Parte da PF relaciona ministro da Justiça com empecilho à Lava Jato

 
Jornal GGN – Celebrada por associações de Procuradores da República, a escolha do subprocurador-geral da República, Eugênio Aragão, para o Ministério da Justiça não gerou as primeiras reações positivas por parte da Polícia Federal, ainda sem consenso definido de posicionamento.
 
Se, em nota, a Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e dos Membros do Ministério Público (Conamp) parabenizaram a indicação e ressaltaram apoio “irrestrito” a Aragão, delegados da Polícia Federal não viram com bons olhos.
 
“O PT já procurava um nome para controlar a Lava Jato”, defendeu um integrante da PF dentro da força-tarefa, ao comentarista da rede Globo, Gerson Camarotti. Os investigadores da Lava Jato teriam ficado “surpresos” com a decisão da presidente Dilma Rousseff, por “temer” que Aragão possa criar conflitos com a Polícia Federal.
 
É que a larga experiência de Eugênio Aragão no Ministério Público Federal, até então representando o órgão no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), traria mais representatividade aos procuradores, uma vez que “tem a determinação, a competência e o equilíbrio como características reconhecidas por todos os seus pares”. 
 
Por outro lado, a falta de posicionamento da PF, sem publicar notas oficiais, provocou a reação de integrantes do Sinpef PR. O agente Federal Rodrigues, representante sindical, afirmou ao GGN que as “representações saúdam a escolha do novo Ministro da Justiça pela presidenta Dilma”. “Nós policiais federais retomamos assim a esperança de dias melhores não só para a Polícia Federal mas para a Segurança Publica de nosso país que clama por reformas”, comunicou.

 
Eugênio Aragão foi quem recebeu as delações premiadas da Operação dentro do TSE. Delegados lembram, ainda, que a carreira do novo ministro da Justiça (o MPF) tem conflito permanente com a Polícia Federal.
 
Nas redes sociais, procuradores criticaram a defesa de delegados da PF que acreditam que um possível nome aliado à presidente Dilma na Justiça poderia brecar os avanços da Operação Lava Jato. “Hoje, a Lava Jato é uma Operação com mais de 30 membros do MP brasileiro. Esqueçam essa história de MJ poder brecar algo”, disse em seu Twitter a procuradora da República, Monique Cheker.
 
“[Os procuradores da força-tarefa] são colegas sérios e competentes, que não estão na Lava Jato “de favor”. A Lava Jato, hoje, é a investigação mais fiscalizada do Brasil”, frisou Cheker.
 
FENAPEF
 
A Federação Nacional dos Policiais Federais soltou nota apoiando a indicação feita pela presidente Dilma Rousseff. A nota sai em nome dos 27 sindicatos associados e aposta na vasta experiência do novo ministro para enfrentamento das crises. Além disso, como prova de boa vontade, colocam-se à disposição “para colaborar nas propostas de fortalecimento da Polícia Federal e da segurança pública do país”. Leia a nota na íntegra.
 
NOTA

Federação e sindicatos dos Policiais Federais parabenizam o novo Ministro da Justiça Eugênio Aragão

Leia também:  Justiça paulista determina reintegração de posse e 21 famílias são despejadas na pandemia

Brasília, 14.03.2016

A Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) e seus vinte e sete sindicatos filiados vêm a público congratular o subprocurador-geral da República, Eugênio Aragão, anunciado nesta segunda-feira, 14, pela Presidente Dilma Rousseff, como novo ocupante do cargo de Ministro da Justiça.

Tão logo foi anunciado, o nome de Eugênio Aragão foi associado à sua larga experiência profissional e acadêmica, tendo ocupado importantes funções no Ministério Público Federal, o que se traduziu no imediato reconhecimento dos seus pares. Experiência, competência e equilíbrio foram as características mais citadas quando se fala do eminente Ministro.

Com o currículo e a vasta experiência que detém, o Ministro Eugênio certamente irá enfrentar com equilíbrio as muitas responsabilidades da pasta, neste difícil momento do País, e saberá  conduzir democraticamente, com firmeza, eficiência e conhecimento de causa, as suas atribuições constitucionais.

A ocupação do Ministério da Justiça por um componente do Ministério do Público gera grandes expectativas para aos Policiais Federais pela previsão de aplicação de políticas voltadas para modernização da segurança pública, mediante a implantação de um novo modelo de investigação criminal e pela efetivação da estrutura de carreira para o efetivo da Polícia Federal.

As entidades representativas dos Policiais Federais saúdam o novo Ministro da Justiça e se colocam à disposição para colaborar na construção de propostas  para o fortalecimento da Polícia Federal  e  da segurança pública do país.

Luís Antônio de Araújo Boudens

Presidente

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

33 comentários

  1. A PF e MP poderiam fazer um

    A PF e MP poderiam fazer um favor ao Brasil: Investigar tudo e não “selecionar” somente o PT para alimentar o ódio da globo.

  2. Novo Ministro
    Federação e

    Novo Ministro

    Federação e sindicatos dos Policiais Federais parabenizam o novo Ministro da Justiça Eugênio Aragão

     

     

     

     

    Brasília, 14.03.2016
    A Federação Nacional dos Policiais Federais (FENAPEF) e seus vinte e sete sindicatos filiados vêm a público congratular o subprocurador-geral da República, Eugênio Aragão, anunciado nesta segunda-feira, 14, pela Presidente Dilma Rousseff, como novo ocupante do cargo de Ministro da Justiça.

    Tão logo foi anunciado, o nome de Eugênio Aragão foi associado à sua larga experiência profissional e acadêmica, tendo ocupado importantes funções no Ministério Público Federal, o que se traduziu no imediato reconhecimento dos seus pares. Experiência, competência e equilíbrio foram as características mais citadas quando se fala do eminente Ministro.

    Com o currículo e a vasta experiência que detém, o Ministro Eugênio certamente irá enfrentar com equilíbrio as muitas responsabilidades da pasta, neste difícil momento do País, e saberá  conduzir democraticamente, com firmeza, eficiência e conhecimento de causa, as suas atribuições constitucionais.

    A ocupação do Ministério da Justiça por um componente do Ministério do Público gera grandes expectativas para aos Policiais Federais pela previsão de aplicação de políticas voltadas para modernização da segurança pública, mediante a implantação de um novo modelo de investigação criminal e pela efetivação da estrutura de carreira para o efetivo da Polícia Federal.

    As entidades representativas dos Policiais Federais saúdam o novo Ministro da Justiça e se colocam à disposição para colaborar na construção de propostas  para o fortalecimento da Polícia Federal  e  da segurança pública do país.

     

    Luís Antônio de Araújo Boudens
    Presidente

     

     

    Fonte: Agência Fenapef

     

    http://fenapef.org.br/fenapef/noticia/index/46691

     

  3. Mais transparência…

    O novo Ministro já entendeu que é “Persona non grata” para a ATUAL MEMBROS  da cúpula da PF, POR ISSO, se substituir TODOS ele apenas estará FAZENDO UM ATO PARA MELHORAR O DESEMPENHO DA PF NA SUA GESTÃO.

    Obrigado por esta carta…

    Por que não é presumível que outros delegados, que venham a assumir estes cargos sejam a favor da CORRUPÇÃO, o que se configura COM UMA PRESUNÇÃO ABSURDA DA ATUAL DIRETORIA – SOMOS OS MELHORES!

    O que o Brasil precisa é de MAIS JUSTIÇA, não é de menos justiça!

     

  4. Conforme o texto do delegado

    Conforme o texto do delegado aposentado da PF, publicado ontem nesse site, a PF , com salários atrativos desde o governo do PT, está lotada de concursados oriundos das classes médias e ou elitistas.

    No popular:  está cheia de coxinhas.

    Isso explica os descalabros apontados aqui e ali por juristas prestigiados, das operações ( inclusive a seletividade das investigações e dos vazamentos ) da PF, principalmente da Lava-Jato.

    É totalmente previsível a resistência deles à nomeação do Aragão para Ministro da Justiça.

    Eles gostavam era do Arregão.

    Espero sinceramente que seja dado um basta no desvario em que o Brasil foi jogado, grandemente causado pelo partidarismo explícito do poder que tem obrigação e dever de zelar pela Justiça.

     

  5. O novo ministro Eugenio

    O novo ministro Eugenio Aragão, deveria, como primeiro ato, começar agradecendo os exclentes trabalhos prestados pelos excelentes delegados da Força tarefa da gloriosa lava jato e transferí-los para áreas aonde seus brilhantes serviços são também necessários, notadamente, nossas fronteiras com a Bolivia, Peru, Combia, etc…com vistas a dirimir em nosso País o tráfico de drogas e de armas.

    É óbvio que esses policiais responsáveis pelo desbaratamento da maior quadrilha de corrupção da história do universo empreenderão essa missão com “um pé nas costas”.

    Eles, que deixaram o Brasil livre da corrupção, claro que o deixarão também livro do tráfico de drogas e armas que tanto nos causa desgosto e aflição.

    Seria um começo auspicioso do novo Ministro.

     

  6. Quem nomeia o Ministro da
    Quem nomeia o Ministro da Justiça é o Presidente, não os delegados da PF.
    Quem manda na PF é o Ministro da Justiça.
    Subalterno que não cumpre ordens pode e deve ser punido.
    Simples assim.
    A anarquia policial federal deve acabar, nem que seja com o uso do “porrete administrativo”.

  7. a pf tem de agir conforme a

    a pf tem de agir conforme a lei.ponto…

    mas como o direito punitivo parece que tá valendo mais que

    o direito garantista, alluns ficam jogando convera fora ou

    a puxa armas de seus coldres, como mocinhose banidos dos

    veljhop faroetes norte-americanos, hjollywoodianose  e pentagonicos…

  8. Essa parte da PF é a parte

    Essa parte da PF é a parte podre e está certíssima em se preocupar. 

     

    Se esse ministro da justiça tiver brios e vergonha na cara, começará a limpar a PF dos bandidos que a tomaram de assalto.

  9. “Por outro lado, a falta de

    “Por outro lado, a falta de posicionamento da PF, sem publicar notas oficiais”:

    Eh, “integral” por la eh so os vazamentos.

  10. Poderes: Ministrose Juízes

     

    É só ler a Constituição (acima) e prever muito confronto pela frente, pois a elasticidade a que se permitem os itens grafados levarão muita matéria para discussão no STF. Mas cabe, sim, trocar as posições de juízes, como cabe exonerá-los pelas razões expostas.

     

     

     

  11. Acho qaue não deve haver

    Acho qaue não deve haver problema nenhum. Se a PF fizer seu trabalho honesto e legal tá ótimo, se fizer errado, tipo fazer vazamentos: teje preso !

  12. A parte reclamante deve ser

    A parte reclamante deve ser aquela que bota escuta clandestina e se esconde atrás do japones . . . . .

  13. Globomoro quer indicar o MJ

    Não se trata de opinião da PF, ainda bem.  Por outro lado, não podemos negar que há uma rixa antiga entre MP e PF, se uniram em torno da Lava Jato porque há interesses outros na jogada, o MPF conseguiu enquadrar a PF numa reunião em que perou-se um milagre, cala-te boca..,,..quando o MP passou a ter poder de investigação, pela PEC 37, os policiais reclamaram.  Só sei que tanto a PF como MPF sem um controle externo gera esses Conserinos da vida…,..sehá uma coisa danosa trazida pela PEC 37 foi o promotor poder arquivar notícias crime ao seu bel prazer, agora vemos o  PGR Janot arquivar rolos de um Aécio Neves, o STF não pode recusar,  virou essa zorra total,  a Globo mandando vai querer mesmo indicar o MJ.

    http://www.conjur.com.br/2015-mai-15/mp-comemora-delegados-criticam-extensao-poder-investigar

  14. Polícia autônoma = MILÍCIA

    Polícia tem que ter comando e estar submetida à lei.

    Polícia fazendo blitz na casa de desafetos do delegado = Arbítrio

    Polícia investigando  seletivamente desafetos da mídia pra ganhar holofotes e prêmios de “Faz Diferença” = Neocoronelismo

    Polícia servindo de instrumento de chantagem = Estado Policial

    Polícia operando fora da Lei = Barbárie

  15. É simples:

    basta a PF trabalhar corretamente investigando todos ou caso contrário eles tem que ser exonerado pelo ministro da justiça. Me der o ministério da justiça. Eu garanto que eu colocaria ordem rapidinho no chiqueiro da PF.

     

  16. Parte da PF relaciona ministro da Justiça com empecilho à L. J.

    “O PT já procurava um nome para controlar a Lava Jato”, defendeu um integrante da PF dentro da força-tarefa, ao comentarista da rede Globo, Gerson Camarotti.

    Acredito que só os policiais federais que têm agido ilegalmente, usando em seus trabalhos as suas preferencias politiqueiras com o intuito de prejudicar partidos e políticos adversários a suas siglas de preferencia devam temer um MINISTRO da JUSTIÇA ATUANTE e HONESTO.

  17. Acho natural que pensem

    Acho natural que pensem assim.

    É a parte coxinha da PF, que aliás, muitos devem está preocupados, com a pulga atrás da orelha.

    Tem que começar detonando o diretor geral, depois os superintendentes do estado.

    Deixa por último a troca de toda PF do PR, a mesma que pedia dinheiro ao Moro com dinheiro em caixa.

    Acredito que esse MJ tem culhão para isso.

  18. Não dá para fazer um ESTADO
    Sem demissões.
    Pelo fim da estabilidade do funcionalismo!

    Se o PT não fizer, alguém fará. Controle a mudança que é inevitável.
    Aproveite que o PMDB vota junto.

    • Athos, em algum momento leste o RJU?

      Pergunto simplesmente porque o RJU Regimento Jurídico Único e als leis que o complementam, (http://www.cmm.am.gov.br/wp-content/uploads/2013/07/lei8112.pdf) verás que é mais fácil demitir um servidor público por justa causa do que um CLT.

      O problema não está na não existente estabilidade do servidor público, esta na responsabilização das chefias em não zelarem pelo cumprimento das leis.

      Talvez a única coisa que falte é isto, pois todos os tipos de problemas que dão origem ao mau funcionamento do serviço público estão lá contempladas, desde a falta ao serviço ou o mero artifício “do casaco dele está aí, ele que não está”, estão previstos nas leis, logo este teu comentário é mais algo impertimente do que real.

      • Vc não entendeu a proposta.
        Essa lei toda serve para justificar demissões.

        O que proponho com o fim da estabilidade do funcionalismo é exatamente o que as palavras querem dizer.
        Que haja demissões sem QUALQUER justificativa ou satisfação.

        Seria o fim da estabilidade do funcionalismo!
        Sabe aquele conceito japonês de que vc entra num lugar para trabalhar e fica lá a vida toda?
        Isso continua válido APENAS para aqueles que não tem qualquer atuação ideológica para ambos os lados…

        É um perigo? Sim é! Haverá turbulências? Sim haverá! Mas não há outro caminho que não a confiança em nos mesmos e NÃO NA LETRA DA LEI. Confiança nas pessoas, em seu Povo e num futuro melhor.

        Confiança é a chave para mudança! Este ateu te diz que vc TEM que ter fé!

        • Ah, ótimo!

          Demitir servidor público concursado a bangu, sem justificativa.

          Ótimo, ótima ideia! Demissão a bel-prazer de servidor público. Se o cara se recusar a fazer algo ilegal, demite. Se o cara insistir em cumprir a lei, demite. Se eu não for com a cara dele, demite. Se eu não gostar dele torcer pra outro time, demite.

          Graaaaande proposta!

  19. Policia sem controle, com

    Policia sem controle, com pauta própria e sem chefe é coisa de ditadura.

    Espero que o novo ministro coloque ordem na casa, processos administrativos pra quem fez coisa errada e demisão se comprovada a culpa.

    Tudo voltará ao normal.

  20. “delegados da PF que

    “delegados da PF que acreditam que um possível nome aliado à presidente Dilma na Justiça poderia brecar os avanços da Operação Lava Jato”

    O Brasil virou surrealista!!! Onde já se viu presidente nomear um aliado para ministro? Porque não ser ainda mais “republicano” e nomear um adversário? O Serra por exemplo. Os caras se acostumaram com o Cardoso agora deu nisso.

    PS: Fecho com o Fabio, quem reclamar muito tem que ser advertido e se for acaso afastado. E digo mais, intervenção já no comando da PF de Curitiba e bilhete azul para o tal Aliello para ontem

     

  21. Não há o que temer. O velho e

    Não há o que temer. O velho e sábio ditado popular já diz: quem não deve não teme. A PF é uma instituição séria e quem vinha fazendo alguna coisa errada tem que ser advertido. Chega de carnaval, queremos a polícia federal na sua essência, imparcial e investingando a todos. A PF não deve de maneira nenhuma aceitar as pressões da grande mídia. Já passou da hora de termos um ministro da justiça atuante e que aja com autoridade e sem autoritarismo. Os que estão reclamando estão colocando o carro diante dos bois.

  22. O novo Ministro

    Estamos vivendo uma etapa da vida nacional que beira a esculhambação. Estou entendendo que a Presidenta teria que escolher um Ministro da Justiça do agrado da PF?, será que todo o receio com o novo Ministro significa que existe, em algum lugar, algo a esconder?, esta é a conclusão a que se chega. Em lugar nenhum do mundo a policia se manifesta contra ou a favor da escolha de um Ministro de Estado, também a PGR/MPF não devem meter o bedelho em indicações de Ministro, a PGR deveria, isto sim, chamar ás falas os promotores que têm atuação nada republicana, arrahando a credibilidade da instituição e destruindo milhares de empregos impunemente, o salário deles já está garantido.

  23. Novo Ministro

    Que esse novo Ministro ponha ordem na PF, por fim ao apartaid que só privilegia delegados contra os demais cargos da mesma carreira policial federal. Em nenhum lugar existe o cargo de delegado, só no Brasil. Querem virar juristas que vá para o judiciário. Polícia é lugar de polícia. A pec 412 é da Gestapo, em nenhum lugar no mundo existe polícia sem controle do ministério público, só aqui que tentam esse absurdo. Reforma das polícias e PF já!

  24. O melhor Ministro da Justiça que a PF já teve!
    Nós Policiais Federais estamos muito satisfeitos com a escolha do novo Ministro. Agradou 90% de todo efetivo.

  25. Boa escolha.
    Um Ministro da Justiça do Ministério Público é sempre uma excelente escolha para dar mais credibilidade. Claramente será mal quisto pelos delegados que não querem ser subordinados a um membro do MPF, mas esquecem da sua real função dentro da persecução que é dar apoio. O que conta é que a grande maioria de policiais federais quer trabalhar diretamente com o MP e dará seu apoio ao novo Ministro!

  26. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome