Operação Spoofing não mostra elo entre hacker e vazamentos do Intercept

As autoridades atingidas pela suposta atuação dos 4 hackers presos até agora são do Rio de Janeiro e São Paulo, e não têm relação com a Vaza Jato

Foto: Agência Brasil

Jornal GGN – Embora sirva de combustível para os bolsonaristas que defendem a Lava Jato a qualquer custo – como a deputada Carla Zambelli (PSL-SP), que está ansiosa pela “delação premiada” dos hackers presos na terça (23) – o fato é que, até agora, a Operação Spoofing não mostrou qualquer elo entre as alegadas invasões em celulares de autoridades e o vazamento de mensagens de Telegram que fomentou as reportagens do Intercept.

A edição de O Globo desta quarta (24), por exemplo, é pura indecisão sobre esse “detalhe”: alguns textos misturam a Operação Spoofing com a Vaza Jato, mas outros admitem que “ainda não há indício de relação direta”.

Quem está usando a Spoofing para subir o tom contra Glenn Greenwald e equipe esquece, deliberadamente, de olhar para a lista das vítimas da suposta atuação dos 4 hackers presos até agora:

Além de Sergio Moro, estão:

  • O desembargador Abel Gomes, do Tribunal Regional Federal da 2ª Região, que fica no Rio de Janeiro.
  • O juiz federal Flávio Lucas, da 18ª Vara Federal do Rio.
  • O delegado da Polícia Federal Rafael Fernandes, da Superintendência paulista.
  • O delegado da Polícia Federal Flávio Vieitez Reus, que atua em Campinas.

O que esses nomes têm a ver com a Vaza Jato do Intercept ou mesmo com a operação conduzida antes por Moro?

A invasão relatada por Deltan Dallagnol, segundo O Globo, não consta no documento que autorizou a busca e apreensão e as prisões dos hackers, a maioria do interior de São Paulo.

Apenas 3 dos 4 presos já tiveram a identidade divulgada: “Gustavo Henrique Elias Santos, de 28 anos, que trabalha como DJ e já respondeu por porte ilegal de arma; sua esposa, Suelem; e Walter Delgatti Neto. Outro suspeito é conhecido em Araraquara pelo envolvimento em golpes na internet.”

Leia também:  Governo Bolsonaro omite efeitos da covid-19 e nega crise à ONU, diz Jamil Chade

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

17 comentários

  1. Sei lá! De qualquer modo – e conhecendo o modus operandi dessa turma – estou preocupado com a forçada de barra e essa falsa narrativa que estão construindo para incriminar Glenn Greenwald, a fim de impedi-lo de fazer seu trabalho.

    Acho que jornalistas, juristas, advogados poderiam criar uma rede de solidariedade profissional em torno do jornalista, ao se posicionar – preventivamente! -, o mais direta e duramente possível, contra mais esse golpe que se avizinha.

    14
  2. Vamos ver o que eles ganham o quanto perdem para indiciar o Glen ou se apenas serão chipados e soltos.
    Na verdade, mesmo que sejam constrangidos a indiciar o Glen, o que se pretende é alcançar a fonte do Intercept.
    Quero ver as estratégias do Glen nessa saia justa.
    O certo é que a única coisa que NÃO PODE SOBREVIVER nessa briga é a VERDADE DOS FATOS.

    • .Glenn deve estar tranquilão…
      o que vai resolver isso aí é a real intenção do invasor, que a meu ver era apenas obter informações de investigações para posteriormente serem vendidas para investigados

      hackear de verdade é quebrar mentes com o conhecimento do que se faz, não do que se tem, razão do desespero da lava jato porque só o conhecimento pode proporcionar liberdade para muitos

      já tivemos muitos casos parecidos, no tempo do Serra

    • .Glenn deve estar tranquilão…
      o que vai resolver isso aí é a real intenção do invasor, que a meu ver era apenas obter informações de investigações para posteriormente serem vendidas para investigados

      hackear de verdade é quebrar mentes com o conhecimento do que se faz, não do que se tem, razão do desespero da lava jato porque só o conhecimento pode proporcionar liberdade para muitos

      já tivemos muitos casos parecidos, no tempo do Serra

  3. Conhecem a expressão: “loque”?
    Eles devem pensar que todos somos, ou eles são.
    Pois é uma mistureba, entre esttas prisões e o material do intercept.
    Nada tem uma coisa com a outra.
    Analfabetos tecnológicos.

  4. Até agora, o único que falou a verdade foi Lula. Ele disse: “Eu vou provar quem são os verdadeiros ladrões deste país”.

  5. Cada dia o Brasil fica mais desmoralizado ….parece enredo de história em quadrinhos elaborada por alunos do maternal…..Quanto amadorismo….

  6. Nassif: não tem nada desse tal de “spoofk-os-cambau-de-bico” seja o que for. O negócio é ouvir qualquer coisa que se possa assemelhar a “Green-das-quanta”. O resto os sabujos do PríncipeParisiense dão um geito. Bota esse gringo desgraçado que atrapalhou a gloriosa caminhada do TogaSuja ao Çupremu e o latifúndio do Avivado de PatoBranco. Liquidaram um montão de gente e índio àtoa. Os verdeSauvas precisam parar com esses maledicentes do tal de Intercept. Vão acabar implantando a Democracia no Brasil. Absurdo. A caserna não haverá de permitir tal retrocesso. Daqui a pouco até roubar será crime. Vão acabar fechando o Legislativo, o Executivo e o Judiciário. Povinho atrasado.

  7. Dados reveladores: 1) o nome dado à operação Operação Spoofing – “termo que, segundo a PF, designa ‘um tipo de falsificação tecnológica que procura enganar uma rede ou uma pessoa fazendo-a acreditar que a fonte de uma informação é confiável quando, na realidade, não é” (FSP)”, denuncia por si-mesmo o caráter arbitrário e falacioso dada investigação que – sem chegar a um veredicto – a priori incrimina a os investigados presos pela operação , a qual cabe perguntar “quem disse que é isso que acontece, se não a PF, a mando de Sérgio Moro? Estabelecer esse tipo de juízo por antecipação é próprio e confirma o modo de operação do ministro da Justiça, desde que era era juiz da Lava Jato, conforme os fatos e revelações do Intercept. 2) O modo de noticiar pela grande mídia, sem estabelecer elo factual com a Vaza Jato, mas deixar os fios soltos para que o espectador estabeleça a ligação e interpretação é técnica poética mais que conhecida – desde os haicais ao cinema de Eisenstein – para produzir sentido por ideogramas, ou seja, pela justaposição de duas imagens ou conteúdos que, numa cópula ou conúbio, produzem sentido segundo a capacidade de interpretação, aceitação e leitura proposta por aquele que interpreta a mensagem. Em vez de signos arbitrários, dados factuais e decorativos, ficam os silêncios e espaços abertos a serem preenchidos por aquele que interpreta; daí, a mistura, ou o que se chama de “indecisão”, obedece estratégias bem definidas, a partir do imaginário criado por essa mesmo mefistófeles midiático que promoveu esse juiz fastico 3) ninguém se surpreenda se alguém que comete crimes assumir a autoria de um crime inexistente para obter uma delação premiada, afim de escapar daqueles.

  8. gostei da abordagem dessa matéria…
    os caras fazem ligações absurdas pra ver se pega…
    e tem site mesmo alternativo que ainda entra nessa.

  9. Estranho essa reportagem do Luiz . Me lembra até aquela Velho ditado : casa de ferreiro espeto é de pau…

    Ele não é o pai da até então Demitida de Veja em 2015, Joice que foi denunciada no Conselho de Ética do Sindicato dos Jornalistas do Paraná (Sindjor-PR) por plágio de 65 matérias e reportagens em passagens anteriores por veículos como Gazeta do Povo, Bem Paraná e G1, ao longo de 2014.
    Seu Manoel sempre será um homem íntegro e de caráter indiscutível . Antes de escrever deveria primeiro ter conhecimento da história e trajetória de vida deste grande senhor…

    Tá faltando conhecimento senhor autor

  10. O caso do Dr. Manuel é só mais um exemplo de ilegalidade que vem acontecendo nos processos criminais no país.

    A regra é a prisão. Pouco importam as medidas cautelares previstas no CPP. O lema é: vamos prender para apurar…quando na verdade, deveria ser o inverso. Mas não!! O que dá mídia!? é a prisão!!! Pouco importa a integridade física e moral da pessoa indiciada ou processada.

    Operadores do Direito, que muitas das vezes deveriam agir com imparcialidade, são motivados pela vaidade, sem ao menos se preocuparem com as pessoas.

    O Dr. Manuel ganhou a vida buscando o conhecimento, contudo, no final da sua vida, por ironia, foi vítima do desconhecimento, ou seja, aqueles que deveriam estar imbuídos na busca de conhecimento para manejar as leis, se quer têm o trabalho de estudar e buscar conhecimento para fazer o mínimo do trabalho correto.

    Infelizmente, não acredito que as pessoas que cometeram erros ao decidir pela prisão do Dr. Manuel possam possam ter a humildade de reconhecer o erro e mudar, mas esse desabafo poderá chegar um dia em alguém que possa refletir a respeito e tentar mudar as coisas.

    Enfim, espero que essa mensagem possa alcançar a todos, principalmente, aqueles que têm o poder de decidirem pelas pessoas, para que, então, possam pensar antes de tomarem suas decisões.

    Do Dr. Manuel fica o enorme legado positivo de tudo que ele fez como homem, pai, esposo, profissional, por fim, a todos que ele sempre ajudou.

    O Dr. Manuel íntegro e na certeza de inocente.

  11. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome