Janot quer impedimento de Gilmar para julgar Barata Filho

Jornal GGN – Rodrigo Janot, procurador-geral da República, pediu ontem, dia 21, ao Supremo Tribunal Federal (STF) o impedimento do ministro Gilmar Mendes em atuação no processo em que concedeu liberdade ao empresário Jacob Barata Filho. Como difundido, ele é padrinho de casamento da filha de Barata com o sobrinho da esposa do ministro.

Na petição enviada à Cármen Lúcia, presidente do STF, o procurador-geral aponta os vínculos pessoais de Gilmar com o empresário. Janot usou a mesma argumentação para impedir o ministro de julgar o ex-presidente da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado do Rio de Janeiro (Fetranspor) Lélis Teixeira. Os dois empresários são investigados na Operação Ponto Final, por suspeitas de corrupção no sistema de transporte público do Rio.

“Não resta dúvida para o MPF de que há vínculos pessoais entre a família de Gilmar Mendes e Jacob Barata Filho, circunstância também representada simbolicamente na função de padrinhos de casamento da filha do paciente. Os vínculos são atuais, ultrapassam a barreira dos laços superficiais de cordialidade e atingem a relação íntima de amizade”, diz Janot.

A assessoria de Gilmar informou que não há contato entre ele e a família de Barata Filho, o que ocorreu somente no dia do casamento. Diz também que o fato não se enquadra nas regras que determinam o afastamento de um magistrado para julgar uma causa em função de relação íntima com uma das partes.

“O contato com a família ocorreu somente no dia do casamento. Não há relação com o paciente e/ou com os negócios que este realiza. Já há entendimento no Supremo Tribunal Federal que as regras de suspeição e impedimento do novo Código de Processo Civil não se aplicam ao processo penal. Ademais, não há tampouco amizade íntima com os advogados da presente causa”, diz a nota da assessoria de Gilmar.

Leia também:  "Há algo maior por trás e nós vamos descobrir", diz professor de Direito sobre ação de Moro contra Venezuela

Com informações da Agência Brasil

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

9 comentários

  1. Jurisdição de Compadrio

    Um cumpade vai julgar o outro. Impõe-se a improcedência do pedido, com a absolvição do réu, até porque ele tem uma carreira empresarial elogiável.

    Né, Marco Aurélio?

  2. Para o STF “íntimo” significa

    Para o STF “íntimo” significa “cama”.  Isto só às gargalhadas, Aquele cenáculo é um triste picadeiro, onde os palhaços se sentam ao redor.

  3. Desconfio, apenas desconfio…

    Desconfio, apenas desconfio que nem mesmo o bandeirinha e o juiz que assinalaram impedimento do Jô no jogo entre Corinthians e Flamengo considerariam o Gilmar impedido, embora no caso do Gilmar o impedimento seja patente (e parente). Que dirá dos orelhas-secas do STF!…

     

    (https://www.youtube.com/watch?v=4Nlg3LplUso)

     

  4. Alguns juízes são

    Alguns juízes são absolutamente incorruptíveis. Ninguém consegue induzi-los a fazer justiça. Bertold Brecht

    Até parece que os subalternos do Gilmar vão ousar contrariá-lo. A  liberdade e indepêndencia dos juizes do STF julgarem (conforme a roleta viciada) tem que ser mantida, dirá algum deles (provavelmente o decano) sem mencionar, naturalmente, a roleta viciada. Outros tomarão a palavra e dirão sábias frases como condeno porque posso (Weber) ou Aécio é exemplo de honestidade como político e cidadão brasileiro (Marco Aurélio) ou canalhas são só os petistas (Carmén Lucia) ou mato no peito e ainda nomeio minha filha de 32 anos desembargadora (Luiz Fux) ou escrevi 180 páginas porque Eduardo Cunha é um deputado respeitável e estava certo no ritual do impeachment (Facchin) ou o estado de exceção é necessário (Barroso) ou plagio porque sou um grande jurista o que me permitiu até mesmo condescender com assassinatos da policia enquanto fui secretário do Alckmin (Alexandre de Moraes) e por aí vai. Sem esquecer de ao final assistir o constrangimento do Lewandovski que o faz gaguejar mas condescender com seu pares.

    Ou o STF é cúmplice do golpe e perdeu toda a legitimidade para atuar como Corte Suprema.

    Será que foi acidente mesmo a causa da morte do Teori? 

    • Faltou mencionar façanhas de CM e DT

      Cara Vera Lúcia,

      Você se esqueceu de comentar sobre aquele a quem Saulo Ramos chamou de “um juiz de merda”, assim como ao de ‘notório saber jurídico’, Dias Toffoli.

  5. Ainda bem que no MPT –

    Ainda bem que no MPT – especialmente na Lava Jato – tem disso não… ops…. parece que o Turco andou fazendo um power point das relações do parquete de Curitiba… Olha que o Gilmau pode usar em sua defesa…

  6. Os anos Gilmar Mendes no STF

    Não poderei dizer que, malgrado tudo o que passamos por causa dele, desde sua presidência no STF, Gilmar me fez rir e muito. Esse Gilmar, até calado, é de lascar. 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome