Jornal publica mensagem no Telegram para provar ação hacker contra Moro

Ao Estadão, Moro tem repetido a tese de que a invasão em seu telefone está relacionada ao dossiê do Intercept Brasil

Jornal GGN – Para endossar a narrativa de que há um crime de hacking em andamento contra procuradores da Lava Jato e o ministro da Justiça Sergio Moro, uma mensagem de Telegram em posse da Polícia Federal foi entregue ao Estadão, que divulgou na tarde desta quarta (19) o conteúdo produzido a partir da clonagem do celular do ex-juiz de Curitiba.

Segundo Moro, no dia 4 de junho passado, seu celular foi hackeado, o número, clonado pelo invasor, que criou uma conta no Telegram e puxou conversa com um conhecido do ministro (funcionário de sua Pasta), fazendo-se passar pela autoridade.

Na mensagem divulgada, o clone de Moro envia um link para uma matéria sobre um dos projetos do Ministério da Justiça e pede a opinião do interlocutor, que não teve o nome divulgado pelo Estadão.

A mensagem faz parte do inquérito da PF que investiga ataques de um suposto grupo de hacker contra Moro e outros nomes ligados à Lava Jato.

De acordo com Moro, o hacker não teve sucesso em obter dados em seu celular. Além disso, ele não teve acesso ao histórico de conversas no Telegram. Moro afirma que deixou o aplicativo russo, por considerá-lo pouco seguro, em 2017.

Ao Estadão, Moro tem repetido a tese de que a invasão em seu telefone está relacionada ao dossiê do Intercept Brasil. Desde o dia 9 de junho, o site de Glenn Greenwald divulga conversas privadas de Moro e de procuradores da Lava Jato, que sugerem conluio, prevaricação, advocacia administrativa, entre outras irregularidades.

“Nós estamos falando aqui de um crime em andamento. De pessoas que não pararam de invadir aparelhos de autoridades ou mesmo de pessoas comuns e agora têm uma forma de colocar isso a público, podem enviar o que interessa e o que não interessa”, diz Moro.

Leia também:  TV ANPR confirma que vídeo publicitário das "10 medidas" teve parceria da Rede Globo

Leia também: Moro sugere encaminhamento de operação contra Intercept

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

15 comentários

  1. Isso é serviço de contra informação, desqualificar a acusação. Muito comum sua utilização no impedimento de fatos contrários ao poder estabelecido.

    • …esse país é mesmo uma piada: inimaginável autoridades cujos documentos foram vazados pelo WikiLeakes e Snowdem, usando esse tipo de estratégia para safar-se da enrascada em que se meteram: ahhhaaaa nesse país tudo se decompõe e por causa de uma traça chamada Globo, a desgraça desse pais de povo imbecilizado por essa fábrica de imbecis. .enquanto existir Globo não existirá o Brasil

      8
      1
    • Este usuário do telegram não existe mais ou nunca existiu. Basta procurar o usuário pelo próprio aplicativo pra ver isso.

  2. E daí, se foi hacker, ou não, que diferença vai fazer?

    Perguntaram ao Moro se ele ou o Bolsonaro mentiu no que diz respeito à boquinha prometida a ele no $TF. É
    mais provável que o mentiroso seja o Moro. O Bolsa disse que ele nào é 100% confiável.

    I got one foot on the platform
    The other on a train
    Vou embarcar pra Pásargada via Amaurota. Se eu não retornar mais, vejam e vivam o Ultimo Discurso, do Chaplin, e a Carta do Chefe Seattle.
    Turn out, turn in, drop on

    3
    3
    • E você acha que a PF e o Moro já não sabiam que o Intecept tinha algo contra ele e os Procuradores!?!?!?! Por isso dessa alegação!!!! Muito oportuna não acha????

  3. A Polícia Federal [Leia-se: Sergio Moro] vazou de propósito
    uma mensagem, sem significado algum, apenas para desviar
    o foco do “Caso #VazaJato” “As Mensagens Secretas da Lava Jato”
    que vem sendo publicadas pelo “The Intercept Brasil” e que apontam
    para Crimes Praticados por Sergio Moro, quando era Juiz em Curitiba,
    em Conluio com os Procuradores do MPF no Paraná, na Op. Lava Jato.

    https://twitter.com/ggreenwald
    https://twitter.com/TheInterceptBr
    https://twitter.com/search?q=%23VazaJato

    5
    1
  4. A pf araponga a serviço do inominável depois de muitas tentativas consegue demonstrar que chega atrasada e com piedosas mentiras.
    Chamem o ladrão.

  5. Cara, fede a factóide!
    Digamos que nao seja papo furado, basta que o Dalagnol autorize a quebra de seu sigilo telefonico.
    Mas as mensagens, assim que o The Intercept as publicou, foram dadas como verídicas. Só um pouco depois, após um surto de amnésia do sr. Moro, deixaram de existir.
    Olha, nessa até um ratinho duvida.

    2
    1
  6. acreditar, eu não
    como dizia a grande dona ivone lara.
    “a vida foi em frente /
    e você simplesmente/
    ficou pra trás”,
    diz a canção….

  7. …esse país é mesmo uma piada: inimaginável autoridades cujos documentos foram vazados pelo WikiLeakes e Snowdem, usando esse tipo de estratégia para safar-se da enrascada em que se meteram: ahhhaaaa nesse país tudo se decompõe e por causa de uma traça chamada Globo, a desgraça desse pais de povo imbecilizado por essa fábrica de imbecis. .enquanto existir Globo não existirá o Brasil

  8. Ah, é verdade. E hackearam os celulares dos procuradores, dos amigos de Moro, dos amigos dos procuradores, maridos, esposas, amantes, filhos… todos hackers se passando pelas pessoas envolvidas, cada qual com sua fala num script escrito por um grupo gigantesco de “esquerdistas”. Isso explica, inclusive, porque é que, depois das mensagens falsificadas, nenhum dos envolvidos estranhava:

    – “Ué, mas a gente já tinha combinado isso ontem, pelo Telegram, você não se lembra?”
    – “Hein?”

    Ah! E os grupos no aplicativo também eram falsos. Afinal as mensagens do Telegram eram puro teatro.

  9. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome