Indicação de Moro ao Supremo deve enfrentar resistência no Congresso

Parlamentares se movimentam para colocar em discussão a PEC da Bengala, que altera a idade de aposentadoria de ministros do STF. Se aprovada, não haverá vaga aberta para Moro no mandato de Bolsonaro

Foto: Agência Câmara

Jornal GGN – A nomeação de Sergio Moro para uma vaga no Supremo Tribunal Federal deve enfrentar a resistência do Congresso. Segundo informações do Painel da Folha de S. Paulo desta segunda (13), atuais ministros da Corte já ficaram sabendo de movimentação da Câmara aprova a chamada PEC da Bengala, que adia a aposentadoria dos magistrados dos 75 para os 80 anos.

Se essa PEC for aprovada, não haverá vaga no STF disponível para Moro durante o mandato de Jair Bolsonaro. Pelas regras atuais, o decano Celso de Mello se aposenta em 2020, e Marco Aurélio Mello, em 2021.

“A medida está sendo rascunhada por caciques do Congresso há algumas semanas. A fala do presidente [Bolsonaro prometeu colocar à disposição de Moro a “primeira vaga” que abrir] em entrevista ao programa do jornalista Milton Neves, da rádio Bandeirantes, neste domingo, tende a dar gás ao movimento”, assinalou Painel.

Mesmo que a PEC não tenha andamento, a indicação de Moro também depende de aprovação do Senado, onde o ex-juiz da Lava Jato terá de passar por uma sabatina.

Leia mais: A barganha em que Bolsonaro prometeu o mesmo cargo no STF a Moro e Gebran

Leia também:  Clã dos Bolsonaros está em perigo, por Janio de Freitas

6 comentários

  1. Que o congresso se una pra que esse ex-juiz injusto nunca mais ocupe uma vaga de juiz na vida, ele já demonstrou sua parcialidade em julgar e condenar. MORO NUNCA MAIS

  2. SUPRÊMIO BOZOMORISMO
    Dentre as Escolas do Direito há o positivismo, egologismo e aqui Bozo acaba de criar o BOZOMORISMO.
    BOZOMORISMO é o Toma Lá Dá Cá desta pindorama desvairada, que consiste em presidência da republica pra cá e Suprêmio pra lá em 2020 (republica com p minúsculo mesmo).
    Na pratica fica combinado: prende o Lula para tirá-lo do páreo, que depois te recompenso com uma vaga no Suprêmio.
    O Suprêmio consegue superar-se todos os dias, pous já foi Suprimo por ameaça de general em julgamento específico e durante um bom período foi tutelado pir um general na direção da presidência do Suprimido.
    O Suprêmio está em todas, inclusive no golpe de 2016 como profetizava o ínclito Romero Jucá: ccom supremo contudo”
    Viva paneleiros/boçalnalistas

  3. Esse desqualificado, quando deixou a Justiça Federal, não lamentou a carreira nobre que estava deixando, mas o “ótimo salário” e a garantia de uma “confortável aposentadoria”. Por aí se vê o quadro de valores desse sujeito. Se os senadores não rejeitarem uma eventual indicação do “juiz conje” para o STF, depois de constatarem o ódio que o justiceiro têm da classe política (e a proteção que dá aos corruptos do rosto colado, como Aécio Neves), se não rejeitarem a indicação, bem merecem se ferrar mesmo!! Que Sergio Moro seja o primeiro indicado a vaga em corte superior a levar um pé na bunda do Congresso.

  4. Os senadoreseus devem fazer um projeto de leu para só ser ministro do STF. ATRAVÉS DE CONCURSO PÚBLICO. DESSA FORMA SÓ ENTRA FERA

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome