Lula enfrenta primeiro interrogatório, desde que está em liberdade

Trata-se de investigação dentro da Operação Zelotes, no Distrito Federal, que acusa o líder político de envolvimento e interesse na edição de uma Medida Provisória que atendeu empresas automobilísticas

Foto: Ricardo Stuckert

Jornal GGN – O ex-presidente Lula será interrogado hoje, pela primeira vez desde que deixou a prisão, pela Justiça do Distrito Federal, sobre o processo em que é acusado de envolvimento em suposto interesse por trás da Medida Provisória 471, que atendeu a empresas do setor automobilístico.

A investigação é a que tramita dentro da Operação Zelotes e acusa o ex-presidente de ter editado a MP para beneficiar o setor e, em troca, o ex-presidente teria contado com vantagens indevidas a políticos e intermediários.

Os autos da MP miram também o ex-ministro do ex-presidente Gilberto Carvalho, que é outro réu na mesma ação, que teria recebido, junto com Lula, a promessa de R$ 6 milhões em pagamentos indevidos a campanhas eleitorais do PT em troca da edição da medida provisória.

O caso não guarda relação com as outras duas dos quais o líder político já foi condenado: a do triplex do Guarujá e do sítio de Atibaia. O ex-presidente estava preso até novembro de 2019 pela primeira das condenações e conquistou a liberdade por um entendimento do Supremo Tribunal Federal (STF) de que o réu só cumpra a pena após o trânsito em julgado, ou seja, quando se acabam as possibilidades de recursos.

No caso específico dessa apuração no Distrito Federal, a defesa do ex-presidente Lula e a de Carvalho sustentam que se trata de um “completo absurdo”, uma vez que os protocolos adotados da Medida Provisória, naquele ano de 2009, “foram absolutamente corretos”.

“Essa Medida Provisória correspondia a um plano do governo de fazer a descentralização das empresas automobilísticas, de estimular a instalação delas no Nordeste e no Centro-Oeste”, lembrou à imprensa Carvalho, que foi chefe de gabinete do governo Lula.

Este não será o único interrogatório a que Lula será submetido, mesmo em liberdade. O ex-presidente ainda tem processos na Justiça Federal de São Paulo, e soma um total de 9 ações, em Curitiba, São Paulo e Distrito Federal.

Leia também:  Lula proferiu uma frase infeliz? Todas as frases de Bolsonaro são infelizes, por Gustavo Conde

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

3 comentários

  1. Lula é um líder político dos maiores. Fosse uma pessoa comum, já teria se exilado em outro país para viver tranquilo os anos que lhe restam.

  2. “OPERAÇÃO ZELOTES”,é curioso como até este blog engoliú a propaganda.
    Lembremos
    a tal de Zelotes teve início como denúncia contra empresários e grandes grupos financeiros que compraram sentenças favoráveis no CARF por sonegação de impostos.
    Inclua-se RBS,Bradesco,etc,etc.
    Visto o impacto que a denúncia teve a PFascista inventou que Lula tería editado uma MP para favorecer montadoras e é a narrativa que ficou.
    Concretamente,o ÚNICO,investigado,nesta ação é o Lula,nem sequer o FHC que editou a 1° MP.
    A BANDIDAGEM ESTÁ SOLTA E ELA VESTE GRAVATA ,TOGA E FARDA.

  3. A insistência do judiciário golpista fascista é prender Lula antes de 2022, sob a orientação do Imperialismo americano e permanência de uma Ditadura Bolsonarista para reduzir o Brasil a um mero Porto Rico.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome