Além de partes interessadas, quem assinou o manifesto contra a Lava Jato?

Mais da metade dos juristas e advogados que assinaram a carta aberta não defendem réus da Operação, que, por sua vez, representam uma minoria de 39 nomes do Direito
 
Jornal GGN – A repercussão do manifesto de mais de 100 advogados contra a Operação Lava Jato, publicada na última sexta-feira (15) em toda a grande imprensa, teve impacto nesta semana com os jornais atrelando os nomes do Direito à parcialidade, por se tratarem das defesas dos próprios réus das investigações. 
 
A ação endossada pelos veículos teve o apoio da Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e da Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe), que publicaram notas oficiais contra a carta aberta dos advogados. Além das entidades, que apresentam histórico de defesa do modus operandi do juiz da 13ª Vara de Curitiba, Sergio Moro, [Ler: bit.ly/1Wny2Klbit.ly/1JV686Ibit.ly/1PlVAtDbit.ly/1RPtkGt] os diários buscaram o posicionamento de outros alinhados com as práticas do grupo de procuradores e delegados da Polícia Federal.
 
O GGN selecionou quais advogados do manifesto são realmente defesas nos processos e inquéritos da Lava Jato, e quais não são. Foi identificado que mais da metade dos juristas e advogados que assinaram a carta aberta não tem envolvimento com nomes da Operação. De um total de 103 signatários, 39 são os que representam réus do processo, e 64 não defendem investigados no esquema de corrupção da Petrobras. Há, contudo, advogados que já tiveram nomes das empresas investigadas como clientes, em processos anteriores à Lava Jato.
 
Ao contrário do que divulgaram os jornais e entidades, essa maioria não defende hoje uma parte, mas integra um grupo de nomes do Direito que catalizam um extenso trabalho de denúncia, artigos e posicionamentos sobre as práticas do que consideram atentados contra o direito de defesa nas decisões de Sergio Moro, juiz da Vara Federal de Curitiba.
 
Nessa segunda parte não revelada pelos meios de comunicação, a maioria são juristas, mestres e doutores com significativos trabalhos acadêmicos, além de nomes de peso como Celso Antônio Bandeira de Mello, Fernando Santana, João Geraldo Piquet Carneiro, Lenio Luiz Streck, Pedro Estevam Serrano, Rafael Valim e Sergio Ferraz.
 
A lista de advogados e juristas que não defendem envolvidos na Lava Jato, com alguns artigos selecionados dos autores sobre o tema:
 
1) Alexandre Aroeira Salles
2) André de Luizi Correia
3) André Karam Trindade – Doutor em Direito, professor do Programa de Pós-Graduação em Direito da IMED e advogado. Artigo “Lava jato” é sintoma de que nem as palavras têm mais valor no Direito
4) André Machado Maya
5) Antonio Pedro Melchior
6) Antonio Tovo – Doutor em Direito Penal (USP) e mestre em Ciências Criminais (PUC-RS). Artigo Cruzada contra corrupção não pode prejudicar direito de ampla defesa
7) Ary Bergher
8) Augusto Jobim do Amaral 
9) Aury Lopes Jr. – Doutor em Direito Processual Penal, professor Titular de Direito Processual Penal da PUC-RS. Artigo Com delação premiada e pena negociada, Direito Penal também é lavado a jato
10) Bartira Macedo de Miranda Santos – Professora de Penal e Processo Penal na Universidade Federal de Goiás. Artigo Sérgio Moro vs Lenio Streck: quem ganhou o debate no IBCCRIM?
11) Bruno Aurélio – Diretor do Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos da Infraestrutura
12) Celso Antônio Bandeira de Mello – Entrevista Prisões da Lava Jato são usadas para coagir, diz jurista
13) Cezar Roberto Bitencourt – Advogado criminalista, professor do programa de pós-graduação da PUC-RS, doutor em Direito Penal pela Universidade de Sevilha, procurador de Justiça aposentado. Artigo Delação premiada na “lava jato” está eivada de inconstitucionalidades
14) Cleber Lopes de Oliveira
15) Daniela Portugal
17) Denis Sampaio
18) Djefferson Amadeus
19) Felipe Martins Pinto – Professor de Direito Processual Penal da UFMG e representante do Instituto dos Advogados de Minas Gerais (IAMG)
20) Fernando da Costa Tourinho Neto – Ex-presidente da Ajufe 
21) Fernando Santana – foi presidente da Comissão de Direitos de Garantia do Direito de Defesa e atual conselheiro federal da OAB – Entrevistas “Aumentar prazo para prescrição permite que Estado continue funcionando mal” e “Processo penal não é política”
22) Floriano Peixoto de Azevedo Marques Neto – professor da USP
23) Francisco Ramalho Ortigão Farias – Especialista em direito penal e professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
24) Gabriela Zancaner – Professora de Direito Constitucional da PUC/SP
25) Guilherme Henrique Magaldi Netto
26) Gustavo Alberine Pereira 
27) Gustavo Badaró – Doutor e Mestre em Direito Processual Penal pela USP. Artigos Quem está preso pode delatar? e Porque eu não comemoro a prisão do José Dirceu
28) Ilídio Moura 
29) Jader Marques
30) João Geraldo Piquet Carneiro – Foi ministro da Desburocratização (1983-1985), foi presidente da Comissão de Ética Pública da Presidência, é presidente do Instituto Helio Beltrão.
31) João Porto Silvério Júnior – Doutor em Direito Processual pela PUC/Minas e Università di Roma Tre. Mestre em Direito (Ciências Penais) pela UFG.
32) Kleber Luiz Zanchim – Presidente da Comissão de Estudos de Saneamento do Instituto dos Advogados de São Paulo (IASP), Doutor pela Faculdade de Direito da USP.
33) Lenio Luiz Streck – Jurista, professor de direito constitucional e pós-doutor em Direito. Artigos Como (não) se ensinava processo penal antes da “lava jato” e Embate entre Lenio Streck e Moro aborda resistência sobre delações
34) Leonardo Avelar Guimarães
35) Leonardo Canabrava Turra
36) Leonardo Vilela
37) Letícia Lins e Silva
38) Liliane de Carvalho Gabriel
39) Luiz Carlos Bettiol
40) Luiz Guilherme Arcaro Conci – Professor de Direito Constitucional da PUC-SP. Entrevista Operação Lava Jato reflete fortalecimento da PF, dizem juristas
41) Marcelo Turbay Freiria
42) Marcos Eberhardt – Advogado, conselheiro da OAB e professor da PUC-RS. Artigo Revelar bilhete de preso para advogado viola sigilo
43) Marcos Paulo Veríssimo – Professor do Departamento de Direito do Estado da Faculdade de Direito da USP, foi conselheiro do Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica)
44) Mariana Madera
45) Marina Cerqueira – Professora de Direito Penal da UNIJORGE
46) Maurício Dieter – Professor da Faculdade de Direito da USP
47) Maurício Portugal Ribeiro – Mestre em Direito pela Harvard Law School, autor de vários livros e artigos sobre concessões e PPPs
48) Maurício Zockun – Professor de Direito Administrativo da PUC-SP
49) Miguel Tedesco Wedy – Professor da Unisinos, advogado criminalista, doutor pela Universidade de Coimbra. Artigo Erros e acertos da Lava-Jato
50) Nestor Eduardo Araruna Santiago – Advogado criminalista, doutor em Direito, professor do Curso de Pós-Graduação em Direito da Unifor e professor da Faculdade de Direito da UFC. Artigos Direito Penal, Processo Penal e Constituição e Confronto das Ideias
51) Pedro Estevam Serrano – professor de Direito Constitucional da PUC-SP, mestre e doutor em Direito do Estado pela PUC/SP com pós-doutorado pela Universidade de Lisboa. Artigo O juiz acusador e a audiência de custódia e Entrevista Lava Jato cria processo stalinista, diz advogado
52) Pedro Ivo Velloso
53) Pedro Machado de Almeida Castro – Mestre em Direito Processual Penal pela USP. Professor Voluntário de Direito Penal da UnB
54) Rafael Nunes da Silveira
55) Rafael Valim – Presidente do Instituto Brasileiro de Estudos Jurídicos da Infraestrutura. Entrevista Lava Jato: impasse no abismo
57) Roberto Garcia
58) Rogerio Maia Garcia – Mestre em Ciências Criminais e especialista em Direito Penal
59) Salah H. Khaled Jr. – Professor de Direito da PUC/RS
60) Sergio Ferraz – Membro da Academia Brasileira de Letras Jurídicas. Em 2006, escreveu relatório da OAB sobre a possibilidade de impeachment contra o ex-presidente Lula
61) Thiago M. Minagé – Doutorando e Mestre em Direito. Professor de Penal da UFRJ/FND. Professor de Processo Penal da EMERJ. Autor da Obra: Prisões e Medidas Cautelares à Luz da Constituição. Artigo Princípios óbvios não são aplicados à prisão preventiva
62) Tito Amaral de Andrade
63) Victoria de Sulocki – Professora da PUC-Rio, Presidente da Comissão de Direito Penal
64) Weida Zancaner – Mestre em Direito Administrativo
 
A seguir, quem são os advogados de réus da Lava Jato que assinaram o manifesto:
 
1) Alexandre Lopes – Defesa Renato Duque 
2) Alexandre Wunderlich – Cinco réus da empreiteira Odebrecht
3) Antonio Carlos de Almeida Castro (Kakay) – Defende a ex-governadora Roseana Sarney (PMDB-MA), o ex-ministro e senador Edison Lobão (PMDB-MA) e os senadores Ciro Nogueira (PP-PI) e Romero Jucá (PMDB-RR) 
4) Antonio Claudio Mariz de Oliveira – Defendeu o vice-presidente da Camargo Correa Eduardo Hermelino Leite.
5) Antônio Sérgio A. de Moraes Pitombo – Defesa vice-presidente da Engevix Gerson de Mello Almada
6) Antonio Vieira – Um dos advogados de Marcelo Odebrecht
7) Augusto de Arruda Botelho – Um dos advogados da Odebrecht
10) Dora Cavalcanti – Defesa da Odebrecht
11) Eduardo Carnelós – Advogado de Rosely Santos, ex-esposa do prefeito cassado de Campinas, Hélio de Oliveira Santos (PDT)
12) Eduardo de Moraes – Defesa de Jorge Zelada
13) Eduardo Sanz – Defesa João Procópio e de Schahin
14) Edward de Carvalho – Um dos advogados da OAS
16) Guilherme San Juan – Defesa de Flávio Lúcio Magalhães, diretor da Andrade Gutierrez, e de Rubens Taufic Schahin
17) Guilherme Ziliani Carnelós – Advogado de Rogério Araújo, da Odebrecht
18) Hortênsia M. V. Medina – Advogada de Edison Lobão
19) Jacinto Nelson de Miranda Coutinho – Defende executivos da OAS
20) José Carlos Porciúncula – Um dos advogados de Marcelo Odebrecht
23) Luiz Henrique Merlin – Defesa de João Procópio
24) Luiz Tarcisio T. Ferreira – Advogado da empreiteira UTC
25) Maira Salomi – Integra banca de advocacia do ex-ministro da Justiça Márcio Thomaz Bastos, representa Edinho Silva
26) Marco Aurélio Nunes da Silveira – Defendeu Othon Zanoide de Moraes Filho e Ildefonso Colares Filho, da Queiroz Galvão
28) Nélio Machado – Defensor do operador Fernando Soares e de Paulo Roberto Costa
29) Nilson Naves – Ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça, defesa do senador Valdir Raupp (PMDB-RO)
30) Paulo Emílio Catta Preta – Advogado de Jaqueline Roriz
31) Rafael Tucherman – Um dos advogados de Marcelo Odebrecht
32) Renato de Moraes – Advogado de Renato Duque
33) Roberta Cristina Ribeiro de Castro Queiroz – Uma das advogadas de Edison Lobão
34) Roberto Podval – Advogado de José Dirceu
35) Roberto Telhada – Advogado da OAS
37) Thiago Tibinka Neuwert – Defesa de João Procópio
38) Tiago Lins e Silva – Sócio de Técio Lins e Silva 
39) Ticiano Figueiredo – Defende o réu Carlos Habib Chater
 
***
 

Abaixo, a carta aberta:

Leia também:  TV GGN: porque a mídia embarcou na Lava Jato

No plano do desrespeito a direitos e garantias fundamentais dos acusados, a Lava Jato já ocupa um lugar de destaque na história do país. Nunca houve um caso penal em que as violações às regras mínimas para um justo processo estejam ocorrendo em relação a um número tão grande de réus e de forma tão sistemática. O desrespeito à presunção de inocência, ao direito de defesa, à garantia da imparcialidade da jurisdição e ao princípio do juiz natural, o desvirtuamento do uso da prisão provisória, o vazamento seletivo de documentos e informações sigilosas, a sonegação de documentos às defesas dos acusados, a execração pública dos réus e o desrespeito às prerrogativas da advocacia, dentre outros graves vícios, estão se consolidando como marca da Lava Jato, com consequências nefastas para o presente e o futuro da justiça criminal brasileira. O que se tem visto nos últimos tempos é uma espécie de inquisição (ou neoinquisição), em que já se sabe, antes mesmo de começarem os processos, qual será o seu resultado, servindo as etapas processuais que se seguem entre a denúncia e a sentença apenas para cumprir ‘indesejáveis’ formalidades.

Nesta última semana, a reportagem de capa de uma das revistas semanais brasileiras não deixa dúvida quanto à gravidade do que aqui se passa. Numa atitude inconstitucional, ignominiosa e tipicamente sensacionalista, fotografias de alguns dos réus (extraídas indevidamente de seus prontuários na Unidade Prisional em que aguardam julgamento) foram estampadas de forma vil e espetaculosa, com o claro intento de promover-lhes o enxovalhamento e instigar a execração pública. Trata-se, sem dúvida, de mais uma manifestação da estratégia de uso irresponsável e inconsequente da mídia, não para informar, como deveria ser, mas para prejudicar o direito de defesa, criando uma imagem desfavorável dos acusados em prejuízo da presunção da inocência e da imparcialidade que haveria de imperar em seus julgamentos – o que tem marcado, desde o começo das investigações, o comportamento perverso e desvirtuado estabelecido entre os órgãos de persecução e alguns setores da imprensa.

Ainda que parcela significativa da população não se dê conta disso, esta estratégia de massacre midiático passou a fazer parte de um verdadeiro plano de comunicação, desenvolvido em conjunto e em paralelo às acusações formais, e que tem por espúrios objetivos incutir na coletividade a crença de que os acusados são culpados (mesmo antes deles serem julgados) e pressionar instâncias do Poder Judiciário a manter injustas e desnecessárias medidas restritivas de direitos e prisões provisórias, engrenagem fundamental do programa de coerção estatal à celebração de acordos de delação premiada.

Está é uma prática absurda e que não pode ser tolerada numa sociedade que se pretenda democrática, sendo preciso reagir e denunciar tudo isso, dando vazão ao sentimento de indignação que toma conta de quem tem testemunhado esse conjunto de acontecimentos. A operação Lava Jato se transformou numa Justiça à parte. Uma especiosa Justiça que se orienta pela tônica de que os fins justificam os meios, o que representa um retrocesso histórico de vários séculos, com a supressão de garantias e direitos duramente conquistados, sem os quais o que sobra é um simulacro de processo; enfim, uma tentativa de justiçamento, como não se via nem mesmo na época da ditadura.

Magistrados das altas Cortes do país estão sendo atacados ou colocados sob suspeita para não decidirem favoravelmente aos acusados em recursos e habeas corpus ou porque decidiram ou votaram (de acordo com seus convencimentos e consciências) pelo restabelecimento da liberdade de acusados no âmbito da Operação Lava Jato, a ponto de se ter suscitado, em desagravo, a manifestação de apoio e solidariedade de entidades associativas de juízes contra esses abusos, preocupadas em garantir a higidez da jurisdição. Isto é gravíssimo e, além de representar uma tentativa de supressão da independência judicial, revela que aos acusados não está sendo assegurado o direito a um justo processo.

É de todo inaceitável, numa Justiça que se pretenda democrática, que a prisão provisória seja indisfarçavelmente utilizada para forçar a celebração de acordos de delação premiada, como, aliás, já defenderam publicamente alguns Procuradores que atuam no caso. Num dia os réus estão encarcerados por força de decisões que afirmam a imprescindibilidade de suas prisões, dado que suas liberdades representariam gravíssimo risco à ordem pública; no dia seguinte, fazem acordo de delação premiada e são postos em liberdade, como se num passe de mágica toda essa imprescindibilidade da prisão desaparecesse. No mínimo, a prática evidencia o quão artificiais e puramente retóricos são os fundamentos utilizados nos decretos de prisão. É grave o atentado à Constituição e ao Estado de Direito e é inadmissível que Poder Judiciário não se oponha a esse artifício.

É inconcebível que os processos sejam conduzidos por magistrado que atua com parcialidade, comportando-se de maneira mais acusadora do que a própria acusação. Não há processo justo quando o juiz da causa já externa seu convencimento acerca da culpabilidade dos réus em decretos de prisão expedidos antes ainda do início das ações penais. Ademais, a sobreposição de decretos de prisão (para embaraçar o exame de legalidade pelas Cortes Superiores e, consequentemente, para dificultar a soltura dos réus) e mesmo a resistência ou insurgência de um magistrado quanto ao cumprimento de decisões de outras instâncias, igualmente revelam uma atuação judicial arbitrária e absolutista, de todo incompatível com o papel que se espera ver desempenhado por um juiz, na vigência de um Estado de Direito.

Por tudo isso, os advogados, professores, juristas e integrantes da comunidade jurídica que subscrevem esta carta vêm manifestar publicamente indignação e repúdio ao regime de supressão episódica de direitos e garantias que está contaminando o sistema de justiça do país. Não podemos nos calar diante do que vem acontecendo neste caso. É fundamental que nos insurjamos contra estes abusos. O Estado de Direito está sob ameaça e a atuação do Poder Judiciário não pode ser influenciada pela publicidade opressiva que tem sido lançada em desfavor dos acusados e que lhes retira, como consequência, o direito a um julgamento justo e imparcial – direito inalienável de todo e qualquer cidadão e base fundamental da democracia. Urge uma postura rigorosa de respeito e observância às leis e à Constituição brasileira.

 

116 comentários

  1. Criminalização dos honorários dos advogados.
    Há uma nitida tentativa a meu ver de criminalizar os honorários dos advogados de defesa…Mas de forma seletiva, claro, pois a despeito disto não vi a Folha, Veja ou o Globo questionarem os honorário do Ex, PGR advogado do Eduardo CUNHA, o Ex-PGR Antonio Fernando Barros e Silva de Souza…Contudo os advogados dos reus da Lava-Jato são exrcrados publicamente. A Lava-Jato ganhou ares de celebridade e seus integrantes se tornaram deus dogmáticos; não se podem ser criticados ou não se podem apontar seus exessos e erros. Ao criminalizar os advogados de defesa e seus soldos torna-se nossa democracia ainda mais fragil. O foco desta criminalização todos sabemos: Lula e o PT. E o resto( democracia, estado democratico de direito…) que se dane…para estes intocáveis a lei é só o que vêem dela. O Juiz Moro antes dr analizar os autos do processo já assume a tese da promotoria. E isso é visto pela imprensa como avanço…este tal avanço está atropelando nossas conquistas democráticas.

  2. Prezados, como  leigo 

    Prezados, como  leigo  quero   entender mais:   Os advogados que assinam esta   carta são  pessoas com   nótorio  saber  juridico e  reconhecidos.

    Como  este Juiz,  Sergio Moro,  que até  2013/2014,  era um  desconhecido?  sem notorieadade?  tem  tanto  poder assim? Ele era  desconhecido até no Paraná,  e desde a lava Jato, a Grande Mídia (Globo, Veja, FSP, etc..)  o transformou em   homem mais poderoso do direito e acima da Constituição, conforme esta na Carta Aberta dos Advogados.  E o STF, só  tem  carneirinhos lá,  todos subservientes ao que ele decide e interpreta a tal  dita Lei?

    Será possivél?

     

     

    • Conforme já foi dito várias vezes,

      o assunto principal da operação vaza-a-jato ainda não chegou nos tribunais superiores. Quando chegar, se ainda restar um mínimo de respeito pela Constituição e pelo ordenamento jurídico como um todo, o processo será anulado ab initio, já que desde a Idade Média não se tem notícia, no mundo dito civilizado, de um caso como este, em que a mesma pessoa preside (ainda que informalmente) as investigações, orienta a denuncia e depois põe no papel o julgamento que já fizera antes de o processo começar.

    • Pois é… uma teoria que não fecha.

      Todos esses advogados têm amplo acesso ao STF. E o STF, uma vez acionado, tem atendido ao que considere como “fora do escopo” da Operação Lava Jato. E se há uma coisa que a lei brasileira e os tribunais garantem são chicanas jurídicas.

      O esperneio dos advogados está justamente na eficiência com que a investigação está se desenvolvendo. As usuais chicanas que praticam não estão funcionando aqui, justamente porque as ações da Lava Jato encontram-se muito bem fundamentadas. Há poucas brechas.

      O avanço em direção a figurões graúdos da República está se dando de forma bem gradual. Quando chega o carro do “Japonês da Federal”, é porque já há mais evidências do que o que normalmente se costumava reunir em investigações do gênero. Há advogados cujas carreiras foram construiídas em cima de falhas nessas investigações, falhas que não se repetiram aqui..

      Se o Brasil era o país da impunidade, muito disso se devia a investigações mal conduzidas e que eram facilmente desmontadas junto aos tribunais. Havia muito voluntarismo e pouca atenção às Leis. A Operação Lava Jato estabeleceu um novo padrão. E os advogados entraram em pânico.

       

      • Caro Renato Ferreira Lima

        Caro Renato Ferreira Lima,

        Não é bem assim, o judiciário e as leis não foram feitos para garantir chicanas. Não tenho visão tão depreciada da totalidade do Judiciário, mas, claramente, Curitiba é câncer que enfraquece a instituição judiciária, o que já é grave. O mais grave, porém, é que, desrespeitando direitos fundamentais dos cidadãos, fere de morte o Estado democrático de direito.

        Na realidade, o que há é tentativa de substituir os antigos achacadores que vitimizam os que produzem no Brasil, por outros, por isto o afã e atingir grandes empresas brasileiras. Aliás, as multinacionais parecem estar a salvo da ira moralista curitibana. Há luta intestina no Estado pelo protagonismo junto à Sociedade, especialmente junto aqueles do segmento produtivo. Quem produz tem de saber quais são os poderosos do momento aos quais terão de pedir a benção. É como se a turma que achaca nos Detrans estivesse sendo atacada por outra que pretende tomar o lugar da antiga para achacar.

        Você pode achar que o “esperneio” dos advogados é por causa da “eficiência”, como você diz, da investigação. Os advogados, porém, nada falaram de investigação, mas de julgamentos em que o direito de defesa é sistematicamente desrespeitado na Lava Jato. Essa história de “esperneio” e “eficiência” não tem base nos fatos, é, apenas, ilação sua de má qualidade.

        Quem já teve, para poder trabalhar, de pagar propina sem ter a quem recorrer, pois o sistema estava corrompido em larga parcela, sabe que empresários foram e são vítimas. Pagar propina para poder trabalhar é o cúmulo da esculhambação. Agora, os novos poderosos baseados em Curitiba querem vitimizar, não apenas empresários, mas, também, empresas, isto é, empregados, clientes, fornecedores e o próprio Estado extinguindo pagador de impostos. Não é uma estupidez? Sem empresas, as vacas leiteiras, todo esse oba oba de juízes, promotores e policiais morre por falta de grana.

        Tem mais, essa investigação, apesar do esforço de Moro de criar fatos consumados, desmoronará futuramente, exatamente por ter sido pessimamente conduzida. 

        Abraço

        • A esperança é a última que

          A esperança é a última que morre. Mas morre. Até lá continue esperando e torcendo pelso gatunos desesperados.

          • Prezado Josiel Nunes

            Prezado Josiel Nunes,

            Tenho da admitir que você trouxe contribuição relevantíssima ao debate. Que visão e que argumentos! Parabéns! É de gente como você, que pensa e não se pauta apenas por  bordões, que, digamos, Uganda precisa.

            Abraço.

        • Hummmm!!! Sr. Ramalho 12 ou

          Hummmm!!! Sr. Ramalho 12 ou seria 13… Me empresta essa sua bola de cristal, ligada diretamente dentro da carceragem curitibana.

  3. O diabo mora nos detalhes, ou aula de jornalismo

    Excelente matéria, absolutamente factual e que desmonta completamente a falácia do argumentum ad hominem, preferida dos enganadores e dos que têm déficit intelectual. Essas pessoas, por serem intelectualmente canalhas, ou por serem incapazes de contestar argumentos, ou por ambas razões, atacam quem argumenta, em vez de contestarem os argumentos. O intuito dessa gente é tirar o foco da questão sob análise. Neste caso específico, a questão são os desmandos absurdos do Judiciário, MPF e PF, mas os canalhas e os idiotas trocaram-na por quem assinou o manifesto dos advogados. A questão é o fascismo e o stalinismo judicial, e não se os signatários do manifesto são, ou não, defensores dos que estão sendo violentados pelo trio Judiciário, MPF e PF. A matéria irrespondível arrasa com a mentirada da AJUFE e da imprensa familiar, é aula de jornalismo

  4. O direito da defesa

    Desqualificar  a carta  porque existem 39 advogados de defesa é cercear o direito de defesa é  afirmar que  vítimas não podem se defender.

    Isto é mais uma tentativa de cercear a defesa,em regimes totalitários isto era regra. Parece que querem afirmar que :

    À vitima sob cabe a confissão!!!!

  5. Vc. é muinto tendêncioso, não

    Vc. é muinto tendêncioso, não conhece o corporativismo dessa classe, seria de uma ingênuidade tacanha imaginar que só os envolvidos assinariam tal manifesto. 

    • A manifestação desse grupo me

      A manifestação desse grupo me faz lembrar de uma estória (ou história verdadeira ??) de alguém que foi ao escritório de um famoso advogado para tratar de uma pendenga na Justiça e 

      perguntou – Quanto o sr. cobra de honorários para uma consulta  ?

      O advogado :  – Quinhentos reais cada uma.  Pode fazer a segunda 

    • No caso só se for um

      No caso só se for um corporativismo do bem. Pois a classe de advogados se unir entorno do direito de defesa é tudo que se espera de quem acredita no que faz.

      Se o advogado não crê que o réu, qualquer que seja ele, tem direito às garantias constitucionais*, porque escolheu essa profissão? E se uma sociedade acha que estes profissionais só atrapalham o combate ao crime na “terra da impunidade” que se proponha logo a extinção de tal profissão.

      *A falta de observância dessas garantias na Lava a Jato estão todas apontadas na carta, e os exemplos abundam. 

  6. I

    Este manifesto contra a operação Lava Jato, é por se tratar de pessoas com alto poder aquisitivo, da alta sociedade brasileira, porque não indignarmos pelos presos injustamente em nossas prições, onde vivem seres humanos em situação totalmente desumana, com precariedade total. 

    Vamos defender os inocentes presos sem condições de defesa em nossos presídios.

    • Tu leste um artigo do Nassi, ontem,

      quando ele trata deste assunto? Recomendo, pois talvez tu passes a pensar um pouco diferente.

      Não é relegando o direito a alguns para igualar aos que já não tem, que vamos resolver nosso problemas de falta de justiça. Tu te comportas como um justiceiro, desejando aos outros (os de alto poder aquisitivo) o que milhares sofrem diariamente nas prisões. Quem quer justiça, quer para todos. Vamos juntos, lutar por um sistema que funcione para todos, então, mas não vamos cair nesta de que alguns merecem sentir na pele o que os desafortunados sentem já há muito tempo.

  7. Além de partes interessadas, quem assinou o manifesto contra a L

    Fico assustado com tanta gente de bem defendendo uma mesma causa………..

     

    • Prezado Carlos Alberto Tomaz

      Prezado Carlos Alberto Tomaz,

      Poderia fazer o favor de dizer por que lhe assusta tanta gente de bem defender uma mesma causa? E qual seria a causa? Desde já, lhe agradeço.

      Abraço.

  8. Lamentável um artigo

    Lamentável um artigo tendencioso. Defensores da impunidade. Engraçado que as “cartas abertas” são assinadas somente quando existem “figurões” sendo processados. Quanta hipocrisia

    • Prezado Roberto de Almeida

      Prezado Roberto de Almeida

      Por que tendencioso? O artigo não emitiu opinião, foi factual, relacionou os fatos. Vosmecê poderia dizer como, ao noticiar fatos comprováveis, se pode ser tendencioso?

      O artigo é brilhante: desmonta a alegação mentirosa de que o manifesto foi assinado apenas por defensores de réus na Lava Jato, usando para tal, apenas, os fatos. Subjacentemente, o que se depreende do artigo é que os desmandos da Lava Jato põem em perigo toda a Sociedade que fica ao arbítrio de juiz que, ao arrepio da lei e sem condenação consequente a devido processo legal, prende inocentes, pois quem não foi condenado em última instância e segundo processo respeitador de seus direitos, é inocente. O artigo é brilhante.

      Se há tendenciosidade, é a sua, pois você emite opiniões condenatórias sobre o artigo sem qualquer fundamento, lança apenas julgamentos condenatórios vazios de argumentos. Cá pra nós, você até parece o Moro.

      Abraço.

  9. CARTA CONTRA A LAVA-JATO

    Eu até concordo com vários pontos colocados pelos jursitas na carta. Mas não me lembro de ter visto estes mesmos juristas publicando uma carta contra as terríveis condições de nossas penitenciárias, sobre a condenação de inocentes, sobre a liberdade de criminosos. Assim como nunca vi uma manifestação deles, contrária a tudo que o governo do PT, junto com os bandidos que os renomados juristas tentam vitimizar, está fazendo de forma contrária ao que determina o Direito, atentando contra a Economia, a democracia e a ética nesse nosso país carente de um Código Civil e Penal que garantam à sociedade que os culpados não ficarão impunes e que os inocentes não serão condenados, qualquer que seja a cor de seus colarinhos. 

  10. A dor no bolso desses

    A dor no bolso desses advogados é maior do que a irresponsabilidade quando se trata da defender criminosos que não conseguem provar que as falcatruas denunciadas são falácias.

    Estamos vivenciando uma grande mudança na forma de agir da polícia e do juízado, de forma a não dar motivos que possam levar esses advogados a questionarem as provas anunciadas contra esses bandidos. Essa gritaria toda, forjada por esse  pretensos defensores da lei, não é nada mais do que a defesa dos seus próprios interesses, presentes e futuros, porque correm o risco de perderem a capacidade de desqualificar provas irrefutáveis, em função de vícios da legislação. Deveria ter uma lei para punir os advogados que defedem crimes transitados em julgados. Só assim a justiça seria igual para todos.

    • Estou vendo que o blog do

      Estou vendo que o blog do Nassif foi invadido por trolls do fã clube Moro. Interessante principalmente porque eles nos dão de bandeja exemplos bem explícitos do que os advogados estão falando na carta. Este troll especificamente diz: 

      “criminosos que não conseguem provar que as falcatruas denunciadas são falácias.”

      Putz, o beabá do direito. Presunção de inocência, quem tem que provar é a acusação, essas coisas, para que? Está na constituição? Não vem ao caso.

      PS: Estamos assistindo ao fenômeno da multiplicação dos analfabetos políticos e dos analfabetos jurídicos (geralmente a pessoa possui concomitantemente essas duas qualidades)

      • Fato, é só olhar para os lados.

        Presunção de inocência não tem nada que ver com a situação dos criminosos da Lava Jato que você pretende comicamente criticar. Os criminosos já foram julgados com todos seus direitos constitucionais assegurados, começando pela presunção da inocência. Diante das evidências produzidas pelo MPF, as acusações foram acolhidas e a defesa teve depois todos os meios e tempo para realizar seu trabalho, mas no final o juiz considerou os réus culpados. A defesa não aceitou o veredito e recorreu imediatamente a instâncias superiores, que lhes responderam em questão de poucos meses, bem diferente do que acontece com os pobres diabos que mofam nas cadeias do país. E a resposta foi a mesma: a sentença do juiz de 1ª instância foi mantida e por isso os réus continuam na cadeia.

        Talvez você pense que nenhum ministro da nossa Suprema Corte sabe o que é presunção de inocência. Talvez você acredite mesmo numa multiplicação de analfabetos jurídicos no TRF e no STF, que seria “evidenciada” pelo fato de TODOS os desembargadores e ministros desses orgãos superiores do Judiciário discordarem da sua opinião sobre a Lava Jato. Enfim, é um direito seu acreditar no que quiser. Mas eu conservaria esse tipo de crença comigo, para não passar vexame por aí. E teria ainda mais pudor em ousar chamar toda essa gente de “analfabeto jurídico”, quando meu próprio conhecimento sobre o assunto é tão “notório”.

        • Prezado Josiel Nunes

          Prezado Josiel Nunes,

          A Lava Jato já foi julgada pelo Supremo? Pelo que você escreveu, sim. Então, por favor, informe onde posso achar o acórdão correspondente. Desde já, agradeço.

          Abraço.

  11. Lista e controvérsia

    Os poderes estão corrompidos e também a sociedade civil organizada. As organizações sociais, em sua maioria, são beneficiárias de um esquema ou de outro. Apontem também as que não são.

    Precisamos mais do que críticas. Nenhum dos senhores signatários apresentaram sugestões de melhoria. Criticar é fácil. Se fôssemos seguir a lei ao seu estrito registro ainda estaríamos discutindo até hoje se houve realmente os crimes apontados na operação Lava Jato.

    • Quer dizer que não precisa discutir se houveram crimes?

      Basta condenar e pronto? Parabéns, tens futuro junto à vara de Guantánamo do PR.

      Desejo, sinceramente que nunca sejas condenado sem poder se defender. Porque neste pais, atualmente, basta um “ouvi falar dizer” para ser preso sem direito à plena defesa.

      • LAVA JATO

        Respeito a opinião do Sr Roberto Monteiro, mas esse tipo de crime não deixa recibo, não existe agressão, etc é muito difícil de ser provado. Ela tem que ser baseado em testemunhos que depois são provados de alguma forma.  Os reús tem tido o direito de se defender, haja visto que os tribunais superiores não tem descredenciados os atos do Juiz Sergio Moro. É que nós não estaos acostumados a seceridade dos julgamentos e o rigor que tem sido aplicados, que no meu intender é muito salutar. Os corruptos roubam sem deixar rastro os recursos que deveriam ir para saude, educação, segurança, etc. e são os maiores responsáveis pelos milhares de brasileiros tem tem morridos torturados nos hospitais e na criminalidade de um modo geral. Só crimes são mais de 50.000 mortes por ano, mais morto do que no Iraque, pais em guerra. Embora esses reús pareçam que seus crimes não foram contra a vida, foram si, o povo está morrendo por falta desse dinheiro.

         

      • LAVA JATO

         

        CONTESTANDO.

        Respeito a opinião do Sr Roberto Monteiro, mas esse tipo de crime não deixa recibo, não existe agressão, etc é muito difícil de ser provado. Ela tem que ser baseado em testemunhos que depois são provados de alguma forma.  Os reús tem tido o direito de se defender, haja visto que os tribunais superiores não tem descredenciados os atos do Juiz Sergio Moro. É que nós não estaos acostumados a seceridade dos julgamentos e o rigor que tem sido aplicados, que no meu intender é muito salutar. Os corruptos roubam sem deixar rastro os recursos que deveriam ir para saude, educação, segurança, etc. e são os maiores responsáveis pelos milhares de brasileiros tem tem morridos torturados nos hospitais e na criminalidade de um modo geral. Só crimes são mais de 50.000 mortes por ano, mais morto do que no Iraque, pais em guerra. Embora esses reús pareçam que seus crimes não foram contra a vida, foram si, o povo está morrendo por falta desse dinheiro.

         

      • Tem razão. Que crime afinal cometeram?

        Nenhum crime foi provado. A gente só ouviu falar na imprensa que a Petrobras perdeu bilhões de reais de patrimônio por força de corrupção, mas não viu prova alguma. Nada foi provado. Duvido inclusive que esse dinheiro tenha saído dos cofres da empresa. Trata-se de um imenso complô midiático-jurídico-tucano que certamente envolve também a Tesouraria da empresa e os auditores externos, que fraudaram os documentos contábeis apresentados aos acionistas para fazer parecer que houve corrupção e propina, quando na verdade nenhum centavo sequer foi surrupiado dos cofres públicos. Até mesmo aquele bilhão e meiod e reais “devolvido” pelos réus confessos, na verdade nunca saiu dos cofres da empresa. É tudo parte da jogada. Assim que o PSDB voltar ao poder o dinheiro reaparecerá como mágica no caixa da empresa e a Petrobras recuperará todo o valor perdido nos últimso anos em dobro, ou em triplo.

  12. Lava jato é cortina de fumaça p encobrir o bastidor

    Tudo muito previsível até aqui. A lava jato e toda a repercussao é para encobrir as decisoes que estao sendo tomadas no bastidor da economia para dominaçao total do país. E o estado de abusos e arbitrariedades no Brasil, com as bençaos da mais alta roda de magistrados, irá aumentar e muito daqui prá frente, podem esperar.., porque ainda tem muita gordura para queimar até o caos completo,afinal, ordem dada é minssao cumprida. Os escandalos de corrupçao tendo a lava jato o seu maior expoente servem a várias frentes ao mesmo tempo: de pressao e descontrole social, de pressao política e, principalmente, como cortina de fumaça para desviar a nossa atenção das chantagens de bastidor na área economica para criaçao e adequaçao de leis que cumpram à risca as determinaçoes do FMI e Banco Mundial em documento de junho de 2013 com recomendações para implementaçao de política macroeconomica pelo Brasil, a exemplo da independencia do Banco Central, acelerar privatizaçoes da CEF, BB para aumentar a participaçao dos bancos privados, empoderamento do Banco Central para fornecer resursos para recaptalizaçao da banca[enquanto os bancos estao tendo lucros o lucro é deles, mas  quando tem prejuízo aí o prejú é “nosso” entao teremos que recaptalizar esses bancos], retirar encargos trabalhistas e legais em caso de fusao ou incorporaçao excluindo tais responsabilidades para o sucessor[ex hsbc que foi embora e vendeu o banco, e aí como fica a situaçao dos empregados?]. estimular a particiaçao privada em investimentos imobiliários[isso quebrou bancos nos eua na crise de 2008, lembram-se?], recomendação para a Bovespa rever mecanismos de compensaçao de investidores contra perdas nos mercados de capital devido a erro operacional[havendo erro opercaional o investidor ficaria desobrigado de compensar perdas] e muito mais[assistam ao vídeo abaixo e saibam mais]. Mas isso nao é atoa – tem que bagunçar mesmo..pois assim é que se domina tudo e todos.. 

    Em 515 anos o Brasil foi tomado de assalto por um exército sem identidade brasileira.. Esse circo em que o judiciário está metido até os dentes é teleguiado de fora dos limites do país. Essa gente do sistema financeiro mundial angloamericano nao perdoa a reeleiçao da Dilma. O candidato deles, que era fava contada, para entregar tudo era o aécim. É claro que viriam prá cima com tudo. A corrupçao dessa gente maldita para funcionar conta com a corrupção institucionalizada  Nao basta para essa gente, escória do mundo, comandar a nossa Fazenda e adjacências[Secretaria do Tesouro, Banco Central e Planejamento- sobre isso assistam ao vídeo 1 a partir dos 05:57], eles querem mais, querem avançar em tudo. Não atoa é que miram agora na Previdencia e já se fala em desvinculação das receitas constitucionais da seguridade social, Ainda haverá esperanças se não não entregarmos o Banco Central para os bancos privados e conseguirmos fazer a tão sonhada auditoria da dívida pública[o vídeo 2 explica tudo isso muito bem a partir dos 13 min, se tiverem paciencia, vale muito a pena]

    À propósito, ontem em[http://jornalggn.com.br/noticia/falta-estrutura-e-planejamento-ao-ministerio-publico-no-combate-a-corrupcao] Márcio Berclaz, um Promotor de Justiça no Estado do Paraná, um brasileiro bem intencionado, em seu artigo, ao meu ver, até pegou leve, bem leve,  em relaçao a gravidade da situaçao que envolve instituiçoes brasileiras, em especial ao Ministério Público, a  instituiçao da qual ele faz parte. Ele foi discretíssimo na crítica mas chamou a minha atençao o seguinte trecho porque diz tudo sobre quais interesses o MP está defendendo[incluo por mimnha conta as outras instituiçoes da justiça]: “[…] no que diz respeito à eficiência da atuação do Ministério Público no tema[…] sobram espinhos que precisam ser identificados e extirpados. Perceber esses problemas a partir de dentro tem como objetivo colocar o dedo sobre um problema na expectativa de que, para além das instâncias internas e democráticas de controle, tal diagnóstico crítico sirva para despertar o cidadão e as entidades da sociedade civil para a relevância do tema, especialmente quando a política interna do Ministério Público enfrenta as mesmas dificuldades da política tradicional, quando a instituição, em verdade, não existe para atender aos interesses, pretensões e desejos dos seus membros e servidores, mas à coletividade. 

    VIDEO 1

    https://www.youtube.com/watch?v=3a51hUtBmS8

    VÍDEO 2

    https://www.youtube.com/watch?v=7I_TZQLgPBo

  13.  
    Por que essa “lava jato”

     

    Por que essa “lava jato” não faz uma autidoria na dívida pública brasileira ???

  14. Excelente Artigo
    Falta à Ajufe um mínimo hábito de ler ( o contexto e as informações pertinentes ) antes de escrever… Quanto ao MP, bem, este é o único MP Federal de um Estado: a Res Publica do Paraná. Que está falida…

  15. todo dia tem gente humilde

    todo dia tem gente humilde tendo os seus direitos e garantias sendo  desrespeitetados ,e nunca eles se pronunciaram, com nenhum manifesto ,quem sabe agora eles tenham coragem de defender o direito dessas pessoas e não so de politicos e empresarios que estão sendo julgados  por corrupção e desvio de dinheiro.

     

     

     

    • Quais são os quais são petistas militantes ou simpatizantes?

      O Nassif poderia melhorar a tese dele, identificando entre os signatários, quais são petistas militantes ou simpatizantes indignados com a prisão de companheiros e quais deles defendem Dilma do impechment.

  16. Parabéns ao pessoal da GGN

    Parabéns ao pessoal da GGN

    Apurando e realizando o trabalho que os jornais comuns já deixaram de fazer há muito tempo…

  17. Não entendo

    O que quer dizer cerceamento do direito de defesa. Os detidos pagam os melhores juristas do país e nem assim conseguem convencesr a corte de libertar seu clientes. É muita hipocrisia achar que existe uma rede de intrigas que visam tirar do caminho grandes empresários das obras do país. Já houvi ate que o moro junto com sua esposa está quebrando a petrobras para que a shell possa comprar a preço baixo. Deixe o homen trabalhar!!!

    • Caro joseneto

      Caro joseneto,

      Vai continuar sem entender, a se considerar o que disse, mas vou tentar ajudar você a entender. Pagar advogado não é ter direito a defesa. Essas são duas coisas diferentes. Por exemplo, fazendo uso da Defensoria Pública, ou seja, sem pagar advogado, você pode ter seu direito de defesa respeitado, ou não. Pagar advogado, ou não, nada tem a ver com garantia do Estado respeitar seu direito de defesa. Aliás, os advogados estão dizendo que o direito de defesa dos réus e acusados da Lava Janto não está sendo respeitado. Sei que você não entenderá, mas fico com a consciência tranquila, porque tentei ajudar.

      Abraço.

  18. ótimo post.
    assino o

    ótimo post.

    assino o manifesto tb…

    com orgulho.

    esses especialistas não arriscariam suas birlhantes

    carreiras se estivessem agindo falaciosamente,.

    o relato das ocorrencias equivocadas na lava-jato é consentaneo

    com o que foi relatado muitas vezes por aqui…

    o argumento de que esses doutores deveriam combater os absurdos

    que ocorrem tb com a prisão dos pobres,problemas no  sistema penitenciario,

    esse argumento é válido, mas o assunto é outro…

    esta questão existe, claro, mas é uma questao estrurante,

    que demorará um tempão  pra ser resolvido.

    imagino que um dos fundamentos desse manifesto dos doutores,

    é justmente para que essas exceções nao se transformem

    indefinidamemte  num problema estruturante que demorará séculos para ser equacionado….

  19. Comentário a cerca da carta dos advogados da Lava Jato.

    Achei muito interessante as idéias que um advogado tem quando precisa lutar pelos interesses de seu cliente, valorizando o parco dinheiro que está recebendo, independente desse seu cliente ser um político ou empresário ladrão que roubou toda uma nação brasileira em bilhões, digo, bilhões. Eles realmente se empenham para defende-los, levantando a bandeira do devido processo legal, da democracia, dos direitos humanos dos seus clientes. Estes que se empenharam a roubar todos nós brasileiros, deixando uma empresa brasileira a beira da falência. Só não foi a falência por ser uma empresa pública. Estes mesmos advogados não se preocupam em lutar pelos brasileiros que ficam na fila de espera para poder ser atendidos em hospitais públicos falidos, sem o mínimo de infraestrutura. Suas crianças sendo tratadas como lixo em absurdas escolas que nada ensinam a população. Isso sim é abuso aos direitos humanos, conforme preconiza a Declaração Universal dos Direitos do Homem e o nosso artigo 5º da CF/88. Porque os demais advogados não falam e não assinam nenhum manifesto sobre isso ?

    • Você tem que entender, Pedro,

      Você tem que entender, Pedro, que quando um nobre advogado desses luta pelos direitos dos criminosos que lesaram milhões de brasileiros em bilhões de reais, ele na verdade está lutando por todos nós. Pois um dia pode ser um de nós a ser surpreendido surrupiando dinheiro do Estado, recebendo propina ou movimentando ilegalmente dinheiro na Suiça. E daí vamos precisar de toda a democarcia que pudermos pagar e mais um pouco. Daí vamos dar valor ao trabalho desses doutos defensores da democracia, e nos arrepender amargamente do dia em que aplaudimos os fascistas do MPF e Judiciário.

      Então, tanto o sujeito que está a beira da morte num leito sujo de hospital púiblico quanto o outro que está mofando na cadeia a espera de um julgamento devem aplaudir as vitórias dos criminosos defendidos por esses advogados, pois elas também são suas. Acredite, o país vai ficar mais belo e justo quando os réus da Lava Jato forem libertos e seus perseguidores fascistas punidos. Tudo será diferente, todos seremos mais felizes. Será um verdadeiro Jubileu, um raio de esperança a eliminar as trevas que hoje obscurecem o país!

  20. Só não vê quem não quer.

    Só não vê quem não quer.  Nassif realçou muito bem, não se trata de defender réu, mas sim de direitos constitucionais e isso é sagrado em um país que tem um mínimo de bom senso e civilidade. O que está em discussão é o cerceamento de defesa, fato incontestável em uma democracia. imaginem se estivesse em vigor a pena de morte, esses que estão sumariamente presos, fossem para a cadeira elétrica sem a prévia defesa e, pasmem, por delações ainda por se provar. Ainda mais, quando percebe-se uma cristalina atuação politiqueira dessa “justiça” com pesos e medidas diferenciados, notoriamente partidária. 

    • O direito é sagrado para os

      O direito é sagrado para os ricos? porque estas ” sumidades” não se manifestaram em solidariedade aos inúmeros pobres e negros que passam por estas injustiças?

      • Pois agora

        O direito virou sgrado apenas para o PSDB e partidos da oposição. Tucanos com provas evidentes não são investigados nem presos enqunato Petistas sem provas estão presos sem direito a defesa, vide Vaccari e José Dirceu. Em qual país democrático um juiz investiga e julga um reú? Juridicamente ele está passivel de ser influenciado. Por que o Moro não faz apenas um unico papel e quer o monopólio da investigação? Por que um juiz sério e não ideológico pegaria as falcatruas tucanas. Só tolos e coxinhas acreditam nesta investigação. Se não tem discernimento ou neutralidade política para enxegar o óbivio só posso te chamar de conivente com o golpe. 

    • Não vê por ignorãncia ou por má fé, só pode…

      Excelente o seu comentário. E vou mais longe, é que o problema no Brasil, Idalma, tem nome e endereço: excluindo a má fé, claro, é a falta de discernimento e um mínimo de comprensao sobre os próprios direitos, ausencia total de cidadania e etcs mais. Olha aí a consequencia de se negar educaçao de qualidade para um povo desde o nascimento. O sujeito por absoluta falta de raciocínio lógico e igorancia do que vem a ser os próprios direitos consagrados na constituiçao, a sua importancia, confunde as bolas e passa a defender a arbitrariedade e abuso contra os réus do moro como se isso fosse um problema só deles e nao fosse virar uma regra aplicada depois à toda a sociedade, inclusive prá em cima dele que hoje aplaude esse abuso. 

      O sujeito bronco acredita que se os desassistidos[preto, puta e pobre] que sao vítimas de erros e falhas no sistema judicial, ao invés de lutarmos para endireitar o rumo, devemos entao é apaludir o abuso e supressao de direitos como regra para todos. Que beleza de raciociocínio e modelo de inteligencia, nao??

      O foco do artigo do Nasssif sobre o conteúdo da Carta dos advogados é sobre os direitos constitucionais sendo demolidos, negligenciados ao arrepio da lei. O que está em discussão é o cerceamento de defesa, observancias das leis penais, processuais e constitucionais.

      Como pode alguém reduzir essa discussao à vingança de que se há falhas no sistema judicial a saída é abrir maos dos direitos constitucionais e apoiar que issso seja feito com os presos da lava jato?? É muita igonrancia junta..

  21. .

    No plano do desrespeito a direitos e garantias fundamentais dos acusados, a Lava Jato já ocupa um lugar de destaque na história do país. Nunca houve um caso penal em que as violações às regras mínimas para um justo processo estejam ocorrendo em relação a um número tão grande de réus e de forma tão sistemática. O desrespeito à presunção de inocência, ao direito de defesa, à garantia da imparcialidade da jurisdição e ao princípio do juiz natural, o desvirtuamento do uso da prisão provisória, o vazamento seletivo de documentos e informações sigilosas, a sonegação de documentos às defesas dos acusados, a execração pública dos réus e o desrespeito às prerrogativas da advocacia, dentre outros graves vícios, estão se consolidando como marca da Lava Jato, com consequências nefastas para o presente e o futuro da justiça criminal brasileira. O que se tem visto nos últimos tempos é uma espécie de inquisição (ou neoinquisição), em que já se sabe, antes mesmo de começarem os processos, qual será o seu resultado, servindo as etapas processuais que se seguem entre a denúncia e a sentença apenas para cumprir ‘indesejáveis’ formalidades.

    Em vez de acabar com a lava a jato, porque não reformar a justiça brasileira, onde todos terão os mesmos direitos. Enquanto milhões foram vitimas desta justiça, porque fazem parte do populacho, os dignos advogados permaneceram calados, porem, agora que corre os bilhões desviados dos cofres publicos e regam as bancas de advocacias interessadas na mamata, acorrem em mais uma vez beneficiar os apaniguados.

    Viva o Brasil!

     

     

  22. QUEM NAO DEVE NAO TEME, estou

    QUEM NAO DEVE NAO TEME, estou vendo o contrario, a morosidade de condenacoes no passado gerou o pais que vivemos…imagine ser roubado e esperar decadas para um “justica”…

  23. Há alguns meses li um artigo

    Há alguns meses li um artigo no El País que falava que o Direito brasileiro não estava preparado para operações como a Lava jato, pois o modelo romano (nossa base) é muito acadêmico e para pegar peixes grandes é preciso ser mais pragmático e menos ortodoxo, algo como a prática anglo-saxã. Tenho um parente que não está envolvido na operação mas é advogado e acha essas práticas um absurdo, pois segundo ele o sistema funciona assim e não há chances de mudar. Pensando assim nunca haverá chance.

    Com a justiça que ficou famosa por condenar apenas o trio PPP operando normalmente esse escândalo nunca viria a tona, e olha que estamos falando apenas de um juiz e um grupo de procuradores hein. Lembrem da famosa conversa entre Daniel Dantas e o delegado da PF documentada na finada Satiagraha, onde o banqueiro pedia ajuda com a justiça de primeira instância porque nas superiores ele dava um jeito. Grande parte do nosso meio jurídico ou é acadêmico demais ou tem livre trânsito nas instancias superiores, dificilmente vão apoiar uma operação que não segue a cartilha pétrea ou que prende pessoas que podem influenciar suas promoções. É o sistema!

    Enfim, na minha opinião a lava jato contribui mais do que atrapalha, é uma pena que aparentemente será uma operação isolada dentro da Justiça brasileira.

    • Você é tão ingênuo

      Que não percebe que Daniel Dantas tratava-se de PSDB e aí todo o jurídico veio dedender os tucanos? E esta operação, embora envolva também tucanos delatados, apenas Petistas estão sendo investigados? 

  24. Indignação.

    Eu sou um cidadão brasileiro e estou indignado com a assinaturas dos advogados em reclamação contra a punição da lava-jato. O documento contendo as assinaturas, expõe a incompetencia dos advogados de defesa a frente dos seus clientes do lava-jato. Se houve algum tipo de abuso, por parte do juiz Sergio Moro, cabe aos advogados de defesa recorrer ao STF. Como não estão obtendo sucesso, em suas ações, passaram a apelar para a imprensa.Se todos advogados, empenhassem tanto, na defesa dos tantos injustiçados que estam nos presídios, as cadeias não estarião superlotadas!Não importa se o roubo é de um real ou de 100 milhões de reais. Roubo é roubo! Não vejo o mesmo empenho na defesa dos pobres.

      

    • Não vejo o mesmo empenho

      Da republica de Curitiba em investigar ou punir tucanos pelos mesmo ou piores crimes. E ao contrário de Vaccari e José Dirceu, que estão presos injustificvelmente, as provas borram os tucanos até as calças. É apenas uma tentativa de golpe político orquestrado pela midia em conluio com setores jurídico e policial retrógodo e reacionário o que ocorre ali. Não vem com papo abóbora. Infelizmente alem de incostitucional, esta tentaiva de golpe está provocando efeitos econôncos gravíssimos no Brasil. Apenas em 2015, a Lava PT já provocou uma quebra de 2% do PIB. Estão destruindo todo o programa naval e petrolífero criado pelo PT e eliminando empreiteiras nacionais. Isto certamente provocará a entrada de empreiteiras estrangeiras que só você e os coxinhas acreditam que sejam santas. E naturalmente a flebilização trabalhista vai correr solta no país. A tercerização é o xodó da direita. Você é aposentado? É concursado público? Se não, se prepara, vai sobrar para voce, seus filhos e sua família. Depois vai chorar as pitangas aonde?

  25. Todos aí tem interesses

    Não seja neste caso, em outro mais a frente.

    A luta deles é para que se mantenha inalterada a tradição brasileira de justiça apenas para pobres, putas e pretos.

    Não é de se estranhar que esse pessoal, que colhe bons frutos financeiros com suas chicanes intermináveis para garantir a impunidade de seus clientes, reagisse de maneira violenta a uma mudança no cenário.

    Não tolerável é que haja pessoas que não pertencem a nenhum dos dois grupos, nem dos criminosos beneficiados e nem dos chicaneiros, que faça de conta que não sabe que a legislação brasileira é um arcabouço legal feito sob medida para garantir a impunidade da elite e a criminalização dos despossuídos, e de maneira hipócrita defendam os direitos de criminosos do colarinho branco querendo nos fazer crer que com isso defendem a todos igualmente.

    Juiz Moro já respondeu nos autos. Chama a atenção a quantidade de advogados que esses pessoal dispõe, enquanto os despossuídos ficam na dependência de um defensor público.

    http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/wp-content/uploads/sites/41/2016/01/Evento-1291-DESPADEC1-moro-odebrecht.pdf

    • Brilhante!

      Estou digitando com os pés pois, as mãos estão ocupadas aplaudindo você por este comentário.

      Realmente, quando o cenário muda, sempre haverão àqueles que reacionários à qualquer tipo de mudança, farão de tudo, dentro da chamada legalidade, usando inclusive de subterfúgios e os emaranhados de leis existentes na terra brasilis para manter o Status Quo em toda sua forma.

      A liberdade vem com tudo!

       

    • Caro Bonna

      Caro Bonna,

      Como os interesses dos advogados invalidariam as notícias e reflexões do manifesto dos advogados? Conteste os argumentos do manifesto. Você não conseguirá contestar coisa nenhuma com falácias ad hominem.

      Há leis em vigor, leis que regem processos penais e que, sob o ponto de vista de juristas e advogados não estão sendo respeitadas pela Lava Jato. A questão não é de tradição, mas de respeito às leis.

      Bem se você diz, veja bem, foi você quem disse, que a lei brasileira é feita para garantir a impunidade da elite, e como um Odebrecht, um membro da elite, está preso, das duas uma: ou a lei está sendo descumprida por Curitiba, ou a lei brasileira NÃO foi feita para garantir impunidade da elite. Não dá, como você faz, para dizer que a lei está sendo cumprida em Curitiba, pois você contesta o manifesto dos advogados que denunciam o descumprimento da lei; e, ao mesmo tempo, dizer que a lei foi feita para proteger pessoas da elite, com presidentes de grandes empresas presos. Você está sendo inconsistente neste ponto.

      Moro não respondeu adequadamente a questionamentos a ele feitos quanto a descumprimentos do CPP e do CP, e esta é uma das razões do manifesto.

      Abraço.

      • 99% das sentenças de Moro

        99% das sentenças de Moro foram mantidas nos tribunais superiores e no próprio STF. Acaso estes desembargadores e ministros não deveriam também responder aos questionamentos dos juristas quanto ao descumprimento das leis? Então porque o Manifesto não foi direcionado a eles também? Por que se sentem no direito de afirmar que um juiz desrespeita a lei, mas não dão um pio sequer sobre as decisões das instâncias superiores que concordam com ele?

        Você diz que critica argumentos ad hominem, mas se esquece que o Manifesto inteiro dos advogados (que você subscreve) é direcionado a condenar os atos de uma única pessoa, ao qual, de resto, são atribuídos os adjetivos típicos ad hominem como “inquisidor”, “absolutista”, “parcial”, “arbitrário”, “abusivo”, etc, sem, contudo, que o Manifesto apresnete um único fato concreto sequer que justifique estas qualificações. Nada mais contraditório que tentar condenar os outros por aquilo que praticamos diariamente.

        • Prezado Josiel Nunes

          Prezado Josiel Nunes,

          O manifesto dos advogados não se limita a adjetivar o juiz Moro. Há argumentos que se atêm às ações do juiz na Lava Jato. Quanto aos tribunais superiores, dê tempo a eles. Esta Lava Jato, quando chegar o momento dos tribunais superiores se manifestarem quanto ao mérito e quanto aos procedimentos nela desenvolvidos, será anulada.

          Abraço.

      • Meu amigo

        Não fui eu quem criei a máxima que “justiça no Brasil só puni pretos, putas e pobres”. Foi a sabedoria popular ao longos dos séculos passados.

        Quando eu digo que há um arcabouço legal, ou seja um conjunto de leis e decisões judiciais, que foram feitas para garantir a impunidade das elites, sejam elas econômicas ou políticas, eu me baseio na história.

        Sua retórica querendo imputar contadição aquilo que eu disse não serve para nada.  

        É evidente que a lei está sendo aplicada não só em Curitiba pelo Juiz Moro, como também pelos Desembargadores da 4a Região em Porto Alegre e pelos Ministros do Supremo.

        Assim como seria evidente que a lei também estaria sendo cumprida se os investigados não estivessem cumprindo prisões cautelares.

        Cabe ao MP e aos Juízes decidirem, com base nos fatos, se tais prisões são necessárias ou não. Qualquer decisão estará coberta pela lei.

        Assim como também o Juiz pode decidir por acatar ou não protelações ou contestações da defesa na primeira instância. Sempre haverá a possibilidade de recurso a instãncias superiores, caso entenda a  defesa que a decisão do Juiz não foi a correta.

        Outrossim, é óbvio que neste caso, conhecido como Lava jato, não está sendo usado o arcabouço legal para proteger ninguém, por isso mesmo que pessoa com o poder de Marcelo Odebrecht e outros estão presos preventivamente.

        E, óbvio, essa mudança de atitude por parte do juiz, dos desembargadores e dos Ministros do STF está deixando desorientados todos aqueles que jamais imaginariam ser possível no Brasil a mudança deste paradigma de impunidade às elites.

         

        • Caro Bonna

          Caro Bonna,

          Você insinua no segundo comentário que de uma máxima popular pode-se tirar conclusões sobre leis brasileiras que, aliás, valem para todos, ricos, pobres, pretos, brancos etc. Assim, o que a tal máxima, “justiça no Brasil só puni (sic) pretos, putas e pobres” tem a ver com a sua afirmação de que “a legislação brasileira é um arcabouço legal feito … para garantir a impunidade da elite e a criminalização dos despossuídos” manifestada em seu primeiro comentário? Onde, na lei, o legislador manifestou as intenções que você alega existir na legislação brasileira. (Repare que você, no primeiro comentário, falava que a “legislação brasileira é o arcabouço legal” e, no novo comentário, que “há arcabouço legal, ou seja um conjunto de leis e decisões judiciais…”, mudando o que disse antes). A resposta é nada. Da máxima popular não se pode deduzir que a “legislação brasileira” garante “impunidade da elite…” Leis não derivam de adágios. O que você faz é a falácia conhecida como non sequitur e a correção (tentando incluir na sua definição de “arcabouço legal” os conceitos de precedentes judiciais e jurisprudência) não conserta a falácia em que você incorre.

          Quanto à sua contradição, não fiz apenas uma imputação, provei que você foi contraditório, este é o fato, e quem ler com isenção o que você escreveu e o que escrevi chegará à mesma conclusão a que cheguei.

          Você acha que a lei está sendo aplicada em Curitiba, eu não acho. Se desembargadores mesmo ministros, conhecedores das leis, acham que estão cumprindo a lei, mais de uma centena de advogados, também conhecedores das leis, acham que não.

          Nem sempre as decisões dessa gente de Curitiba estiveram, diferentemente do que você diz, cobertas pela lei, e em um dos casos em que a decisão não esteve coberta pela lei é a prisão da cunhada do Vaccari. Neste caso, a turma de Curitiba recuou, mas há outros em que não recuou, como, por exemplo, o caso em que um sujeito preso domiciliarmente sob supervisão de ministro do Supremo foi preso, ou seja, prenderam um preso (com o intuito claro de torturá-lo para que diga o que o torturador quer ouvir) que estava sob supervisão do STF! Vaccari foi preso porque o PT teria recebido contribuições de empreiteiras, mas o tesoureiro do PSDB que recebeu contribuições dessas mesmas empreiteiras permanece livre. A caguetagem que levou à prisão o Odebrecht foi fraudada pela turma de Curitiba. O caguete excluiu o Odebrecht de sua delação, mas a turma de Curitiba excluiu da delação a ressalva. Em resposta ao pedido da defesa de Odebrecht de oitiva das fitas em que Odebrecht teria sido inocentado, Moro disse que o processo anda para frente e recusou a oitiva das fitas pela defesa alegando que essa fase estava superada. Estas ilegalidades são apenas a ponta do iceberg dos desmandos curitibanos. Há muita ilegalidade em Curitiba.

          A legislação que protege o cidadão de abusos estatais e de autoridades é fundamento da democracia e é, nunca é demais repetir, LEI. Lei não é paradigma que possa ser mudado ao sabor do Judiciário, quanto mais de um juiz e alguns desembargadores. O Judiciário NÃO legisla, aplica a LEI, e esta é sua obrigação.

          Diferentemente de sua alegação de que estar-se-ia defendendo impunidade das elites, que fique claro que ninguém está defendendo tal impunidade (de onde você tirou isso?!), mas o cumprimento do CP e do CPP, o cumprimento da LEI, não tente confundir as coisas.

          Abraço

      • Conversa pra boi dormir. A

        Conversa pra boi dormir. A menor identificação de que os procedimentos de investigação da polícia em relação a um determinado caso possa ter sido irregular, o processo é arquivado imediatamente. Então Sr. Ramalho, não me venha com esse raciocinio tacanho de quem não entedeu o que o Sr; Bonna expressou, desqualificando seu pensamento.

      • Conversa pra boi dormir. A

        Conversa pra boi dormir. A menor identificação de que os procedimentos de investigação da polícia em relação a um determinado caso possa ter sido irregular, o processo é arquivado imediatamente. Então Sr. Ramalho, não me venha com esse raciocinio tacanho de quem não entedeu o que o Sr; Bonna expressou, desqualificando seu pensamento.

        • Caro José Valente

          Caro José Valente,

          Raciocínio tacanho é o seu, além de estar assentado em mentira grosseira. Os casos públicos de transgressão policial estão aí aos montes. Exemplos: Policial prende homem que esbarrou nele e não pediu .. ; Delegado da Policia Federal fura blitz e agride PM – YouTube ; policial federal feminina agride e humilha … – YouTube.

          Policiais fazem isto publicamente, e fazem muito pior privadamente. Na Lava Jato, por exemplo, foi posta escuta ilegal na cela de Alberto Youssef, procedimento para lá de irregular. Mesmo assim, diferentemente do que você alardeia, a Lava Jato não foi arquivada, nem imediatamente, nem posteriormente. Dizem que viverá ainda por três anos. A notícia da escuta ilegal, de conhecimento público, está aqui.

          Tacanho, mentiroso e sem fundamento é seu raciocínio.

          Abraço, valente.

          PS: realmente, se você quiser ensinar um boi a entender coisas simples, não vai conseguir e ainda vai irritar o boi, ou fazê-lo dormir.

        • Quando envolve o PSDB

          Não precisa nem ser irregular. Vide Daniel Dantas, com tentativa de suborno filmada teve dois HC por Gilmar Mendes em menos de 24 horas e a operação foi anulada. Já a Lava PT teve escuta ilegal, vazamento manipulado de delações e continua operante, mesmo após tantas ilegalidades. Qual a diferença? 

    • E o seu interesse, Bonna?O deles é honesto, ja o seu..

      “O Moro já respondeu nos autos” Respondeu o que cara pálida? Que por causa da impunidade no Brasil e falhas judiciais devemos rasgar direitos constitucionais e paratir para ditadura judicial???

      Bonna ou seja lá qual for o seu nome, esse seu dicurso hipócrita, fédido e camuflado só vai grudar para quem ainda nao percebeu o o que está por trás e o que move esta lava jato com esse juiz apátrida à frente, inclusive com a conivencia mal cheirosa e dissimulada  de muitos de seus pares também enterrados até os dentes na mesma empreitada cujos objetivos sao inconfessáveis. Se confessassem esses objetivos à sociedade, com toda certeza,iriam nao só considrados traidores da pátria como iriam ter que responder sobre os seus atos contrários que afrontam às garantias constitucionais do direito ao devido processo legal, direito de ampla defesa, presunçao da inocencia, imparcialidade, transparencia nos atos judiciais, observancia aos requisitos legais que autorizam ou nao responder ao processo em liberdade ou permanecer preso etc. Esses pulhas estao agindo agindo contra o ordenamento jurídico com base em que? Interesses de quem? Interesse da sociedade é que nao sao.

      Por que nao disponibilizar as fitas da gravaçao dos depoimentos  ao defensores? Por que negar a transcriçao dos depoimentos para a defesa dos réus?? O Moro tem medo do que? Aonde fica a transparencia nisso tudo? Por que centralizar todos os processos num só juiz contrariando o princípio do juiz natural?? Esse juiz está acima da lei penal? Por que dificultarem o encontro do defensor e o cliente? Tornar preso incomunicável em plena democracia, Bonna? Proibir visitas de familiares ao preso com base em que?? É assim que queremos ser tratados??

      Srs comentaristas, reflitam – as falhas do sistema judicial, prisional e carcerário no Brasil devem ser motivo de luta para que mudem, MAS JAMAIS  podemos admitir que essas falhas sejamusados como artifício para autorizar supressao de direitos consagrados na constituiçao aplicado a todo os cidadaos. Isso é um absurdo, um erro. Aceitando essa abritrariedade estaremos condordando que essas mesmas regras abusivas e ditatoriais sejam aplicadas a todos os cidadoas daqui prá frente. Nao podemos aceitar isso. A democracia e o Estado de Direito estao em xeque com a atuaçao desse juiz Moro e a sua lava jato. Temos que lutar é para que a justiça seja aplicada para todos de forma igual MAS com a total observancia de todos os direitos constitucionais.

      Essa gente da lava jato está introduzindo no Brasil uma mudança de paradigma aonde direitos constitucionais estao sendo demolidos. O cidadao comum, a sociedade é que serao a próxima vítima. Vamos lutar por uma justiça mais justa em relaçao aos desassistidos, a manutencçao dos direitos consagrados na constituiçao OU vamos  enfiar o pé na jaca, concordar com os abusos e arbitrariedades e viver num regime judicial autoritários em que nenhuma dignidade e direitos vamos ter???

      Bonna, ou voce é um tremendo ignorante ou está aqui de muita má fé defendendo uma ditadura judicial sob o argumento de que se há falhas no sistema judicial entao devemos apoiar cometimento de abusos e negar direitos consagrados, ao invés de de se lutar para que o que está errado mude e entre nos trilhos e os direitos para todos sejam mantidos. 

      Marcelo Odebrech, mesmo sendo rico, abastado, é brasileiro como nós, é titular do direito a ampla defesa, presunçao de inocencoa e a observancia de todos os preceitos legais em seu favor, Negando esse direito à ele e aos outros da lava jato estaremos negando esses direitos à nós mesmos futuramente. É isso que voce defende?? Se for, tenho pena da sua ignorancia extrema e ausencia total de cidadania. 

       

       

       

      • O tal Buana

        É uma escravo como aqueles dos filmes de antigamente. Responde a casa grande com “SIM BUANA”. Tão covarde que não apresenta-se com seu nome. Como você escreveu, seus desejos são inconfessáveis. 

      • Minha amiga

        Em primeiro lugar, não sei como um discurso pode ser fédido(sic),  a não ser que se trate de mau-hálito do orador, que não é o caso.

        Em segundo lugar, o adjetivo apátrida não corresponde a ofensa que você quis dirigir ao Juiz Moro. Um bom dicionário pode resolver esse problema.

        Quanto ao conteúdo legível da sua resposta, só posso lhe dizer que eu não seria um idiota de acreditar que existe uma associação para algum fim específico inconfessável, seja lá qual for, entre o Procurador Geral da República, todos os ministros do STF, todos os juízes e desembargadores federais da quarta região, a PF e o Ministério Público.

        Se você ou alguém realmente acredita nisso, sugeriria migar para um país onde houvesse uma República de fato, pois acreditar em tal organização é acreditar que a República brasileira simplesmente inexiste. Ponto.

        Respondendo a algumas de suas perguntas infantis :

        Por que nao disponibilizar as fitas da gravaçao dos depoimentos  ao defensores? 

        Assim como o Juiz Moro, não vejo nenhuma necessidade dos defensores assistirem as gravações daquilo que está transcrito. Mas, como o STF achou por bem que os defensores tivessem acesso as gravações, elas foram liberadas. Da parte dos defensores, foi só uma chicane. Nada havia nas gravações. Ganharam tres dias.

        Por que negar a transcriçao dos depoimentos para a defesa dos réus?

        Isso não foi negado, é óbvio.

        Por que centralizar todos os processos num só juiz contrariando o princípio do juiz natural?

        Essa eu juro que não entendi. Tirar os processos originados no processo original da Vara do Juiz Moro é que seria uma afronta ao princípio do Juiz Natural. 

        Por que dificultarem o encontro do defensor e o cliente? Tornar preso incomunicável em plena democracia, Bonna? 

        Eczo non ecziste, diria o Pe Quevedo. Sequer os defensores reclamam disso.

        Proibir visitas de familiares ao preso com base em que?? 

        Outra invenção. As visitas de familiares estão dentro da previsão legal, ou seja, uma vez por semana. Você não queria que fosse um hotel, né ?

         

         

         

    • Quem não tem interesse?

      O Bonna parte, aparentemente, do princípio que alguém que tiver interesse na questão em debate estaria desqualificado para opinar sobre o tema. 

       

      Então vejamos. Que interesses tem AJUFE e a entidade dos procuradores, ligados ao PMP – Partido do Ministério Público. Digamos que eles tem interesse em defender o direito (?) que seus coleguinhas de Curitiba tem de estabelecer parceria espúria e abjeta com os empresários corruptos controladores de empresas de comunicação, no Brasil, organizados em forma de CARTEL em todo o território nacional, ao arrepio da LEI, publica, aberta e declaradamente assumida e defendida pelo MORO quando ele esteve em visita ao evento promovido pelas quadrilhas controladoras de revistas, onde foi recebido pelo CAPO Gianca Civita, recentemente associado com quadrilhas de malfeitores do submundo do crime para produção de matérias chantagistas na revista VEJA de interesse de empresários amigos do bicheiro Carlinhos Cachoeira. Ressalte-se que não estamos entrando no mérito da legalidade ou não dos atos praticados pelos voluntariosos meninos de Curitiba que declarada e publicamente pretendem (e até já apresentaram propostas para tanto) modificar as leis do DIREITO PENAL. (o que é competência do Legislativo e não deles, eleitos pela GLOBO).

      Sem entrar na questão de mérito, deixada às análises dos especialistas, o interesse das associações é evidentemente o corporativo, sempre voltado à defesa dos já expandidos direitos e privilégios dos srss. procuradores e juízes. Mesmo considerando que ambos tenham interesses fisológicos nas aberrações praticadas na operação Vaza a Jato, a situação dos agentes PÚBLICOS mancomunados com os agentes PRIVADOS controladores do CARTEL de veículos de comunicação é muito diferente em relação aos advogados que atuam na defensoria privada.

      Os primeiros, agentes públicos tem nas previsões de atribuições de seus cargos e funções a obrigação de defender sempre o interesse público que históricamente nunca foi considerado na atuação desses servidores. Se alguma vez foi, aparentemente não chegou a atingir a finalidade prevista nas suas atribuições. Servir de “menino de recados” para fornecer informações sigilosas para “jornalistas de programa” das empresas de mídia não está entre essas funções exigíveis desses profissionais.

      A Lei prevê condições especialissimas, privilégios e mamatas, meios diversificados e mal explicados de remuneração e, principalmente, proteções especialíssimas estabelecidas como salvaguardas para garantia do exercício de suas funções com independência e estrita conformidade com a LEI e, principalmente, direcionadas no sentido do INTERESSE PÚBLICO.

      Por outro lado, os advogados que assinam a manifestação contra as aberrações neo jurídicas praticadas nos moldes do Direito Penal do Inimigo, com evidentes pretensões partidárias, absolutamente seletivas, incompatíveis com os regras da boa magistratura, que tornou célebre a VARA UNIVERSAL de Curitiba, são profissionais que militam na iniciativa privada submetidos às regras selvagens da livre concorrência.

      Então, partido das diferenças e disparidade das condições de cada contendor, evidentemente, o interesse público impõe maior rigor na observaçao da retidão do agente beneficiário de salvaguardas e vantgens especialíssimas para o bom exercício e desempenho de suas funções.

      Isto posto, se for válido supor que ambos os grupos agem movidos “por interesses” os agentes privados podem apresentar em seu favor e benefício a condição desfavorável inerente a atividade que desenvolve.

      O procuradores encantados com os holofotes, transformados em “meninos de recado” de “jornalistas de programa”, que se consideram protegidos por Deus e não pelo povo que lhes paga os pomposos vencimentos, com pretensões de legisladores a pretender mudar o Código de Leis que deveriam seguir, porque não tem competência para mudá-lo. Essa competência pertence aos membros do legislativo, eleitos pelo povo. Os procuradores foram eleitos pela GLOBO. Os juizes associados ao Gianca Civita, Capo da Editora Abril, contratante do Policarpo, Gerente ca Sucursal de Brasilia, conhecido no submundo do crime pela alcunha de “O Caneta”, também envolvidos na atividade de “meninos de recados” das revistas, jornais e veículos de mídia em geral, todos eles servidores PÚBLICOS, quando infringem as leis e descumprems as suas obrigações não dispõem de condição atenuante em seu favor no julgamento de seus delitos. Ao contrário. A severidade do julgamento será agravada, consideradas as excepcionalíssimas condições oferecidas para que cumprissem bem o papel que lhes caberia, em benefício do interesse público.

       

       

       

      • Parei de ler aqui

        Os primeiros, agentes públicos tem nas previsões de atribuições de seus cargos e funções a obrigação de defender sempre o interesse público que históricamente nunca foi considerado na atuação desses servidores.

        R$ 2bi e meio recuperado para a união.É não estamos nem na metade.

        Nunca antes na história deste país.

        Todos os processos derivdos da Lava-jato tratam a Petrobras, e por conseguinte a União, sua controladora, como vítima do cartel.

        Sobre o fantasioso relacionamento de interesses entre a mídia e a procuradoria ou o juiz nem há o que comentar. É pura idiotice.

        A justiça é e tem que ser públicizada, isso é regra constitucional.

        Os meios que aí estão, embora não agradem nem a você e nem a mim, são esses mesmos, sob os auspícios dos poderes executivo e legislativo, que são os responsáveis pelas concessões públicas.

        E são também esses mesmos meios que todos os poderes buscam para informar a população. Não caberia ao judiciário agir de forma diferente na sua obrigação de informar ao povo das suas decisões.

        Dilma vai na festa da Folha, na casa da Dona Lilly Marinho, no JN e no ridículo programa da Ana Maria Brega Isso não quer dizer absolutamente que ela está mancomunada com a Globo ou com o SBT. Ou tem ?

         

    • Parece-me óbvio que, a

      Parece-me óbvio que, a exemplo do manifesto dos advogados contra a Lava Jato, também este não pode ser acusado de forma alguma de parcial, posto que foi endossado por ninguém menos que a OAB, que representa todos os advogados do Brasil, sejam tributaristas, penalistas, trabalhistas, de direita, esquerda, cima, baixo, leste, oeste e Nordeste, enfim, e todas suas manifestações públicas são aprovadas pela maioria de seus membros. E empresto as belas palavras da jornalista para completar que “essa maioria não defende hoje uma parte, mas integra um grupo de nomes do Direito que catalizam um extenso trabalho de denúncia, artigos e posicionamentos sobre as práticas do que consideram atentados contra o direito de defesa do contribuinte nas decisões de Dilma Roussef, Presidente do Brasil.”

      Se a maioria dos advogados do Brasil diz que a Presidente da República não tem legitimidade para criar ou majorar tributos, então ela não deve ter mesmo. Pois se basta uma centena de advogados para tirar a legitimidade de um juiz federal cujas decisões foram endossadas até pelo STF, certamente algumas dezenas de milhares são mais que suficientes para denunciar os abusos da Presidente e quiçá até do Papa.

  26. Tira o nome do Ministro Gilson Dipp daí

    Ele já falou que não assinou esse Manifesto e exigiu saber como sua assinatura foi parar lá, mas nenhum dos advogados soube explicar. Ninguém sabe ou tem medo de dizer quem redigiu o documento, quem colheu as assinaturas e nem mesmo quem mandou publicar. Por aí se vê a ética da turma que assinou isso: incluem à revelia qualquer nome que possa lhes dar alguma legitimidade, e depois tiram o corpo fora em vez de admitir o equívoco e se desculpar.

    http://oglobo.globo.com/brasil/advogados-acusam-lava-jato-de-violar-garantias-dos-acusados-18478440

    ASSINATURA POLÊMICA

    Apesar de constar como um dos que assinam o documento, o ex-ministro do STJ Gilson Dipp disse que não apoiou o manifesto. Ele afirmou que não conhece o texto e que não deu a ninguém autorização para incluir seu nome na lista dos apoiadores da causa. Dipp explicou que fez um parecer há mais de um ano criticando pontos específicos da Lava-Jato, de forma técnica. Ele negou ter feito críticas nos mesmos termos do manifesto.

    — Não sei por que meu nome está aí. Não assinei nada disso. Devem ter lido meu parecer e acharam que eu apoiaria isso — declarou, contrariado.

    Questionado sobre a afirmação de Dipp, Nabor Bulhões afirmou que não procurou o ex-ministro e que, se o nome está na carta, “ele deveria ter autorizado”.

    Embora tenha enviado a carta a colegas para colher adesões, Kakay negou ser autor do texto. Disse não saber quem redigiu a carta, nem quem pagou pela publicação nos jornais desta sexta-feira.

  27. Sem surpresas

    Mais da metade dos “juristas” “não interessados” signatários do Manifesto são ilustres desconhecidos, a ponto de não se encontrar uma citação no Google sequer digna de nota sobre seu trabalho. Acho que foi um baita desserviço à causa ter publicado seus nomes. Ainda, vá se saber quantos não devem ter tido um baita interesse (ou quiçá coerção) a assinar, considerando os bônus futuros de bajular os donos dos maiores escritórios de advocacia do país – e o ônus nada desprezível de peitá-los.

    • Para citar apenas um , o ex

      Para citar apenas um , o ex ministyro Dipp já declarou que não assinou e não sabe como o nome dele foi para nessa lista. Basta isso para tornar essa publicação em uma farsa com o intuito de constranger a justiça que nunca fez um trabalho tão bom . É tica e advogado, são duas palavras que realmente não rimam. Eles estão viciados em recursos eternos e honorários infinitos . Honorários esse pagos com dinheiro desviado. Na minha opinião eles são cumplices visto que se beneficiam do produto do roubo

  28. Também sou contra

    Eu sou totalmente contra a operação Lava Jato e seus desdobramentos.

    E explico porque:

    Os danos que esta operação vem causando à economia são muito grandes e este terrorismo jurídico que vem sendo praticado por seus integrantes está se estendendo por demasiado tempo. Não digo que não investiguem, mas que o tivessem feito num ritmo mais objetivo e acelerado. Todo este assunto deveria ter-se concluído no primeiro semestre de 2015. Mas a máquina judiciária do país tem o péssimo vício da procrastinação. E para quem conseguiu notar, durante o ano passado, existiram momentos em que a degradada situação política sinalizava um melhora. É precisamente nestes momentos que surgiam mais denúncias e mais prisões.

    Fosse Aécio o presidente, tudo teria sido resolvido ou abafado rapidamente, na justiça e na mídia.

    Então não há dúvida de que a operação Lava Jato está sendo utilizada com fins políticos para desestabilização do governo.

    E toda estão confusão que se causou teve pequenos resultados, em termos de encarceramento. Longas penas foram declaradas para condenados que estão cumprindo o “castigo” em regime aberto. Que tipo de exemplo é esse? Pouco dinheiro foi restituído e a reputação de grandes empresas, nacionais, estrangeiras, algumas de atuação internacional, foi irremediavelmente destruída, assim como a do país, junto aos investidores internacionais.

    E não está passando em branco aos mercados, principalmente lá de fora, tanto barulho que se fez para tão pouco resultado. Pior, sabe-se agora da tamanha sujeira que são os nossos bastidores do poder.

    Veja-se o que acontece com Cunha. Investigado, provas levantadas, exibidas, mas ele reabrirá os trabalhos da cãmara sentado na mesa da presidência da casa.

    E vazamentos? Quem acredita que não tenham sido propositais. Que eu saiba, isto foge à legalidade. E até onde se pode perceber, não foram eficazes além das turbulências que causaram na economia e nas finanças do país.

    Mas ao que parece existe uma lista, uma longa lista de ações ainda por vir, que serão iniciadas em momentos estratégicamente escolhidos, ações próprias para continuar a desestabilizar o governo federal, planejadas com esse fim e executadas com ajuda da mídia, que se encarrega de criar o tumulto pretendido. Presumo que em 2018, se o PSDB vencer o pleito, então esta lista irá para o lixo.

  29. O Supremo até hoje corroborou tudo o que o Moro fez…

    hmm… para que eu fui dizer isso? Já, já, vão começar a soltar matérias “jornalísticas” procurando desacreditar o Supremo…

  30. BOMBA! BOMBA!
    Li em um blog

    BOMBA! BOMBA!

    Li em um blog que um juiz (lógico que não é da Vara do Moro tucano, né!) do Rio de Janeiro, acatou abrir investigação sobre a petrobrAX da era F.H.C.  Agora quero ver como essa justiça e principalmente a grande mídia = imprensa iráo atuar. A depender de fatos anteriores, logo não se toca mais no assunto e o Janot de prontidão pra recomendar o arquivamento so STF. Quem viver verá.

    • ESSA É A DIFERENÇA

      A diferença de quem quer justiça é q n importa o partido, errou pga, só PTista fica com o PSDB rouba tb.

      Se é vdd q eles paguem por seus erros, eu q não vou justificar.

    • BOMBA! BOMBA!

      Li a decisão do juiz na íntegra, muito interessante por sinal, e nela ele deixa claro que só acatou a continuidade da investigação porque nenhum dos acusados (todos já réus na Lava Jato, ressalte-se) justificou a movimentação financeira que fez no exterior (mesmo motivo utilizado por Moro), e mais, porque pelo menos 2 deles confirmaram se tratar de operações ilícitas em acordos de delação premiada no âmbito da Lava Jato, justificando a necessidade de apuração. Sem as delações a ação careceria de substância, seria só mais uma transação financeira irregular no exterior, e não foi por acaso que os procuradores do MPF no RJ usaram as sentenças de Moro na sua denúncia em dezembro do ano passado. A investigação só foi possível porque a turma foi condenado por Moro e depois abriu o bico, pois estava emperrada desde 1999 e não ia a lugar nenhum. Pode agradecer pois ao juiz paranaense por finalmente ver os tucanos numa fria. Ou então seja um ingrato e continue falando mal dele, tanto faz. Pois a Justiça Federal do RJ já reconheceu publicamente o trabalho dele.

      • Antes de louvar santo moro

        Lembre que ele está escondendo tudo relacionado a Tucanos. Inclusive datou sua investigação apenas ao governo PT. Para moro, anos FHC Tucano não vem ao caso. O que vazou sobre tucanos não foi por obra do moro. Por isto o moro quer controlar com mão de ferro a investigação. Como bom tucano, sabe que se perder o controle das investigações a Lava PT vira mesmo Lava PSDB. Em seu joguinho político partidário isto seria sua destruição na mídia. 

         

        • Conversa fiada e você sabe disso.
          A investigação da Lava Jato se limita ao período em que Youssef e Paulo Roberto Costa operaram juntos, posto que foi com base na delação deles que todo o resto do esquema foi levantado. Paulo Costa foi nomeado em 2004 para a Diretoria de Abastecimento por indicação de Janene que era sócio e amigo de Youssef, e a gangue começa a operar na Petrobras a partir desse momento, daí o início das investigações a partir dessa data. Nem que Youssef quisesse ele conseguiria produzir provas envolvendo tucanos e a Petrobras antes de 2004, pela simples razão que até as pedras sabem que ele não operava com a estatal na época, já estava bem ocupado e faceiro lucrando com o Banestado. A única forma de investigar antes de 2004 é contar com a delação de outro réu que já fosse diretor na época, como é o caso de Cerveró. E Cerveró de fato disse que repassou propina aos tucanos desde 1999. Sabe por que ele disse? Porque foi condenado e está preso a mando do Moro. Se o juiz fosse um bun da mole e libertasse Cerveró como TODOS aqui no blog queriam ano passado, você sequer saberia da propina dos tucanos pois com certeza Cerveró não iria abrir o bico depois de solto. Enquanto a turma dava joinha pros videos no Youtube do Cerveró peitando o juiz, o MPF e o próprio Moro trabalhavam em silêncio, até que as evidências contra o magano foram tão sólidas que nem o STF ousou questioná-las.

          Outra falácia sua refutada: foram levantadas sim na Lava Jato denúncias contra tucanos graúdos incluindo Sergio Guerra e Aécio, como noticiado fartamente na imprensa. Todas as provas envolvendo Aécio foram remetidas para Janot, pois Moro não tem competência para julgá-lo, embora “foro privilegiado” possa parecer novidade a você. Cabe ao PGR Janot decidir o que fazer com essas provas. Ainda assim Moro foi claro em seu despacho, que é público mas você não leu por falta de informação ou preguiça ideológica, que havia indícios de corrupção envolvendo a empresa da irmã de Aécio em contratos com a CEMIG, com objetivo claro de financiar a campanha do irmão, e Moro recomenda que a Justiça de MG – que é o foro competente para julgar processos envolvendo estatais mineiras, “uai so” – investigue tais contratos. Se você quer culpar um juiz federal pelo fato dos procuradores mineiros não fazerem nada, só posso inferir que estás agindo de má fé.

          É isso. Espero que leia, se informe e se puder retruque com argumentos, não falácias, pois não tenho tempo para quem se vangloria do próprio desconhecimento dos fatos. Leia a denúncia do MPF e a decisão do juiz, ambas publicadas na imprensa e no DJF, lá está bem claro que as provas obtidas na Lava Jato graças ao trabalho do juiz Moro foram decisivas para a continuidade da investigação. Leia e se informe. Ou então não leia nada e seja feliz sendo você mesmo. O que você pensa ou diz não muda absolutamente em nada e importa menos ainda para o destino dos réus, sejam eles seus amigos ou inimigos.

  31. LAVA JATO
    Diante de tantos comentários, a favor e contra as ações da Lava Jato, a única coisa que me resta é “SAUDADES DO MINISTRO JOAQUIM BARBOSA”, pois se essa dupla: Sérgio Moro e Joaquim Barbosa estivessem atuando conjuntamente, os resultados seriam outros e muitos… mais estgariam atrás das grades.
    Muitos estão acostumados com o termo: “TERMINOU EM PIZZA”, mas desta vez parece que o Juiz Sérgio Moro e o ex-Ministro Joaquim Barbosa não gostam de pizza. São mais sérios e mais severos no cumprimento da lei.

    • Pergunte ao Barbosão

      Por que o mensalão TUCANO / PSDB foi para a 1º Instânciae ninguem está preso enquanto o mensalão do PT, idêntico, foi todo julgado no STF. Aí sim, se me justificar isto, vou achar seu comentário é sério.

  32. MANIFESTO CONTRA A LAVA JATO

    Infelizmente a justiça brasileira, exceto alguns poucos nomes como o Juíz Sérgio Moro e o Procurador Geral Janot, só fazem emporcalhar ainda mais o que já está fedendo, tenho dois filhos advogados mas, ambos já estão avisados que no dia em que defenderem bandidos, principalmente políticos, classe onde nenhum escapa desse adjetivo, esquecam que o pai existe pois, não quero ter filhos taxados de meliantes, já que para mim, defensor de bandidos, bandido é e, ainda mais quando estão recebendo honorários com dinheiro originado de roubos.

    • Síndrome de linchador

      Caro Lyra,

      Para você, só é limpo e puro quem acusa (Moro e Janot são acusadores, embora Moro devesse ser juiz, não acusador). Não aconselhe mal seus filhos, não os faça incorrer em erro, não os deforme. O lugar onde as pessoas são acusadas sem direito a defesa é a república (ou império, ou reino) dos linchadores.

      Diferentemente do que você pensa e diz, a Humanidade, no seu processo rumo ao aprimoramento civilizatório, resolveu que, para se declarar uma pessoa criminosa, é preciso que ocorra o devido processo legal, cabendo à acusação provar o que diz e ao acusado se defender tendo direito a ampla defesa. Até que seja condenado pelo Judiciário, em última instância, em processo que tenha desfrutado de amplo direito de defesa, é considerado inocente.

      O que você diz e pensa é retrocesso, coisa da época dos linchamentos.

      Abraço.

  33. Manifesto dos Kakays

    Cabem agora mais dois esclarecimentos: de quem foi a iniciativa do manifesto e quem o redigiu.

    Outra coisinha: antes de vir a lume o Manifesto dos Kakays, essa mesma plêiade já se reunira para apresentar alguma proposta de melhoria da justiça brasileira?

    Que tal uma para agilização de processos e redução de recursos procrastinatórios?

    Quem sabe um projeto de regras claras em julgamentos nos tribunais superiores?

    (As recentes discussões no STF sobre o rito do processo de impeachment da presidenta e o possível afastamento do presidente da Câmara são exemplos de compêndio.)

    Olhando daqui, os processos relativos a corrupção de políticos e grandes empresários, quando chegam ao STJ e ao STF, parecem jogo de Calvinball*: sempre surge uma nova regrinha…

    Certamente o manifesto saber dessa rapaziada poderia ajudar na arrumação da bagunça jurídica de Pindorama.

    (Por outro lado, e olhando daqui, paira a dúvida: não será exatamente no labirinto de uma legislação confusa e no compadrio informal do campo jurídico(aqui, “campo” é usado no sentido bourdieusiano) que os kakays de Pindorama fazem fortunas?)

    *O Calvinball é um jogo fruto da imaginação de um menino de seis anos de idade e, por isso, não é de se estranhar que conte com doses gigantescas de imaginação. Tanto que as únicas regras são duas: você pode inventar a regra que quiser e não é permitido repetir regras. Obviamente, o Calvinball é um jogo diferente a cada nova partida – o que o torna ainda mais bacana.

    http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2011/09/10-jogos-ficticios-que-gostariamos-de-poder-jogar-de-verdade.html

  34. Quanta hipocrisia.

    Vejo alguns aqui, provavelmente advogados, criticado a carta com a justificativa de que são advogados de ricaços. Bom, primeiro: eu não vejo advogados militando na causa penal de pobres e demais desvalidos. Muito pelo contrário, defendem o próprio pirão com a volúpia de um adoslescente na puberdade. É só ver a imoralidade da tal “tabela da OAB”. Quando andaram por aí questionando os valores e a necessidade de demonstrar ” a origem” dos recursos que pagam essa turma, provalvemente apareceu uma “lista” unânime de assinantes advogados “indignados”. O mesmo ocorre quando querem reformar o código dos processos para acabar com a farra dos recursos e “incidentes” que não são só protelatórios e voltados para si próprios, um fim em si mesmos, são ONEROSOS para o cliente. E bem onerosos. É como diz o ditado popular, a turba quer o linchamento, mas do outro. Ou seja, quando a “lava-a-jatice” atingir um dos advogados que reclamam da carta, ou um de seus interesses, aí o buraco será mais embaixo.

  35. O Supremo até hoje corroborou tudo o que o Moro fez…
    hmm… para que eu fui dizer isso? Já, já, vão começar a tentar desacreditar o Supremo… 

    •  
      Não creio Felipe que venham

       

      Não creio Felipe que venham tentar desacreditar um STF da qualidade do que julgou com “técnica” e, sobretudo, com insenção político partidária, o caso do mensalão do PT.

      Aquele julgamento, presidido pelo heroico justiceiro quase um santo, para os batedores de caçarolas. Um tal de Joaquim Barbosa. Também, sendo o mesmo sujeito que relatou a, digamos assim, a patranha 470. Por certo, o julgamento da AP 470, entrará para os anais daquela Corte, como mais um dos julgamentos longos, e  vergonhosamente indecentes já  produzidos pela elite togada brasileira.

      Feito extraordinário. Fosse um acidente ferroviário, não deixaria tantas sequelas e deformidades. Entretanto, foi capaz de deixar boquiaberto os próprios herdeiros da Casa Grande. Portanto, não temo que reste algo mais para desacreditar boa parte dos nobres senhores de capas-pretas.

      Orlando

       

      • Mesmo o Lewandowsky?

        Ele negou todos os habeas corpus do Odebercht… ele também está mancomunado na conspiração que vocês estão apontando? Até ele? Será que qualquer um que discorde ou contrarie os interesses do PT é um conspirador da elite? Fico muito curioso para saber quem é essa elite de conspiradores. As empreiteras são os capitalistas mais poderosos do país e grandes amigos do PT, os coronéis nordestinos também são todos eles aliados do PT (ou pelo menos eram até o salve-se quem puder). Além disso, a política de empréstimos do BNDES e de isenções de impostos da Dilma favoreceram apenas os grandes tubarões. Afinal de contas, quem é essa elite que odeia tanto o PT e com uma capacidade de penetração tão grande quanto a que vocês apontam? É algo muito misterioso… gostaria realmente de saber de quem se trata.

  36. A pergunta que faço, espero

    A pergunta que faço, espero que alguém possa me responder: Se a Lava Jato está mesmo preocupado com o Brasil, porque o Moro se recusa a aceitar o acordo de leniência para preservar empregos e não afetar a economia???? Afinal, em outros países isso é permitido, pois a empresa nada tem a ver com os desmandos e corrupção dos seus funcionários.

  37. A pergunta que faço, espero

    A pergunta que faço, espero que alguém possa me responder: Se a Lava Jato está mesmo preocupado com o Brasil, porque o Moro se recusa a aceitar o acordo de leniência para preservar empregos e não afetar a economia???? Afinal, em outros países isso é permitido, pois a empresa nada tem a ver com os desmandos e corrupção dos seus funcionários.

  38. Bom ver jornalismo baseado em dados

    É bom ver dados pra corroborar uma tese num artigo relacionado a lava-jato.

    Quando acusam o Moro de prender arbitrariamente, por que não analisam todas as prisões e verificam quais são baseadas em provas fortes? Ex: Provas das contas na suiça de Cunha e da tentativa de movimentação financeira do Duque.

    Se mostrarem o número total e percentual das prisões “arbitrárias”, e os critérios das definições usadas; as acusações seriam baseadas em fatos e imparcialidade. Algo essencial para convencimento.

     

    *Não entrarei no mérito deste artigo, pois vou avalisar os comentários de outras pessoas.

    • Voce não tem discernimento?

      Quando a vaza PT libera informações mentirosas sobre Lula e Dilma? Que Cunha apesar das provas está leve e solto. Que Vaccari é o unico tesoureiro de partido preso apésar que o partido com maior numero de polícos envolvidos seja o PP? Que não há uma prova alem de delação para a prisão do José Dirceu? Que políticos do PSDB delatados estão soltos e não investigados apesar das mesma delações de outros partidos? Que o Moro nega liberar o conteudo das delações que causaram a prisão dos envolvidos? Que o Moro escondeu delação que liberava empreiteiro? Isto tudo veo a tona, não viu?

      • Tenho e apliquei no sei comentário

        Não defendo a Lava-jato de todas as acusações que lhe fazem, mas faço discernimento da qualidade das acusações que lhe fazem.

        Por exemplo: Tem gente que erradamente reclama que o Moro não mandou prender o Cunha enquanto que Congressistas nunca foram de seu foro (além de reclamarem que o Moro não prende a sua mulher e filha, mas quem tem as provas é a PGR e o STF. Um juiz de 1ª instancia deve exigir deles que lhe mandem as provas? Já imagino o “japones bonzinho” no STF confiscando as provas pro Moro – Sarcasmo “on”).

        Sobre seu comentário, por ex, como você diz que não há nenhuma prova contra o Dirceu, se a empresa foi paga por consultoria? A PF/MPF disse que o motivo dos pagamentos à consultoria foi p/ “lavar” propina, a defesa dele nega e cabe ao(s) juize(s), e interessados (informalmente) julgar.

  39. Defender Bandidos, a Arte dos Advogados (e de mais alguns…)..

    Faltou a terceira lista, a dos que não assinaram e tiveram seus nomes colocados na lista à revelia, coisa muito justa e moral… Vindo de onde vem, e com o apoio de quem tem, os blogs imundos, não é de se estranhar. Quando TODA a imprensa parar de defender bandidos, não importa de que lado esteja o meliante, o país melhora e acaba esta desculpa esfarrapada do governo, que sempre sai pela tangente falando em perseguição. Oposição, coisa que o PT sempre soube fazer, usando a mídia e com muito mais garra, não é perseguição. Processar e julgar ladrões não é política, é caso de polícia mesmo. Fim.

  40. No fundo, no fundo

    Caríssimos debatedores,

     

    Os senhores juristas em questão são top em sua profissão. Normalmente contratá-los é sinal de vitória. E o que está acontecendo é que estão inconformados com as derrotas. Não estou nem avaliando se há ou não violação do estado de direito ou coisa que o valha. Mas eles tambem não se importam com isso. O que interessa é que se eles estão perdendo alguma coisa tá errada e ponto.

    Quem defende o juiz Moro, a PGR a lava jato, em geral também não está nem aí para estado de direito, democracia e etc. Está apenas gostando de ver na cadeia o patrão, o graúdo e politicos que não são do partido que torcem (sim, aqui os partidos tem torcida, igual futebol).

    Quem ataca a os personagens acima citados, em sua maioria apenas estão contrariados pois estão sendo presos e investigados politicos pelo qual torcem e é difícil dar o braço a torcer. E não estão prendendo os criminosos do outro time.

    Pra mim é como torcer para o PCC e ficar bravo porque não estão prendendo  ninguém do CV…

    Enfim, ninguém aqui quer justiça. Quer é ganhar. Ganhar um jogo que sinceramente não creio que terá como principal vencedor a coletividade brasileira….

    • Ainda outra maneira de ler:

      Ainda outra maneira de ler: apesar de correrem o risco de serem execrados e linchados pela pela imprensa e sofrerm represálias do ministério público e da polícia federal, mais de 60% dos signatários o fizeram por mera consciência do que é certo, sem nenhum vínculo com a operação Lava Jato.

  41. Manifesto dos Kakays

    Cabem agora mais dois esclarecimentos: de quem foi a iniciativa do manifesto e quem o redigiu.

    Outra coisinha: antes de vir a lume o Manifesto dos Kakays, essa mesma plêiade já se reunira para apresentar alguma proposta de melhoria da justiça brasileira?

    Que tal uma para agilização de processos e redução de recursos procrastinatórios?

    Quem sabe um projeto de regras claras em julgamentos nos tribunais superiores?

    (As recentes discussões no STF sobre o rito do processo de impeachment da presidenta e o possível afastamento do presidente da Câmara são exemplos de compêndio.)

    Olhando daqui, os processos relativos a corrupção de políticos e grandes empresários, quando chegam ao STJ e ao STF, parecem jogo de Calvinball*: sempre surge uma nova regrinha…

    Certamente o manifesto saber dessa rapaziada poderia ajudar na arrumação da bagunça jurídica de Pindorama.

    (Por outro lado, e olhando daqui, paira a dúvida: não será exatamente no labirinto de uma legislação confusa e no compadrio informal do campo jurídico(aqui, “campo” é usado no sentido bourdieusiano) que os kakays de Pindorama fazem fortunas?)

    *O Calvinball é um jogo fruto da imaginação de um menino de seis anos de idade e, por isso, não é de se estranhar que conte com doses gigantescas de imaginação. Tanto que as únicas regras são duas: você pode inventar a regra que quiser e não é permitido repetir regras. Obviamente, o Calvinball é um jogo diferente a cada nova partida – o que o torna ainda mais bacana.

    http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2011/09/10-jogos-ficticios-que-gostariamos-de-poder-jogar-de-verdade.html

  42. Obrogado por não publicarem minha opinião…

    Agradeço por não publicarem opinião contrária ao texto. Bem democrático o blog!! Ofendi alguem?? Não né…

  43.  
    Então, pra não terminar em

     

    Então, pra não terminar em pizza, vamos partir pro vale tudo?…Beleza!!  Mas,… nesse vale tudo, TODOS, estarão  incluídos? Ou vamos continuar com a descriminação odiosa, deixando os tucanos de fora ? como faz o preconceituoso juizeco moro?

    Se assim for, me incluam fora dessa.

    Orlando

  44. Os direitos e a direita

    Eu nunca vi tanta gente, que expuslou skatistas da periferia de suas manifestação , que se diz chocada  com este populismo de  política sociais,  agora,  num arroubo de solidadriedade, demonstrag um interesse legítimo pelos pobres , pretos e putas.

    Estou surpreso, como estão indignados com os advogados do manifesto.  Me parece qua até a SHerazade tambem é contra este manifesto.  Eu vi  que  de fato estão adotando uma política de igualdade isto é defendem  a falta de de direitos para todos indistintamente.  ( Claro exceções feitas a uma determinada parcela que apesar das provas em contrario  , vide Banestado e Zelotes e Alston e Siemens e Furnas não merecem este tipo de solidariedade). Todos diante da denùncia se lembraram dos pobres dos pretos e das putas e solidários exigem que todos, os de colarinho branco e principalmente os de alma vermelha,  sejam linchados, ou pelo menos acorrentados num poste.   Mas claro  que  também cuidadarão de criminosos contumazes, que insistem em ir a Shoppings, aeroportos e até  fazer skate na zona sul.

  45. Bravo

    Uma coroa de louros aos valentes advogados, que ousaram defender a Justiça.

    Daquia séculos o nome deles será lembrado pela história, como Heróis. Num período de trevas e obscurantismo eles ousaram acender uma Luz na escuridão.

  46. Esse manifesto já vem tarde …

    E por que os advogados dos reus não podem se manifestar contra essa lambança do Tribunal do Santo Oficio da Inquisição do Paraná? Alguem tem duvida sobre a parcialidade do juiz tucano? Alguem tem duvida sobre a parcialidade das “investigações”  e dos interrogatórios conduzidos pela policia federal e  ministério publico?  Eu não tenho. Então por que  os advogados das partes não podem se posicionar contra isso? Podem sim. É legitimo e já vem tarde esse manifesto. Só sendo muito crédulo ou cinico pra acreditar que os metodos do juiz tucano vão, de fato, combater a corrupção. Não arranha nem a superficie. Quantos fatos são jogados pra debaixo do tapete por que não é conveniente aos grupos pra lá de suspeitos, que supostamente apoiam essa operação? 

  47. Dizem que : “Costume é Lei”,

    Dizem que : “Costume é Lei”, e nesse caso essa operação lava j. é o velho costume corrupto de violação das leis em favor da elite corrupta que sempre saqueia o país.

    Outro modo de justiça coisíssima nenhuma ( alguém pode não entender a ironia ) é melhor deixar claro:

    Operação lava jato : Partidarismo pelos corruptos, junto com os corruptos e tão corruptos quanto os bandidos ricos à quem encobrem os delitos.

    Essa corja ainda há de se afogar na própria lama. Gostem ou não as redes sociais espalha seus podres.

  48. Façam seu jogo

    Jogando as últimas fichas?

    O ex-presidente repetiu as críticas ao que chama de “vazamentos seletivos” pela mídia e disse que, atualmente, é mais importante a “execração pública” via imprensa que as decisões do Judiciário. Lula chegou a dizer que as coisas hoje estão piores que na ditadura militar. “No Brasil, neste momento, nem habeas corpus as pessoas estão conseguindo. Está muito mais difícil que na ditadura militar.”

    PS: Então existiu a ditabranda?

    http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/agencia-estado/2016/01/20/situacao-hoje-esta-mais-dificil-que-na-ditadura-militar-diz-lula.htm

  49. Eu entendo a Vaza-Jato como..

    Eu entendo a Vaza-Jato como um espetáculo de mídia que fugiu do controle.

    Os métodos adotados, não são apenas questionados aqui, são questionados fora do país também. Hoje procuradores e delegados, inebriados pelas luzes da ribalta e claramente partidários, chegam ao cúmulo de ofender não só a maior autoridade do país, que é o presidente, mais o documento maior que é a Constituição.

    O STF conseguiu por um freio nesta insanidade, porém há muito mais a ser feito para que o país não saia do caminho da democracia.

     

  50. Para que a história não se
    Para que a história não se repita, bom que saibamos que a Lava Jato não é processo novo e sim repetição da história. A Lava Jato não é um processo judicial e sim politico, visando atingir uma agemiação politica, só não vê quem não quer que esses procuadores ensandecidos que se acham à frente de uma espécie de “governo do povo” tendo a midia como abre-alas querem é destruir esse pais, querem zera o Tesouro para solapar os programas sociais. Que o povo acorde e não permita que a história se repita, pois está se repetindo: como farsa. A República do Paraná é a do Galeão. Piorada. Segue link http://www.conversaafiada.com.br/brasil/a-republica-do-parana-e-a-do-galeao-piorada

  51. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome