Procuradores negam delação e pedem transferência de Léo Pinheiro, mas Moro nega

Jornal GGN – Contrariando o Ministério Público Federal e a Polícia Federal, o juiz Sergio Moro negou a remoção do ex-presidente da OAS Léo Pinheiro da carceragem da PF de Curitiba para o Complexo Médico Hospitalar. Os procuradores e os policiais foram ouvidos por Moro antes e negaram que Léo estivesse negociando acordo de delação premiada. Moro, contudo, ressaltou a importância da colaboração de executivo e determinou, por “prudência”, a continuidade de sua estadia.

“Em que pesem os requerimentos da autoridade policial e a posição do MPF, as divulgações, fundadas ou não, da possibilidade de José Adelmário Pinheiro Filho vir a celebrar acordo de colaboração premiada, aliada ao potencial e à extensão das informações que reuniria, recomenda prudência e, por conseguinte, a manutenção dele, no presente momento e para segurança dele, na carceragem da SR/DPF/PF.” Segundo Moro, o problema de espaço na sede da PF terá de ser solucionado com a remoção de outros presos.

Léo Pinheiro é um dos empresários considerados mais próximos de Lula pela força-tarefa da Lava Jato. Veículos de comunicação vinham noticiando, nos últimos meses, que seu acordo de delação estaria estacionado porque Pinheiro disse que os “benefícios” que o ex-presidente ganhou da OAS – como a manutenção do acervo presidencial e a reforma do Sítio de Atibaia e de um tríplex no Guarujá que poderia ser vendido ao petista foram feitas sem nenhuma contrapartida.

A defesa de Pinheiro disse a Moro que “o acusado prestará novos depoimentos, bem como apresentará novas provas”.

O MPF, por outro lado, “refutou as alegações da Defesa do acusado (evento 22). Agregou que não existe acordo de colaboração celebrado, tampouco negociações em curso. Outrossim, há colaboradores no Complexo Médico Penal e não foram noticiados supostos riscos à integridade destes acusados. Enfim, não se opôs à transferência do acusado.”

Leia também:  PGR determina que Ministério da Saúde instaure inquérito sobre caos no Amazonas

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

6 comentários

  1. Moro sabe mais do que Leo Pinheiro o que é melhor para este

    Olha Léo, eu vou te manter aqui preso, mas é pro teu próprio bem. Eu sei melhor do que tu o que é melhor prá ti. Confia em mim.

    Pelo andar da carruagem, a Lava Jato terá mais delatores premiados do que delatados castigados.

  2. Moro é vidente

    No despacho, o Supremo Juiz do País demonstra o dom da onisciência: sabe o potencial das revelações que o acusado pode vir a fazer, fundadas ou não.

    É brincadeira.

    Acabou o Direito no Brasil. Estamos em uma ditadura pior da que a escancarada, pois não ousa dizer o nome.

    E os palermas da classe média ainda estão aplaudindo sem saberem que logo podem ser os próximos a serem engolidos quando o juiz da esquina se voltar contra eles.

     

  3. Show de Horrores

    A Lava jato virou um Show de Horrores Midiático. Uma vergonha para o Brasil. Meia dúzia de gatos pingados deitam e rolam num país sem ordem e justiça verdadeira casa de mãe Joana.

  4. Até onde vamos aturar.

    Onde é que poderíamos imaginar, há alguns anos atrás, que um grande país como o Brasil tinha gente tão medíocre e desqualificada infiltrada nas instituições, ao ponto de uma meia dúzia de ignorantes vaidosos e ambiciosos, de uma província qualquer da República, ser capaz de abalar severamente as estruturas de poder do Estado e do país, levando essa terra e sua gente à beira do caos que assistimos? E, se agora sabemos dessa infeliz realidade, até quando toleraremos que meia dúzia de moleques irresponsáveis, agindo como marginais, associados com os marginais da GLOBO, continuem a requentar esse mesmo espetáculo histriônico sob o manto do “Combate a Corrupi$$ão” todos os dias? 

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome