“Não vamos abaixar a cabeça”, diz Lula em mensagem de Ano Novo

Direitos à saúde, educação e emprego são possíveis apenas em uma democracia plena, escreveu ex-presidente
 
Foto: Agência PT
 
Jornal GGN – O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entregou aos advogados uma carta dirigida à população e lida às vésperas da virada do ano, para cerca de 2 mil pessoas que estavam em vigília em frente à Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, onde o ex-líder sindical encontra-se preso.
 
Lula iniciou a mensagem agradecendo a Deus pelo início de um novo ano e desejando para todos uma passagem reunida com familiares e amigos. 
 
“Como vocês sabem, vou passar o Ano Novo numa cela em que fui preso sem ter cometido crime nenhum, condenado sem provas e sem direito a um julgamento justo. Mas não me sinto só. Não estou só”. A vigília organizada em apoio ao ex-presidente, teve atividades organizadas desde as 9h da manhã do dia 31 de dezembro, e contou com ceia e um ato ecumênico.
 
A Vigília Lula Livre em frente à sede da PF acontece desde abril, logo após o ex-presidente se entregar às autoridades. Entre os dias 24 e 25, manifestantes também realizaram uma vigília especial para comemorar o Natal com Lula.
 
“De onde me encontro, posso ouvir e até mesmo imaginar as expressões de solidariedade e amor dos companheiros e companheiras que me acompanham nessa vigília pela democracia desde a noite de 7 de abril, quando fui ilegalmente encarcerado”.
 
Na carta, Lula se dirigiu também diretamente aos manifestantes da vigília, declarando seus “mais profundos agradecimentos” pela solidariedade durante a passagem de ano.
 
Lula, seguiu agradecendo “a todos e todas”, tanto do PT quanto de diversos partidos, brasileiros e não brasileiros, militantes sociais e representantes de várias religiões que expressam solidariedade à sua condição, de preso político.
 
“Os últimos anos foram muito difíceis para o povo brasileiro, e é nisso que penso todos os dias. A fome voltou ao nosso país, o desemprego está rondando milhões de lares, os direitos dos trabalhadores estão sendo rasgados, as políticas sociais que protegem o povo estão sendo destruídas, a economia patina”. 
 
O ex-presidente do Brasil, destacou que 2018 foi um ano de lutas pela democracia no país, lembrando da manifestação do Conselho de Direitos Humanos da ONU para impedir a sua prisão durante a corrida eleitoral. 
 
“Eles podem prender uma pessoa, como fizeram comigo, mas não podem encarcerar nossas ideias, muito menos impedir o futuro”, pontuou Lula completando que, 2019 “será um ano de muita resistência”.
 
O ex-presidente prosseguiu na carta abordando a necessidade de defesa dos direitos à saúde, educação e garantia de emprego. 
 
“E isso só vai ser possível garantindo a democracia plena; em que seja livre o direito de organização, de manifestação e de expressão”, concluindo citando a canção de Chico Buarque “Amanhã vai ser outro dia”.
 
A seguir, leia a carta na íntegra. 
 
 
Meus amigos e minhas amigas,
 
Quero agradecer a Deus por estarmos iniciando mais um ano. Espero que esta noite todos possam estar reunidos à família e aos amigos, festejando a renovação da esperança em um mundo melhor.
 
Como vocês sabem, vou passar o Ano Novo numa cela em que fui preso sem ter cometido crime nenhum, condenado sem provas e sem direito a um julgamento justo. Mas não me sinto só. Não estou só.
 
De onde me encontro, posso ouvir e até mesmo imaginar as expressões de solidariedade e amor dos companheiros e companheiras que me acompanham nessa vigília pela democracia desde a noite de 7 de abril, quando fui ilegalmente encarcerado.
 
É a vocês da Vigília Lula Livre que dirijo meu primeiro e mais profundo agradecimento nesta passagem de ano. Vocês são símbolo mais forte de uma corrente de solidariedade e clamor por justiça que se estende por todo o Brasil e ao redor do mundo.
 
Agradeço de coração a todos e a todas, do PT, dos mais diversos partidos do Brasil e de outros países, aos que não são de partidos mas praticam a democracia, aos militantes sociais, aos religiosos e pessoas espiritualizadas, aos intelectuais, estudantes, trabalhadores da cidade e do campo, à gente boa e simples que me fortalece diariamente com manifestações, cartas e orações.
 
Os últimos anos foram muito difíceis para o povo brasileiro, e é nisso que penso todos os dias. A fome voltou ao nosso país, o desemprego está rondando milhões de lares, os direitos dos trabalhadores estão sendo rasgados, as políticas sociais que protegem o povo estão sendo destruídas, a economia patina.
 
Em 2018, nós lutamos nas urnas para mudar esta situação de forma democrática. Mas fizeram de tudo para impedir que os eleitores se pronunciassem livremente. A começar pela proibição ilegal da minha candidatura, desrespeitando a vontade da maioria e até uma decisão da ONU que garantia meus direitos políticos.
E não vamos desistir de lutar por um Brasil melhor e por um mundo de paz. Ao longo da história, o povo brasileiro soube enfrentar grandes desafios e injustiças. Por mais duras que fossem as condições, jamais nos curvamos às tiranias.
 
Eles podem prender uma pessoa, como fizeram comigo, mas não podem encarcerar nossas ideias, muito menos impedir o futuro. 2019 será um ano de muita resistência e muita luta, para impedir que o nosso povo seja ainda mais castigado do que já foi. O Brasil precisa mudar, sim, mas mudar para melhor.
 
Precisamos retomar o caminho do desenvolvimento com inclusão social. E isso se faz com transferência de renda, com geração de empregos, com investimento público e privado; isso se faz tratando os trabalhadores e os mais pobres como solução e não como problema.
 
Nosso objetivo em 2019 deve ser a defesa do povo brasileiro. Defender o direito à saúde e educação de qualidade. Ao emprego e à oportunidade de estudar e trabalhar em paz por um Brasil melhor.
 
E isso só vai ser possível garantindo a democracia plena; em que seja livre o direito de organização, de manifestação e de expressão. Em que todos sejam reconhecidos como cidadãos e cidadãs. Em que se pratique a verdadeira Justiça, sem perseguição política, ódio ou preconceito.
 
Eu continuo tendo fé em Deus e no povo brasileiro. Não vamos baixar a cabeça nem deixar que tirem nossa alegria de viver e de batalhar por dias melhores. Nós sempre tivemos coragem de lutar e temos coragem de recomeçar.
 
Desejo que o ano de 2019 seja o início de uma nova caminhada por um Brasil sem fome e sem pobreza, com emprego digno, saúde e educação para todos.
 
Como diz a canção do grande Chico Buarque: “Amanhã vai ser outro dia”.
 
Paz, amor e esperança!
 
Um Feliz Ano Novo para todos!
 
Um abraço fraterno do companheiro
 
Luiz Inácio Lula da Silva
 
Curitiba, 31 de dezembro de 2018

2 comentários

  1. Final de semana

    Neste recente final de semana de réveillon convivemos num sítio com vários casais, todos eles Bolsonaristas (apenas eu e minha esposa do PT). Não houve ofensas nem discussões acaloradas, mas apenas bons desejos para o Brasil. Quando o tema foi corrupção conseguimos o consenso de que o combate devia ser menos “parcial” e etc. Quero que, com o passar do tempo, possamos ganhar alguns desses votos dos nossos amigos. Não os combato nem discuto sobre o que “hoje” meus amigos pensam, mas, tento mostrar o lado positivo dos anos petistas e, sinceramente, espero chegar até 2022 (ou antes) com parte desses votos de volta para as causas populares. Assim acho que devia atuar o partido, em todo o Brasil. Feliz 2019 a todos!!

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome