Moraes diz que o acusam “falsamente” de negar acesso a inquérito da Fake News

"Diferentemente do que vem sendo alegado falsamente, foi autorizado efetivo e integral conhecimento dos autos a todos os investigados"

Foto: Divulgação

Jornal GGN – O inquérito da Fake News, que começa hoje (02) a ouvir deputados e ativistas ligados a Jair Bolsonaro, já teve acusações dos investigados contra o relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), Alexandre de Moraes.

Além das reações hostis e ataques durante a deflagração na última quarta-feira (27), Moraes foi acusado pelos investigados de não ter permitido a eles o acesso aos autos da apuração.

O blogueiro Allan dos Santos, por exemplo, afirmou que o ministro do STF não permitiu o acesso ao processo e, assim, ele não tinha “clareza” do que estava sendo acusado. Em resposta, Moraes informou que a íntegra dos autos está aberta a todos os investigados e seus respectivos advogados.

De acordo com Moraes, “vem sendo alegado falsamente” que o acesso aos autos do inquérito foi negado. Nota emitida pelo gabinete do ministro desmentiu a acusação.

“O gabinete do Ministro Alexandre de Moraes informa que, diferentemente do que vem sendo alegado falsamente, foi autorizado efetivo e integral conhecimento dos autos a todos os investigados no inquérito que apura ‘Fake News’, ofensa e ameaças a integrantes do Supremo Tribunal Federal, ao Estado de Direito e a Democracia, com a obrigação da manutenção do sigilo das investigações”, é a nota.

O ministro relator no Supremo ainda determinou, nesta segunda (02), o início dos depoimentos pelos deputados federais e estaduais do PSL e os ativistas bolsonaristas.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Moro provoca anulação da condenação contra Lula, diz Fábio de Oliveira Ribeiro

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome