, então ministro das Relações Exteriores. Segundo Janot, caberia a ele, como chanceler, produzir o texto que formalizaria a equipe de investigação conjunta.”
 
“Eu, naquela época, eu ainda não tinha uma ação penal contra o presidente nem investigação. Fui ao presidente da República e disse: ‘Presidente, como é que nós vamos montar uma equipe conjunta cujo objeto é investigar o chanceler se esse ato deve ser feito pelo chanceler?’ Depois que o DRCI libera a parte técnica, ele é feito pelo chanceler’”, contou Janot, narrando sua conversa com Temer.
 
Leia a reportagem completa aqui.
 

14 comentários

  1. ESSA NOTÍCIA É UMA BOMBA ATÔMICA!!!

    São dezenas de áudios envolvendo não apenas o Serra mas um monte de outras investigações completamente abafadas pelo governo… 

  2. saiu de fininho…

    e o Itamaraty começou a defender os interesses do partido

    o oposto do que declarou no início……………………………..

    que com ele o Itamaraty passaria a defender os interesses do Estado, e não do PT

  3. quanto ao Estado ter autorizado a traição…

    hoje podemos dizer que foi ótimo, revelador…………………………….

    porque tratando-se de canalhas, canalhas e canalhas, a vileza é sempre contagiosa

    e quando a todos contagia se concentra em si mesma ( escolhas de Temer e jogadas de Janot )

    amanhã, quem sabe!?, pode ser que alguém venha a defender a criação de um centro de inteligência sem ligação alguma com tudo isso, ou toda esta podridão que este canalha ousou chamar de Estado

      • sacou?

        prepare-se para um surto de sede de vingança……………………..

        Veja já começou……………………o ministro também, com aquele seu voto copo

        ou exatamente com o que já esperávamos, porque se contagiou ao saciar

  4. fikha do serra e ambev

    Quando é que a família  José Serra vai ter uma investigação pra valer, sem intervenção de nenhum BANDIDO DE  TOGA, e as relações dessa família com o tal Lemann da AMBEV vão ser mostradas como realmente são e não como aparentam ser, escondidas pela mídia conivente que precisa ds propagandas de cervejas, refrigerantres e soirvetes e també dos bandidos de togas que deveriam combater crimes e não participar deles.

    A FILHINHA DO SERRA E O TAL LEMANN TIVERAM CRESCIMENTO FINACEIURO ASTRONÔMICO DURANTE E APÓS A PRIVATARIA TUCANA E NINGUÉM DO JUDICIÁRIO, DA PF, E DE QUALQUER OUTRO ÓRGÃO QUE DEVERIA COMBATER ILICITUDES, FEZ ABSOLUTAMENTE NADA PARA SABER SE HAVIA OU NÃO MALVERSAÇÃO E LAVAGEM DE DINHEIRO PÚBLICO OU ILEGAL.

    ONDE ESTAVAM OS MUI DIGNOS E PROBOS HOMENS DA LAVA JATO NESSA TENEBROSA ÉPOCA QUANDO A CORRUPÇÃO CORRIA SOLTA E DESENFREADA E NINGUÉM FOI PRESO NEM PUNIDO?

  5. Rainha das startups virou rainha das offshores

    Quando o livro Privataria Tucana foi lançado uma parte da imprensa ignorou é outra atacou o autor e defendeu a família Serra. 

    Me lembro bem de ler artigos mostrando Verónica Serra como “a rainha das startups”… hoje sabemos que é rainha das offshores. 

    “Um livro de ficção vendido como não-ficção”… esse era o título de um dos artigos…. o tempo mostrou bem o que era ficção. 

    Essa imprensa que protegia Serra hoje se cala… mas uma dúvida permanece: faziam isso de graça?

    Quanto desses 23 milhões na Suíça foram parar na conta de jornalistas?

    Se Reinaldo Azevedo trocava poemas com a bandida Andrea Neves… imagina o que ele trocava com seu bandido número 1… favorito… idolatrado… Deus na terra… mito… José Serra?

    E nada parou… Serra continua senador… a filha querida continua multi-empresária, as contas no exterior continuam… na cara da imprensa… na cara do Moro… na cara do Brasil… nem cogitam a possibilidade de investigação. 

    Ser Tucano é ter passe livre para a corrupção. 

  6. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome