Operador de propina de Serra procurou a PF para explicar denúncias da Lava Jato

Foto: Rodrigo Capote/Folhapress
 
 
Jornal GGN – Paulo Vieira de Souza, o Paulo Preto, classificado pelo delator e empresário Adir Assad como operador de propina de José Serra (PSDB), procurou voluntariamente a Polícia Federal para explicar as acusações de que recebeu ao menos R$ 100 milhões, entre 2007 e 2010, que seriam usados em campanhas eleitorais do senador tucano. A informação é da colunista Mônica Bergamo.
 
“Paulo Vieira de Souza, ex-diretor da Dersa e conhecido como Paulo Preto, procurou a Polícia Federal em Brasília para dar sua versão sobre citações de seu nome na Lava Jato. Foram três encontros, em maio, setembro e outubro. Paulo foi ouvido pelos delegados Luiz Flávio Zampronha, Cleyber Malta Lopes e Thiago Marcantonio Ferreira”, publicou Bergamo, nesta segunda (4).
 
Em maio passado, Adir Assad, que está preso em Curitiba, propôs um acordo de delação premiada à Lava Jato no qual afirma que Paulo Preto recebia recursos de empreiteiras que tinham contratos com o governo de São Paulo para obras encampadas pelo governo Serra. Os R$ 100 milhões seriam apenas uma fração dentro do esquema que pode ter movimentado mais de R$ 1 bilhão ao longo dos anos.
 
O papel de Assad era usas empresas de fachadas que eram subcontratadas pelas empreiteiras para emitir as notas frias para lavagem de dinheiro. Descontados os custos da operação, os recursos voltavam em dinheiro para as construtoras, que repassavam aos interlocutores do governo Serra.
 
O Estadão chegou a publicar que Assad não iria citar políticos – no caso, Serra – porque não reunia provas contra eles.
 
Luis Nassif publicou artigo no GGN apontando que a Lava Jato tinha condições de chegar em Serra através da colaboração de Assad, mapeando as operações com Paulo Preto. Mas isso dependeria da boa vontade de Rodrigo Janot, à época comandante do Ministério Público Federal. Leia mais aqui.
 
Paulo Petro “deixou as sombras na campanha de Serra, em 2012, quando vazou a informação de que supostamente teria se apropriado de recursos de campanha. Confrontado com o tema, Serra bateu em retirada e voltou imediatamente quando Paulo Preto proferiu a frase célebre: ‘não se deixa um amigo ferido no campo de batalha'”, lembrou Nassif.
 
Paulo Preto também foi delatado pela Odebrecht. O Ministério Público de São Paulo abriu dois inquéritos para investigá-lo, disse o Estadão. Uma das frentes estaria ligada à construção do Rodoanel, depois que Benedicto Júnior, ex-diretor do Departamento de Infraestrutura da Odebrecht, disse que o contrato assinado em 2006 precisou ser renegociado.
 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Moro trabalha para bilionário israelense investigado por corrupção na Suíça e EUA

12 comentários

  1. “Paulo Petro “deixou as

    “Paulo Petro “deixou as sombras na campanha de Serra, em 2012, quando vazou a informação de que supostamente teria se apropriado de recursos de campanha. Confrontado com o tema, Serra bateu em retirada e voltou imediatamente quando Paulo Preto proferiu a frase célebre: ‘não se deixa um amigo ferido no campo de batalha'”, lembrou Nassif”:

    !!!!!!!!!!!!!!!!!!  Paulo Preto estava cobrindo um rombo nas contas causado por Serra?!?!?!

  2. Alguém ainda acredita no Judiciário ?

    O processo será remetido ao MP/SP e o procurador Rodrigo de Grandis será designado para esquecer o processo em alguma gaveta. Quando for denunciado por prevariação, Rodrigo de Grandis será absolvido pelo CNMP.

     

  3. Conta, mas conta tudo

    E o José Serra ainda estava afim de voltar a ser governador de São Paulo. Não contava com o outro Paulo. Alias, uma vez Paulo Vieira de Souza disse não gostar que o chamassem de Paulo Preto. Por acaso esse apelido veio de seus colegas politicos? O que dah andar com a massa que se pensa branca e cheirosa. Ô Paulo Preto, você é mais bonito que essa coisinha feia do Serra e a maioria do PSDB;agora, ca para nos, operador de José Serra e do PSDB, deve ter muito mais a contar para a PF, hein 😉 

    • conta…..

      Paulo Preto não se aposentou por Tempo de Serviço? O Tucanistão achou a saída brilhante para não parar na cadeia. Traz todo MP para dentro da Corte. Quem? Qual? Processo? Devidamente arquivado. De onde veio o ‘Engavetador Geral da República’? Barroz Munhoz, grande bicudo do Tucanistão. Processos sobre desvios bilionários nas costas. Tudo engavetado por anos, pela grande família Desembargadora de SP. Quando desengavetado, a surpresa: Prescrição por idade !!!!! É este o Brasil que está mudando e que alguns lunáticos ainda acham que parte do Judiciário é muito agressivo? Surreal !!! (mas quero lembrar a todos Fanáticos, ladrão era o Maluf. O tal do rouba mas faz. Agora o turma do rouba e não faz, que espetáculo !!!). Enquanto isto Picolé de Chuchu constrói um Elefante Branco entre a linha leste do metrô e o Aeroporto Internacional de SP. Enterrando na Suiça, alguns bilhões de reais em torres de aço e cimento, que poderia facilmente ser substituídos por uma simples linha térrea de trens. Enquanto MP e Judiciário fingem que Trensalão Tucano some com bilhões de dólares sem o conhecimentos de aves de grande plumagem do governo do estado de SP, a SIEMENS tenta acordo bilionário com a Justiça para se livrar de culpa. Só a Siemens. Falta ainda CAF, Bombardier, Alstom…(tem alguém de empresa estrangeira presa por corrupção? Alguém? Um tal de Marcelo, Joesley, Wesley. Alguém é de multinacional?) E Paulo Preto continua nas manchetes. De Franco Montoro a Geral Alckmin. Uma vida a serivço do progressismo, socialismo e transformar o país através da democracia. E fundamentalistas, em pleno 2017, ainda acreditam em bruxas. Bruxas não existem.   

      • empresas estrangeiras, são
        empresas estrangeiras, são poupadas de responsabilização e empresas brasileiras pagam bilhões no exterior além da perda de mercado.

        não houve, por exemplo, a responsabilização da Keppel Fels apesar da imputação direta da empresa pelo delator Zwi (Skornicki), ou da Samsung, onde é publica sua participação nos crimes de corrupção, que depôs o presidente da Coréia.

        • empresas….

          A neta do Alckmin está sendo criada na Noruega, com a mãe subsidiada por salários de estatal paulista. Só ficamos sabendo pela tragédia com seu filho. Assim como começamos a descobrir passaportes italianos, portugueses, russos…Descaradamente Presidentes ou candidatos à Presidência do Brasil fazem lobby para Empresas e Economia Estrangeiras destruindo nossas Empresas, Economia e EMPREGOS Brasileiros. Você acha que existe algo parecido no Mundo ou esta gente estaria fuzilada ou presa, caso fosse outro país? Acordemos da nossa inocência. 

  4. No primeiro depoimento na PF

    No primeiro depoimento na PF Paulo Vieira de Souza disse que o dinheiro da propina foi para Lula. Nos 2 outros ele confirmou.

  5. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome