Janot, ao contrário de Moro, não aceitaria ser ministro para “não contaminar Lava Jato”

 
Jornal GGN – Rodrigo Janot, ex-procurador-geral da República e responsável por apresentar diversas denúncias contra políticos com foro na Lava Jato, disse em entrevista ao jornalista Kennedy Alencar, ainda no final de 2018, que não aceitaria um cargo em governo ou no Supremo Tribunal Federal, para não “contaminar” a operação.
 
“O que eu faria se tivesse sido convidado para eventualmente ser ministro da Justiça e eventualmente para ser ministro do STF? Para que não haja contaminação dessa que é a maior investigação da história brasileira (…), eu nem titubearia em cogitar. A minha resposta seria imediata: não e não”.
 
A declaração de Janot foi dada antes mesmo de o ministro Sergio Moro aceitar ser ministro da Justiça de Jair Bolsonaro, afirmou a coluna Painel, na Folha desta sexta (11). O ex-juiz da Lava Jato em Curitiba foi criticado por ter aceitado o convite de um presidente eleito pela extrema-direita, beneficiado eleitoralmente pela ausência de Lula – condenado por Moro – na disputa.
 
Em resposta, Moro disse que seu cargo é técnico, não político, e que aceitou o convite porque quer institucionalizar a Lava Jato.
 
A frase consta em documentário produzido por Kennedy Alencar para a BBC World News. A produção chama-se “What Happened to Brazil”, e tenta lançar “luz sobre os fatos mais notáveis da política desde o levante de 2013 até a eleição de 2018.”
 
A estreia do documentário, em 3 episódios, será neste sábado (12), à 0h30.

15 comentários

  1. Cara MPU tem status de
    Cara MPU tem status de ministério lkkkkkkklllk então logo ele era ministro kkkkkkkkk

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome