Moro provoca anulação da condenação contra Lula, diz Fábio de Oliveira Ribeiro

"Agora, o objetivo de Moro é desestabilizar Bolsonaro. Ele fará isso provocando a anulação da condenação de Lula. A coerência maquiavélica de Moro é evidente: Lula foi e é um meio para um fim."

Jornal GGN – O colunista do GGN Fábio de Oliveira Ribeiro avalia que Sergio Moro tenta “desestabilizar” Jair Bolsonaro provocando a anulação das condenações da Lava Jato contra Lula.

É por isso que o ex-juiz apareceu em entrevista recente à Globo News afirmando que esteve “no ringue com Lula” durante as audiências que conduziu em Curitiba.

Para o advogado de Lula, Cristiano Zanin, ao falar em ringue, “Moro admitiu expressamente a procedência de um dos – diversos – fundamentos que constam no habeas corpus da suspeição.” O recurso aguarda julgamento do mérito no Supremo Tribunal Federal.

Para Oliveira, Moro condenou Lula porque tinha o objetivo de tirar o PT do poder. Agora, sua meta é usar Lula novamente para interferir na cena política, dessa vez escanteando Jair Bolsonaro.

“O objetivo de @SF_Moro era prejudicar o PT. Ele fez isso condenando injustamente Lula. Agora, o objetivo dele é desestabilizar @jairbolsonaro. Ele fará isso provocando a anulação da condenação de Lula. A coerência maquiavélica de Moro é evidente: Lula foi e é um meio para um fim.”

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Ao vivo: Guilherme Boulos é o convidado da live das 15h, nesta quarta (5/8)

11 comentários

  1. Esse moço que fala sobre Moro é intrigante. Agora que todos crimes da LavaJato e do tal juiz foram postos a nu, por várias lutas e por anos de atuação de vários atores sociais e, às vésperas do julgamento sobre a idoneidade do juiz, o desfecho provável é lido como atuação de Moro?? Isso é falta de senso de ridículo e muito pouco inteligente, atribui a um sujeito desgastado e totalmente emparedado capacidade de controle absoluto. É o onipotente?

    15
    1
  2. Como a anulação da condenação do Lula pelo Moro traria vantagem para o Moro e desestabilização para o Bolsonaro?
    Acho que ali se tratou mais de um sincericídio.

    17
  3. Moro é PHD em molecagens! Não é possível que alguma pessoa normal votaria nesse sujeito pra qualquer cargo público, e se a Globo realmente está trabalhando pela futura candidatura dele, fica definitivamente claro que seus dirigentes são extremamente inescrupulosos.

    10
    • Se só pessoas em sua normalidade psíquica votassem, eu concordaria com você. Agora, Bozo, Dória, Caiado, Nema, etc e bota etc nisso. Muuiiitas pessoas ditas normais votaram nesses trastes.

  4. Se houvesse justiça, já teria sido anulada no TRF-4 que, ao contrário, sem ler (impossível no tempo que dizem ter gasto), confirmou a condenação e aumentou a pena. Parcialidade explícita. O STJ alegou uma súmula não sei das quantas para não analisar os absurdos. E o STF está sentado em cima para não julgar. Estão a esperar o quê? A morte de Lula?

    10
  5. Endosso o comentário do Rui Ribeiro. Não consigo ver, nem a curto nem a longo prazo, como a anulação dos processos do Moro contra Lula podem beneficiar uma futura candidatura dele. Na campanha eleitoral, quando alguém vier com o discurso de Lula ladrão, a resposta vai estar na ponta da língua: Moro mentiroso, safado, condenou para ser ministro e candidato. E quando vierem com o discurso Moro paladino, o caminho é o mesmo: juiz sem vergonha, condenou para ser ministro e candidato. Cadê a vantagem para ele? E, cá entre nós, Queiroz, Wassef, milícias do Rio, rachadinhas mil, Bolsonaro precisa de mais alguma coisa para se desestabilizar? E como governo, desde que dia esse que está aí se tornou estável, para poder ser desestabilizado?

  6. Como advogado o que me estarreceu no julgamento do TRF4 foi a “coincidência” dos anos, meses e dias de condenação. Coincidência impossível (algo como ganhar sozinho uma mega sena de um bilhão de reais), apenas comprova que aqueles desembargadores combinaram entre si fora do tribunal. Onde a independência de cada togado?

  7. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome