Juristas entram com representação criminal contra Moro

Patricia Faermann
Jornalista, pós-graduada em Estudos Internacionais pela Universidade do Chile, repórter de Política, Justiça e América Latina do GGN há 10 anos.
[email protected]


Foto: Divulgação

Da Revista Fórum

A Associação Brasileira de Juristas pela Democracia (ABJD) protocolou no Ministério Público Federal do Paraná (MPF-PR), nesta terça-feira (14), uma representação criminal contra o juiz Sérgio Moro, responsável pela operação Lava Jato em Curitiba. Na notícia crime, os juristas pedem ao órgão que apure os supostos crimes de prevaricação e abuso de autoridade no episódio do dia 8 de julho em que o juiz atuou para manter o ex-presidente Lula preso, desrespeitando uma ordem de soltura despachada por um magistrado hierarquicamente superior, o desembargador Rogério Favreto, do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4).

“Como se sabe, pratica o crime de prevaricação, nos termos do art. 319 do Código Penal aquele que retarda ou deixa de praticar, indevidamente, ato de ofício, ou o pratica contra a disposição expressa de lei, para satisfazer interesse ou sentimento pessoal”, escreveram os juristas ao contextualizar o crime que Moro, supostamente, cometeu.

“A inapropriada intervenção, através do despacho, contrapondo-se à ordem emanada por Tribunal ao qual se encontra hierarquicamente submetido, constitui-se em retardamento de ato de ofício, visto que o não cumprimento da ordem pela autoridade policial se deu, indubitavelmente, em virtude de tal intromissão”, explicou a associação.

Confira, aqui, a íntegra da representação.

Continue a leitura na Revista Fórum

Patricia Faermann

Jornalista, pós-graduada em Estudos Internacionais pela Universidade do Chile, repórter de Política, Justiça e América Latina do GGN há 10 anos.

6 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Mais uma jogada?

    Deputado João Rodrigues do PSD é autorizado a deixar a prisão pra se candidatar a Deputado Federal. Ele estava preso em regime semi aberto na Papuda. Muitos vêm nessa liminar uma nova oportunidade para Lula ser libertado. Eu por outro lado já enxergo mais uma armadilha. Daqui há pouco vão cassar a liminar e dirão: Tá vendo não pode o deputado não poderá concorrer. Aguardemos.

  2. “Pedem”? Eles deveriam

    “Pedem”? Eles deveriam exigir. E Moro não é “suspeito” de ser um criminoso, ele É um criminoso que quebrou diversas leis brasileiras.

  3. Estou surpreso

    Moro cometeu crimes ? Nossa, eu não sabia…

    Pensei que ele era apenas um traidor da pátria como tantos outros do judiciário, MP e PF…

  4. O Moro ainda não fez todo o trabalho sujo que lhe foi atribuído

    O Moro ainda é útil à elite sanguessuga. Quando tiver todo o serviços sujo, farão com ele o que estão fazendo com o Gebran e o Bretas. Mas se os parasitas sociais chegarem à conclusão de que, em liberdade, o Lula conseguirá menos voto para o Haddad, já que passará do noticiário político para o noticiário policial, aí o Moro pode ser descartado como se descarta papel higiênico usado.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador