MP investiga Riotur em esquema de propinas na prefeitura do Rio

Foram cumpridos 17 mandados de busca e apreensão pelas suspeitas de pagamento de propinas a empresas contratadas pela prefeitura do Rio

Jornal GGN – O Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e a Polícia Civil deflagraram, na manhã desta segunda (10), 17 mandados de busca e apreensão pelas suspeitas de pagamento de propinas a empresas contratadas pela prefeitura do Rio.

A apuração investiga a Empresa de Turismo do Município do Rio de Janeiro (Riotur), na Cidade das Artes, sendo um dos lugares de mandados de buscas, além do presidente da Riotur, Marcelo Alves e seu irmão Rafael Alves.

Apesar de outras informações não serem divulgadas pelo Ministério Público, para manter o sigilo dos autos, reportagem de O Globo de dezembro passado informou que parte da apuração partiu de uma delação premiada do doleiro Sérgio Mizhay, preso na Operação Câmbio, Desligo, há dois anos.

No depoimento, o doleiro disse que Rafael Alves seria o responsável pelo “QG da Propina” na prefeitura do Rio, e fazia supostamente o ressarcimento das faturas em aberto, sendo um dos homens de confiança do prefeito Marcelo Crivella, ajudando-o na doações de empresas e pessoas durante a campanha de 2016.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Corte no Bolsa Família no nordeste "revela tempos estranhos", diz Marco Aurélio

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome