“Ministério Público não fala apenas nos autos”, diz associação em defesa de Carlos Lima

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Jornal GGN – A Associação Nacional dos Procuradores da República (ANPR) enviou um parecer ao Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP) afirmando que procuradores não devem ser obrigados a falar apenas nos autos e que calar Carlos Fernando dos Santos Lima, membro da Lava Jato em Curitiba, “é impor mordaça a todos os membros do Ministério Público brasileiro.” 
 
“Calá-lo é impor mordaça a todos os membros do Ministério Público brasileiro. Silenciar a livre expressão do pensamento seja de quem for impede a evolução das ideias e contribui para sedimentação de vícios”, afirma a ANPR.
 
A associação defende que o procurador tem direito a “chamar a atenção de todos os cidadãos para os terríveis males que a corrupção representa para o País e para os direitos do povo” e, quando faz isso, “Santos Lima também exerce atividade absolutamente compatível com as funções que desempenha no sistema de Justiça brasileira.”
 
“Deve defender suas opiniões oficiais nos vários ambientes de debate público, eis que todos eles são legítimos conforme a Constituição e são também necessários à promoção do bem comum e da Justiça”, acrescenta.
 
O CNMP julga nesta terça (15) um processo disciplinar contra Carlos Lima porque ele usou o Facebook para disparar críticas contra o governo Temer. No caso, ele fisse que o presidente era “leviano”. Lula também moveu ações contra o procurador, mas o CNMP arquivou os pedidos.

10 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Albasgodel

- 2018-05-16 15:33:52

Corporativismo ou clã judiciária?

Até as hienas protegem  seus iguais, mesmo os mais assanhados. 

Rui Ribeiro

- 2018-05-16 14:01:07

O Ministério Público não deve falar apenas na imprensa

O Ministério Público não deve falar apenas na imprensa, mas também e principalmente nos autos. Mas a manifestação de juízes e agentes do Ministério Público na imprensa se tornou a regra e a manifestação nos autos se tornou a exceção. Se alguém tem dúvida, aqui vai um refresco para a memória:

"Estadão: A Lava Jato caminha para reproduzir as Mãos Limpas, em relação ao seu final – na Itália, o combate à corrupção na década de 1990 teve seus resultados remediados por uma dura reação do sistema político e pela queda de apoio público?

Carlos Fernando: O caminho é outro, por conhecermos a experiência das Mãos Limpas, quais são as armadilhas que são colocadas no caminho de uma grande investigação. Percebemos e reagimos sempre. Toda vez que (políticos) tentaram uma modificação igual como foi a (lei) salva ladre (que concedia anistia aos presos), na Itália, fomos abertamente à imprensa e falamos: olha população, está acontecendo isso. Porque o político só entende a pressão da população".

Rui Ribeiro

- 2018-05-16 12:54:05

Quem fala demais é porque não tem nada a dizer

"Quem me dera ao menos uma vez
Provar que quem tem mais do que precisa ter
Quase sempre se convence que não tem o bastante
Fala demais por não ter nada a dizer"

Legião Urbana, Índios

 

O Prucurador Carlos Lima fala pelos cotovelos porque não tem nada a dizer enquanto o Barnabé Dallagnol tem mais do que precisa ter e, mesmo assim, convencido de que não tem o bastante, compra, com seu supersalário, imóvel do Programa Minha Casa, Minha Vida, destinado a pessoas de baixa renda.

alberto tiago

- 2018-05-15 23:52:31

ANPR

ESSE  sindicatinho deve ser da FARÇA SINDICAL   sao  do mesmo nivel 

 

Ivan de Union

- 2018-05-15 21:40:15

Desenhando com lapis de cor...

O ministerio publico nao fala INTELIGENTEMENTE fora dos autos.

Tampouco dentro.  Eita gentalha estupida, jizuis!

Serjao

- 2018-05-15 21:34:20

Um bando

Deus é Pai e o dia desse bando há de chegar.

Com fé e com vontade!

Naldo

- 2018-05-15 21:21:44

Quem tem que impor limites é
Quem tem que impor limites é a sociedade através de seus verdadeiros representantes eleitos, esperar que associações de classe o façam é sonhar demais.

Fábio de Oliveira Ribeiro

- 2018-05-15 20:53:16

Verdade. O ministério público

Verdade. O ministério público fala bosta dentro e fora das privadas judiciárias.

André Oliveira

- 2018-05-15 20:33:37

Canalha. Cadê o STF que ia
Canalha. Cadê o STF que ia abrir de ofício um procedimento contra essa figura abjeta?

PauloBR

- 2018-05-15 20:33:22

Concordo.

Procuradores falam nos autos e também nas latrinas.O cheiro é o mesmo.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador