Ministro de Bolsonaro agora é denunciado por abuso de poder econômico

Jornal GGN – Ricardo Salles, anunciado ministro do Meio Ambiente por Jair Bolsonaro, foi denunciado nesta terça (11) por abuso de poder econômico na campanha de 2018. Segundo o Ministério Público Eleitoral, Salles pagou R$ 260 mil para ter espaço no jornal Estadão, entre maio e julho de 2018, sendo que a campanha eleitoral só era permitida a partir de 16 agosto. As autoridades entenderam que ele fez propaganda eleitoral antecipada.
 
“Segundo a acusação, as propagandas foram travestidas “de propaganda institucional da pessoa jurídica ‘Movimento Endireita Brasil’ [entidade da qual Salles é um dos fundadores]”, com presença de fotografias —ou assinatura e nome— do futuro ministro em todas elas”, descreveu a Folha.
 
“(…) as publicações no jornal paulista também antecipam o programa político que Salles apresentaria durante o período eleitoral. Entre os exemplos de coincidência de plataforma estão: tolerância zero em relação à criminalidade, privatizações e combate à ‘velha política’.”
 
O militante do Novo é também acusado em ação de improbidade administrativa. Ele teria afrouxado a proteção do rio Tietê, “ao possibilitar a utilização de áreas, que antes eram de proteção ambiental, para uso de indústrias e mineradoras.”
 
Com informações da Folha

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Operação da PF instala de vez as condições para Bolsonaro deixar PSL

10 comentários

  1. o novo é nada mais que o psdb mais degradado

    gente sem expressão, sem bons feitos e o que tem de história não é nada boa de se ouvir

  2. SATURNIA / SOROCABA. O ESTADO ABSOLUTISTA BRASILEIRO É UMA FARSA

    Uma Ditadura de Federações, Corporações, Corporativismo, Oligarquias, Parasitismos e Cabides de Empregos. Legislação Ambiental e suas Estruturas só servem para estas finalidades. 2018. O Brasileiro continua cagando na água que irá beber. Bem mais precioso do planeta? O Brasileiro? O Meio Ambiente? A Água? A Merda? Ou um Cargo Público para ganhar a partir de 40 mil reais de salários de escravidão, para defender a Humanidade? Aquela que não mora no Brasil nem tem seu passaporte. A SATURNIA BATERIAS de Sorocaba / SP é uma fábrica que faliu. Processava metais pesados como CROMO, CÁDMIO, CHUMBO, além de ÁCIDO SULFURICO para a fabricação de seus produtos. Há 30 ANOS, as Autoridades Municipais, Estaduais, Federais, IBAMA, CETESB, CONAMA, SABESP,…foram alertadas e sabiam sobre a Contaminação do Solo e do Lençol Freático. Há 25 anos atrás, CETESB, MP / SP  e Órgãos de Fiscalização Ambiental foram interpelados por alguma vistoria e solução. Nada foi feito em todos estes anos. A Empresa faliu. Só foi multada por Órgãos Ambientais, uma única vez, 3 anos após fechar as portas. Mais de 25 anos após as Autoridades serem alertadas. Prédio e terreno abandonados. a População da cidade de Sorocaba, começou a usar o local para plantações de hortaliças e pomares, para campos de futebol, para construirem parques e brinquedos para as CRIANÇAS. IDOSOS E MORADORES dos arredores e vizinhanças. Descobriram que a Empresa havia enterrado grande quantidade destes Materiais na área da sua fábrica. Então iniciou-se um Garimpo Clandestino por estes Metais. Prefeitura, Promotoria, Judiciário, Órgãos Ambientais nada fizeram até que as Pessoas começassem a adoecer. Tais Autoridades diziam que não sabiam de nada. Chumbo contaminando terreno e água onde Crianças eram expostas. A População sem saber de nada, era negligenciada. Um dos Responsáveis era o Governo do Estado de SP e nosso futuro Ministro do Meio Ambiente. Vemos para que serve toda Estrutura e Burocracia Ambiental quando não tem a Agropecuária Brasileira para defenestrar. País de muito fácil explicação. 

  3. “As Ligações Perigosas”.

    Ricardo Salles: da prisão por pensão à riqueza do secretário de Alckmin

    “Em 18.12.2015, o Órgão Especial do Tribunal de Justiça de São Paulo autorizou o início de procedimento criminal para apurar a contração, pelo Grupo BUENO NETTO, de construção civil, de Ricardo Salles para evitar uma derrocada do grupo ao meio de vários processos”.

    A matéria continua em => http://www.folhadedourados.com.br/noticias/ricardo-salles-da-prisao-por-pensao-a-riqueza-meteorica

    Clique para ler a manifestação do MPE na íntegra: Orgão Especial 0041822-76.2017.8.26.0000 peças relevantes MPE e distribuição procedimento criminal Ricardo Salles advocacia administrativa BUENO NETTO.pdf

    Bueno! Um pouquinho mais de veneno sobre “As Ligações Perigosas” do ministro:

    [video:https://youtu.be/2OxwuhC-r-c%5D

  4. Ministro modelo

    O ministro modelo-manequim não cometeu abuso nenhum. Ele é assim mesmo.

    Tudo o que ele acha certo pra ele,  ele faz,  e o mundo que se dane.

    Ele tem o brilho do ódio ao pobre nos olhos.

     

     

  5. Hipocrisia
    É impressionante a velocidade com que o futuro governo, que se diz anticorrupto, conseguiu reunir tantas futuras autoridades envolvidas em graves e comprometedores casos de corrupção e/ou coisas do gênero. Estou em dúvida se parece uma grande piada ou se o futuro governo será a grande piada.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome