Juiz afastado pelo CNJ por tentar recolher urnas já manifestou apoio a Bolsonaro

Além de vídeos com o filho do presidenciável, questionando a validade das urnas eletrônicas, o magistrado já disse que o Brasil “é representado pelo Deputado Federal e candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro”, em nota de solidariedade após o ataque
 

Foto: Reprodução Youtube
 
Jornal GGN – O Conselho Nacional de Justiça (CNJ) decidiu afastar o juiz Eduardo Luiz Rocha Cubas, do Juizado Especial Federal Cível de Formosa (GO), que planejava determinar o recolhimento das urnas eletrônicas pelo Exército, um dia antes das eleições. O mesmo juiz já havia gravado um vídeo ao lado do filho do presidenciável, Eduardo Bolsonaro, questionando a segurança das urnas e também discutindo com o deputado do PSL candidaturas avulsas.
 
A determinação foi tomada pelo corregedor Humberto Maritns, nesta sexta-feira (28), após a Advocacia-Geral da União (AGU) informar ao órgão que a consultoria jurídica do Comando do Exército avisou sobre a tentativa. 
 
A primeira suspeita partiu quando o magistrado decidi,u no dia 10 de setembro, que o Comando indicasse um militar a Formosa, Goiás, com patente de oficial para realizar um teste de segurança nas urnas.
 
E nesta terça-feira, 25 de setembro o juiz também apresentou informações sigilosas ao Comando, dizendo que notificaria oficialmente ao Exército na próxima sexta-feira, 5 de outubro, que determinaria o recolhimento das urnas para perícia, com o objetivo que não houvesse tempo de a decisão ser derrubada.
 
Diante das informações, a AGU avisou o Conselho Nacional de Justiça sobre as práticas de Eduardo Luiz Rocha Cubas, que “destoam da conduta esperada de um magistrado”. Isso porque, além das ações tomadas junto ao Exército, o juiz também já havia questionado a segurança das urnas eletrônicas, ao lado do filho de Jair Bolsonaro, o deputado Eduardo.
 
https://www.youtube.com/watch?v=PUnaBcb__v8]
 
Em outro vídeo, divulgado pelo Diário do Centro do Mundo, o juiz Eduardo Cubas também aparece ao lado de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), falando sobre candidaturas avulsas:
 
[video:https://www.youtube.com/watch?v=TMvB8iBmxJw
 
Ainda, foi o mesmo magistrado que assinou uma nota divulgada pela União Nacional dos Juízes Federais (UNAJUF), solidarizando-se com o ataque sofrido pelo candidato, mas manifestando posição política favorável a ele: na nota, o juiz escreveu que o Brasil era “representado pelo Deputado Federal e candidato à Presidência da República Jair Bolsonaro”, e que o país também seria “vítima desse monstruoso ato”.
 
O presidenciável já manifestou em diversas entrevistas que vai questionar o resultado das urnas, caso ele não vença as eleições 2018. 
 
Leia, abaixo, a determinação do CNJ:
 

7 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Almeida

- 2018-09-29 22:19:13

Terceiro turno à vista

Segue os passos daquele moleque de Minas: “Os filhos da puta sacanearam tanto a gente, vamo entrar com um negócio aí para encher o saco deles também…”

A molecagem que levou o País a um golpe, afundou sua economia e fez milhões de desempregados

Rodrigo Roal

- 2018-09-29 21:40:29

Bolsonaro na ponte aérea

[video:https://youtu.be/9WeXyHPI3Mw]

E a foto da folha:

 

Photios Andreas Assimakopoulos

- 2018-09-29 18:38:04

A República

...e a democracia brasileira estão combalidas mesmo, com cada um tentando fazer o que bem entendem, como esse "juiz" tentando sequestrar urnas de votação um dia antes de serem utilzadas.

O próximo Presidente tem um trabalho imenso pela frente, melhor entendendo, não em "tomar o poder" mas em devolver o poder ao voto e ao Estado de Direito que são a essência da estrutura de uma Democracia. Podem até chamar de ditadura do voto se alguns quiserem...

Outra coisa necessária é criar o Panteão dos Ratos da Pátria. O Cabeleira e o Iluminado proferidor de dísticos tem lugar de honra.

 

Jovelino Andrade

- 2018-09-29 18:32:23

canalha...

Trecho da Lei 10.259/2001:

§ 1o Não se incluem na competência do Juizado Especial Cível as causas:

I - referidas no art. 109, incisos IIIII e XI, da Constituição Federal, as ações de mandado de segurança, de desapropriação, de divisão e demarcação, populares, execuções fiscais e por improbidade administrativa e as demandas sobre direitos ou interesses difusos, coletivos ou individuais homogêneos;

 

Ou seja, esse juiz Cubas não conhece a lei básica de regência dos juizados especiais federais, apesar de estar atuando em um! 

Socorro!!!!!!

Vale a pena ler a reclamação disciplinar da AGU, detalhando o caso; chega-se à conclusão que esse Cubas ou é maluco ou então é um tremendo canalha mesmo.

Fábio de Oliveira Ribeiro

- 2018-09-29 17:11:25

Mais um subproduto do
Mais um subproduto do ambiente jurídico imprevisível e excepcional que foi criado pelo MPF (denúncia do Triplex fundamentada na convicção de Dellagnol), pelo TRF-4 (condenação de Lula sem provas por crime inexistente) e pelo golpe "com o STF com tudo".

cesarcardoso

- 2018-09-29 17:07:43

Detalhe da data

A ação contra o juiz aloprado bolsominion ocorreu NO MESMO DIA em que o capitão da reserva deu uma entrevista ao Datena dizendo explicitamente que, se não vencer a eleição, tentará um golpe de Estado.

Outubro vai ser longo demais, especialmente na guerra intestina do Judiciário.

VinVel

- 2018-09-29 16:37:23

Vai ficar por isso mesmo

ESTÃO TODOS NO GOLPE!

É COM SUPREMO E TUDO, NÃO ESQUEÇAM...

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador