Os crimes políticos

Da Folha

Tarso concede asilo a italiano condenado por terrorismo

Ministro alega que caso é político e que Cesare Battisti não teve direito a ampla defesa

Com a decisão, o processo de extradição de Battisti, que tramita no Supremo, ficará suspenso; italiano pode ser solto ainda hoje

Justiça arquiva pedido para investigar morte de Herzog

Ação visava responsabilizar militares, mas Procuradoria alega que crimes prescreveram

Após decisão, a única forma de mover uma ação criminal contra oficiais do DOI-Codi de SP será recorrer à Corte Interamericana de Justiça

DA REPORTAGEM LOCAL

A Justiça Federal de São Paulo decidiu aceitar a solicitação da Procuradoria Criminal do Ministério Público Federal e arquivar o pedido de investigação criminal das mortes do jornalista Vladimir Herzog e do militante da ALN (Ação Libertadora Nacional) Luiz José da Cunha, o Crioulo, mortos por agentes do DOI-Codi durante a ditadura militar (1964-1985)

Luis Nassif

62 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Pronto, era o que faltava.
    Pronto, era o que faltava. Logo logo todos os criminosos com dinheiro do mundo estarão procurando “asilo” no Brasil para terem a ajuda da nossa “justiça” mui amiga.

    (escrevo entre aspas porquê inexiste justiça no Brasil)

  2. Meu comentário para o Waden
    Meu comentário para o Waden foi postado às 12:37h (horário do meu computador, do Observatório Nacional e Oficial de Brasília!)

  3. Segundo o Maierovitch, o
    Segundo o Maierovitch, o Battisti é um criminoso comum:
    http://www.ibgf.org.br/index.php?data%5Bid_secao%5D=8&data%5Bid_materia%5D=1161
    O problema é que o Brasil não extradita qd a pena imposta viola os direitos humanos, caso da prisão perpétua e da pena de morte. No caso, apesar da posição oficial da Itália de que não haveria ergástolo (prisão perpétua, mais ou menos), a posição “oficiosa” é que o Battisti seria “executado” na prisão.
    Seria a única justificativa (fraca, muito fraca, infelizmente) para a atitude do Tarso.

  4. Pois é Gilson, seu comentário
    Pois é Gilson, seu comentário me lembrou a greve do Polo Petroquimico de Camaçarí aqui em Salvador.
    Meu marido estava lá, e o JAQUES WAGNER também. (Sindiquímica)
    Resultado: quase todos demitidos. meu marido por ex. ficou com a fixa pra lá de suja no polo. o sindicato não conseguiu reaver o emprego de ninguém.
    E o JAQUES WAGNER é o que Hoje?

  5. Como tenho dito, Tarso mais
    Como tenho dito, Tarso mais que decepciona, indigna.
    Chego a pensar que lutei em vão contra a ditadura, haja visto certos “companheiros” depois que cargos e status.
    Lembro que nos idos de 1970/80 a peãozada das fábricas viam com maus olhos a aparição de lideranças sindicais que os queriam levar à greves. A ótica era de que a peãozada apanhava e era demitida, as LIDERANÇAS iam embora ou faziam acordo com os patrões.
    Tai o Tarso e outros que dão razão àquela maneira de pensar da massas.

  6. Logico que “prescreveram”,
    Logico que “prescreveram”, nao foi pra isso que a justica brasileira foi pre-programada?

    Agora… importar criminoso? Ta suspeito sim. Quais sao so processos contra brasileiros correndo na justica italiana nesse exato momento, gente?

    Ta parecendo troca de favores.

  7. A Carta Capital acompanha de
    A Carta Capital acompanha de perto a dituação desse Sr., o Cesare.

    Pelo que informam trata-se de um assassino cruel.

    É uma vergonha uma coisa dessas.

    Como têm ministros fracos no governo.

  8. Carlos Roberto,
    Não entendi
    Carlos Roberto,
    Não entendi o que os grandes glúteos tem a ver com as calças (assim pode?). Todo mundo quem, cara-pálida? Eu sempre defendi a revisão da Anistia em relação aos crimes cometidos pelos militares. Acho a posição da Justiça Federal de São Paulo (ops, pq será que é a daqui?) totalmente descabida.
    A posição do Tarso no caso do Battisti não tem absolutamente nada com isso. Pode ser até um gesto humanitário (não muitas dúvidas do destino do cara se ele voltar pra prisão na Itália), mas é uma abertura de flanco extremamente perigosa.

  9. Engraçado! Quando o Tarso
    Engraçado! Quando o Tarso falou que alguns crimes cometidos na ditadura, pelos militares, não podiam ser alcançados pela Anistia, todo mundo mandou ele calar a boca e não mexer nesse vespeiro. Agora o criticam. Dá para entender a mente humana!?!?!?!?

  10. O Tarso Genro é um sujeito
    O Tarso Genro é um sujeito que me dá nojo. Afastou o Protógenes das investigações do DD, armou tudo para simular que o inquérito policial teria andamento “normal”, agora vem com essa de dar proteção a um assassino.

    Quando os “revolucionários de 1964” matavam isso foi um crime – diz Tarso Genro -, já quando os “terroristas de esquerda” faziam isso “lutavam pela democracia”.

    O sujeito não tem o menor constrangimento em desqualificar a Justiça Italiana e nada falar sobre os abusos do Gilmar Mendes na defesa dos interesses do DD.

    O sujeito é um ….

  11. WEDEN:

    Um escritor
    WEDEN:

    Um escritor metido a intelectual.

    Asssassinou a sangue frio dezenas de pessoas.Mas´”só” 4 são confirmadas.

    Ficou exilado um tempo na França.Depois foi pra Africa.E depois pro Brasil.E aqui foi preso.

    Nunca entendi como asssassinos a sangue frio são diferenciados.Uns políticos,outros passionais e outros por qualquer ”’motivo”

    Numa guerra,como acontece em gaza,bombas são jogadas.E se mata a esmo.

    Agora,cara a cara,na maior frieza ,matar alguém conversando?

    E o nosso ministro disse que é crime político.

    AH…ia me esquecendo:

    Na Italia está condenado a prisão perpétua.

    Bem resumido.

  12. Duas notícias muito tristes e
    Duas notícias muito tristes e que invertem a lógica da polarização sobre a nossa Lei da Anistia.
    Tarso, que defende a diferenciação entre crimes de Estado e crime comum manda soltar Bastide. Que não era do Estado mas representa a opção pessoal pelo desprezo a vida, sem nada ou pouco a ver com o contexto politico.
    Será criticado com dureza exatamente por aqueles que defendem a tese dessa simbiose para os milicos torturadores.
    Porém, Tarso estaria quase sendo coerente com a outra decisão na justiça comum de não punir os assassinos de Herzog. Jogando para escanteio o conceito de crime lesa-humanidade, do qual o Brasil concorda (no papel). Deixemos todos soltos pois a justiça brasileira foi feita para manter a ordem… e as coisas como sempre foram.

  13. É simples.

    Esse Cesare era
    É simples.

    Esse Cesare era militante de um grupo de esquerda armado que lutava contra o governo eleito da Itália.

    Ele cometeu 4 assassinatos, além de alguns roubos, inclusive um, onde ele matou um pai de família na frente de seu filho de 13 anos que acabou paraplégico.

    Foi julgado pela justiça Italiana, aquela mesma justiça que tanto inspira o delegado Protógenes e o Juis DeSanctis, que o condenou à prisão perpétua.

    Em resumo, era um esquerdista que queria derrubar o governo democraticamente eleito pelas armas, matou, assassinou e roubou. Foi condenado e recebe um salvo conduto do cumpanheiro Tarso.

    Tarso envergonha os brasileiros.

  14. A ideologia cega até os mais
    A ideologia cega até os mais racionais. Ou emburrece. A Tarso não se aplica. Um garoto de recados de muitas pessoas não tem luz própria. Obedece quieto o que lhe é determinado.

    Uma vergonha. Viramos abrigo de terroristas.

  15. Uma coisa são crimes
    Uma coisa são crimes cometidos pelo aparato estatal outra os crimes de grupos políticos armados.

    A Itália pagou um preço muito alto pelos crimes dos terroristas. Tanto de direita como de esquerda. Cito dois: o atentado na estação de Bologna e a morte de Aldo Moro. Mas nunca saiu dos limites da lei na repressão desses grupos. Ao contrário dos militares golpistas aqui no Brasil.

    Aldo Mouro raptado, a polícia tinha nas mãos membros da Brigada Rossa que poderiam “abrir” sua localização. O general encarregado recebeu pedido de autorização de tortura e respondeu: “A Itália pode perder Aldo Moro e recuperar-se, mas jamais vai se recuperar se reinstalar a tortura.” Aldo Mouro foi covardemente assassinado.

    Nemo governo italiano, nem a sociedade italiana (morei lá posso testemunhar) jamais perdoaram esses assassinos. Os membros da Brigada Rossa tiveram todo o direito de defesa, ao contrário do que diz Tarso.

    Me sinto envergonhado em presença dos meus amigos italianos (que não votam no Berlusconi).

  16. Porque o PT se mete nesses
    Porque o PT se mete nesses embrólios?? Faça como o PSDB aqui em São Paulo… fica omisso aos olhos da população e pronto!

  17. Não me surpreendo com o
    Não me surpreendo com o Cesare Battisti ser asilado aqui no Brasil após fazer o que fez (entre outras coisas, matar um pai na frente do filho de 13 anos e, logo após, atirar no adolescente, hoje paraplégico). Se formos pensar que este é o país que liberou os sequestradores do Abílio Diniz e aceitou aquela papagaiada de que eles seriam um grupo político (aliás, mais um pouco o PCC vai invocar isso), não seria de se surpreender. Já sobre o Cesare, a papagaiada é a de que ele não teve ampla defesa.
    Já sobre o Herzog, seria excelente que fosse para a Corte Interamericana de Justiça, pois por lá, como há realmente lei e justiça, seria mais uma condenação bem vexatória ao nosso país. Mas tem de ser aquela condenação que faça cada um de nossos quase 200 milhões de habitantes ter a mais absoluta vergonha de ser brasileiro. Vale lembrar que o Brasil, miscigenado que é, é o único país condenado por racismo na tal Corte (http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI1256825-EI306,00.html). Portanto, que ninguém se surpreenda se, mais um pouco, o STF julgar a Lei da Gravidade como inconstitucional.

  18. Parece que a justiça francesa
    Parece que a justiça francesa pensa da mesma forma que o Tarso Genro porque pelo que lí o Cesare Battisti, por onze anos, morou tranquilamente na França sem ser molestado até que houva mudança de governo e ele decidiu fugir para o Brasil. Na época, o governo francês também entendeu se tratava de uma questão política.

  19. Quem é Itália pra nos dizer o
    Quem é Itália pra nos dizer o que é certo?

    O país de Berlusconi, que perseguiu e matou toda sua esquerda?

    Me compra que eu gosto?

    Prescreveu aqui, prescreveu lá!

    E o homem do Banco, que só teve a extradição em Mônaco?

  20. A revista Caros Amigos também
    A revista Caros Amigos também acompanha o caso.

    “Condenado à revelia à prisão perpétua, na Itália, por quatro crimes dos quais nega ser o autor, Cesare Battisti tinha se beneficiado, na França, de uma decisão do presidente Mitterrand contrária à extradição de antigos militantes revolucionários italianos.

    Entretanto, o fim do governo Mitterrand, pos fim à sua anistia política. Um novo pedido de extradição pela Itália acabou sendo acatado pelo governo francês de Jacques Chirac.

    Além da questão humanitária, pois os crimes dos quais é acusado ocorridos no começo dos anos 70, normalmente já teriam sido prescritos, os crimes dos quais é acusado fazem parte de uma outra época da história política européia – o das Brigadas Vernelhas, cujas manifestações ocorreram tanto na Alemanha como na Itália. Uma das últimas militantes alemãs, acaba de ser indultada depois de trinta anos de prisão. Eram jovens idealistas de origens diversas motivados pelo desejo de mudar o mundo e envolvidos na má opção da luta armada, sem terem percebido ser impossível por falta de estrutura chegar aos seus fins por esse caminho.”

    Completo aqui: http://carosamigos.terra.com.br/nova/ed120/extradicao.asp

  21. Vejam quem foi o pai da
    Vejam quem foi o pai da lambança:

    Lula determinou que Tarso concedesse asilo a Battisti
    Laryssa Borges
    Direto de Brasília

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva determinou no início da semana ao ministro da Justiça, Tarso Genro, que aprovasse refúgio ao italiano Cesare Battisti, um dos chefes da organização de extrema-esquerda “Proletários Armados pelo Comunismo” (PAC) e condenado por terrorismo em seu país de origem.

    » Itália pede para Lula rever decisão
    » Tarso concede refúgio a extremista
    » Negado pedido de refúgio de Battisti
    » STF manda transferir Battisti ao DF

    Após a conversa entre Lula e Genro, o chefe da pasta da Justiça confirmou a decisão de conceder asilo ao italiano. A iniciativa, confirmada nesta terça-feira pelo Ministério da Justiça (MJ), teve por base o argumento de “fundado temor de perseguição”.

    Em novembro do ano passado o Comitê Nacional para os Refugiados (Conare), vinculado ao MJ, havia negado pedido de refúgio ao militante de esquerda. Condenado à prisão perpétua por quatro assassinatos ocorridos no final da década de 1970, Cesare Battisti foi preso e fugiu, refugiando-se na França e na América Latina.

    Com a confirmação do despacho de Tarso Genro, o Supremo Tribunal Federal (STF), que analisava pedido de extradição formulado pelo governo da Itália, deve determinar a liberdade do suposto terrorista nos próximos dias.

    Para tentar reverter a situação, o governo italiano se propõe a encaminhar uma carta ao presidente Lula solicitando que Battisti não seja colocado em liberdade. O documento ainda não chegou ao Palácio do Planalto.

    Redação Terra

  22. Agora é a anistia geral?
    Agora é a anistia geral?
    Qual a intenção de Genro? Transformar o país no paraíso dos criminosos com alguma ligação política?

    Se o Pinochet fosse mais esperto tinha vindo morar no Brasil!

  23. Washington, 14 jan (EFE).-
    Washington, 14 jan (EFE).- Uma organização oposta à Guerra do Iraque convocou uma manifestação para pedir que o presidente americano George W. Bush seja preso por “crimes contra a humanidade”, durante a posse de Barack Obama em Washington, daqui a seis dias.

  24. Não conhecia esse caso, mas
    Não conhecia esse caso, mas se ele é tão culpado assim como disseram aí acima, como a França deu asilo para o italiano por mais de dez anos?

    Crimes políticos não devem ser julgados com o fígado.

    Eu não o defendo de nada, só quero entender mais esse caso antes de dar o meu veredito.

  25. Bom, sem entrar no mérito de
    Bom, sem entrar no mérito de Battisti ter cometido crimes por motivação política ou comum (não conheço muito bem a história, li alguma coisa no blog do Mino e na Carta Capital), tem uma coisa aí que me chama a atenção: Cacciola, o banqueiro condenado por desvio de dinheiro público e gestão fraudulenta, vivia tranquilamente na Itália, que se negava a extraditá-lo para o Brasil com a justificativa de que ele era cidadão italiano.

  26. Não é a mesma coisa.

    Foi o
    Não é a mesma coisa.

    Foi o presidente Mitterand e não a Justiça Francesa que acolheu os terroristas italianos, desde que abandonassem a luta armada. Mas pelas leis da União Européia, esse critério começou a ser revisto a partir de Chirac. É o que diz a Folha e é correto. Por isso esse assassino fugiu para o México, de onde seria extraditado, e depois para o Brasil.

    Ano passado na França, repercutiu muito um caso parecido. Uma ex-militante da Brigada Rossa, estava para ser deportada. Por razões humanitárias –internada num manicômio (ou algo parecido) em estado lastimável – até Carla Bruni e sua família apelaram para o governo francês. Acabou não sendo deportada. Praticamente toda a Italia protestou. Este praticamente vai da esquerda à direita.

    No caso desse senhor (?) trata-se de um assassino condenado pela Justiça Italiana que pode – e deve – cumprir suas penas na Itália. A Itália na época não era e hoje não é uma ditadura.

    Não se pode confundir a luta armada – politicamente ambas equivocadas – na democracia da Itália e na ditadura militar do Brasil. A luta contra o terrorismo na Itália se deu dentro do marco das leis. Nunca houve tortura nem “suicídio” de presos políticos. Os terroristas foram julgados com pleno direto de defesa, ao contrário do que diz este triste ministro.

    Um ato que envergonha o Brasil.

  27. Já que o argumento da
    Já que o argumento da proporcionalidade está na moda, o que dizer da diferença entre o tratamento dado pelo Ministro Tarso Genro ao Cesare Battisti e aquele dispensado aos atletas cubanos que abandonaram a delegação de Cuba para ficar no Brasil, finalmente capturados pela PF e entregues ao regime dos Castro?

  28. Vergonhoso…
    a Carta Capital
    Vergonhoso…
    a Carta Capital aliás tem ao longo dos anos uma bela cobertura à respeito deste caso.
    D qq modo, infelizmente confirma-se a Máxima Brasileira: “Aos amigos tdo, aos outros… a Lei (ora… a Lei)”

  29. Só quero que me expliquem uma
    Só quero que me expliquem uma coisa, por que Tarso foi tão rápido em devolver para Cuba os boxeadores que competiram no Rio pelo Pan Erislandy Lara e Guillermo Rigondeaux, usando até a alegação que ambos se arrependeram da fuga e quiseram voltar para o país de origem, Erislandy estava “tão arrependido” que no ano seguinte tentou de novo fugir de Cuba e conseguiu, hoje está na Alemanha percebe-se, pois, que a justificativa de Tarso era pura conversa.
    Agora Tarso defende o asilo político para um terrorista.
    Alguém desenha aí pra mim, por favor ?

  30. É a republiqueta da
    É a republiqueta da impunidade, essa terra que no passado recente acolheu e prestigiou ladrão inglês confesso, agora abriga até assassino. Terá ele dado chances de ampla defesa aos que executou covardemente? Se ele cometeu crimes por motivação política e daí? Foi numa democracia, então deviam ter solto o assassino de JFK, foi crime político. Só pobre e preto ficam presos nesta baiuca, ainda assim com pena reduzida, progressão, visitas íntimas, saídas no natal para novos crimes, etc.
    Mais uma do fraco e tíbio ministro. Também com esse ministro e esse poder judiciário….

  31. LN,

    Tenho uma visão diversa
    LN,

    Tenho uma visão diversa da maioria aqui.

    O envolvimento de ativistas de esquerda em ações criminais, eventualmente terroristas ( há sérias diferenças entre as duas coisas…) durante os anos de chumbo é uma questão que ficou mal resolvida nas sociedades européias, sobretudo na Itália e na Alemanha. Algumas destas ações foram próximas, na sua forma, daquelas dos opositores à ditadura militar no Brasil.

    Battisti estava envolvido com um grupo de extrema esquerda na Itália e a sua condenação é pouco clara no que se refere a sua participação como assassino ou simplemente como membro do grupúsculo.

    evidentemente, na Itália — e em outros países — não houve uma anistia nem um esquecimento destes anos que deêm uma base jurídica a um perdão.

    Mas comparar Battisti com um criminoso comum é fazer pouco da história das esquerdas no mundo.

    Não vejo no que o Brasil seja prejudicado em permirir a presença de Battisti. Ele evidentemente não está ligado à criminalidade. E por outro lado,… bem demos asilo a Stroessner…e outros figuras São tão culpados quanto Battisti por eventuais mortes, apenas tinham a chancela do poder estabelecido…

  32. No caso dos boxeadores
    No caso dos boxeadores cubanos, o excelentíssimo sr. ministro da Justiça mais do que depressa mandou os coitados de volta para o país do qual fugiram, no caso uma ditadura, e não eram assassinos nem nada, apenas não concordavam com o regime e queriam mudar de país, o que é proibido lá.

    Isso somente faria sentido se o país de origem fosse uma ditadura sanguinária, o que não é o caso. Ele foi julgado e condenado pela Justiça de um país democrático. Está-se pondo em dúvida uma decisão da Justiça italiana.

    Como alegar que o julgamento tem falhas? Será que ele não terá um julgamento justo na Itália, caso comprove as falhas? É um pré-julgamento da Justiça italiana pelo nosso ministro. Será que a nossa democracia/justiça é mais adiantada?

    E se ele matar ou sequestrar aqui, quem será o responsável? Será que não se tornará mais um Norambuena, que, condenado à prisão perpétua no Chile, praticou sequestros aqui e não pode ser extraditado porque a pena lá é maior que a daqui?

  33. Sem maior rigor jurídico, é
    Sem maior rigor jurídico, é de se considerar que, não torturando esquerdistas (direitistas pode…), tudo “caduca” …

  34. A Itália madou seu embaixador
    A Itália madou seu embaixador deixar o Brasil e voltar para a Itália.

    Lula fez o mesmo com o Equador para garantir a grana da Oderbrecht.

    Já a Itália tem a justiça como motivação.

    Dá pra ver a diferença entre os dois países.

  35. “Já o senador Demóstenes
    “Já o senador Demóstenes Torres (DEM-GO) disse que o Brasil está se “especializando” em abrigar “criminosos”.”

    E alguns são abrigados no Senado da República…

  36. Quem disse que Norambuena não
    Quem disse que Norambuena não pode ser extraditado?

    Claro que poderia, se os filigranistas jurídicos deixassem.

    Jornais diziam que ele tava aprontando na cadeia.

  37. Wilson Cunha Junior, o que se
    Wilson Cunha Junior, o que se pode esperar da Caros Amigos ? Uma revista que já foi atrás de um suposto filho bastardo para atacar um político brasileiro? Para essa gente tudo é válido para defender os amigos e atacar os inimigos.

    O brilhante argumento da revista pode ser usado para tudo, por exemplo, tinha um grupo de idealistas de direita aqui no Brasil que queria defender o país do comunismo e torturaram e mataram uns adversários, etc.

    A esquerda protege seu canalhas de um lado, a direita protege os seus de outro e que se dane as leis e as vítimas. O que importa mesmo são os ideais.

  38. Uma explicação aos que estão
    Uma explicação aos que estão comemorando a decisão do Tarso Genro como um “troco” na Itália, emrazão do caso Cacciola: o Cacciola não foi extraditado simplesmente porque também é cidadão italiano, e a Itália, a exemplo do Brasil, não extradita seus nacionais por expressa disposição constitucional.

  39. Alguns comentários acerca do
    Alguns comentários acerca do caso Cesare Battisti:

    1. O caso Battisti chegou à Corte Européia de Direitos Humanos, e foi julgado improcedente, dando-se ganho de causa ao Estado Italiano. Foi considerado que Battisti teve ampla possibilidade de defesa, tendo inclusive constituído advogados durante o período de seu julgamento a revelia;

    2. Battisti ficou 11 anos na França em virtude de um entendimento do governo francês a respeito de crimes com motivação ideológica. Não necessariamente a subida ao poder de Chirac alterou a situação: na verdade, quando a França acolheu a jurisprudência da Corte Européia de Direitos Humanos, apenas em 2004 (após ter passado pela Corte Européia de Direitos Humanos), tornou-se possível a extradição de Battisti. A França apenas cumpriu o que determinou o direito comunitário da UE;

    3. o Conare, órgão responsável por avaliar os pedidos de asilo, no Brasil, já havia julgado improcedente o pedido de Battisti;

    4. finalmente, não é troco à justiça italiana: Cacciola, como já falaram, é cidadão italiano, o que complica as coisas. Se o ministro quis dar um troco, demonstra mais uma vez seu “notável” saber jurídico.

    Por último, uma consideração: se o criminoso fosse Pierluigi Bragaglia, terrrorista de extrema direita capturado em Ilhabela, no ano passado, condenado na Itália a décadas de prisão por crimes cometidos há quase 30 anos, e foragido há 26 anos, o ministro Tarso Genro teria tido o mesmo entendimento em relação à “questão política”?

  40. O Brasil está certo. É prá
    O Brasil está certo. É prá dar o troco à justiça italiana que não extraditou o terrorista financeiro Cacciola. Sifu mafiosos italianos no poder !

  41. Ah, e outro fato a se
    Ah, e outro fato a se destacar: Daniel Dantas sabe mesmo das coisas…só poderia mesmo ter utilizando os serviços de Greenhalgh, que tem um histórico incrível de vitórias na defesa de seus clientes, como agora prova mais uma vez no caso Battisti. Daniel Dantas sabe com quem se associar, não?

  42. Julio, vc se comporta como os
    Julio, vc se comporta como os defensores d Israel na atual crise d Gaza ao alegar q se É a esquerda q mata, “tdo bem”, tá justificado…; q um erro sempre justificaria o outro e se Stroessner “tdo bem”, Battisti idem. Para c/isso!

  43. Sou um mero desconhecido e
    Sou um mero desconhecido e nem pretendo ser o líder de coisa alguma.

    Mas a verdade nua e crua e que não temos quem nos represente.

    Falta um partido que legitime os VERDADEIROS anseiso da população.

    Alguém se habilita?

  44. ESTOU ESTARRECIDA COM
    ESTOU ESTARRECIDA COM COMENTÁRIOS IRRESPONSÁVEIS DESSAS PESSOAS. E AINDA SE ACHAM NO DIREITO DE DAREM VEREDICTO!!!! MAS DEMO CRASIA É ISSO!!!!! A INTERNET É ANAR QUISTA….ACEITA ATÉ ESSA MINHA INDIGNAÇÃO.
    FELIZ 2009 CESARE!!!!!! OBRIGADA MINISTRO TARSO GENRO!!!!!

  45. que vergonha brasil o refugio
    que vergonha brasil o refugio e paraiso de terrorista assassino
    e o pior tem gente que acha isso bonito que vergonha meu povo.

  46. LN,

    A primeira dificuldade
    LN,

    A primeira dificuldade do caso Battisti se liga à quando se deve reconhecer que uma crime é político ou não. Depende de uma interpretação histórica.

    Uma vez que se veja uma ação potencialmente criminosa como política, o tipo de julgamento que se lhe deva portar é diferente. Na política há vencedores e perdedores e o vencedor reescreve a história oficial e a lei de tal modo a considerar o perdedor um criminoso comum. Só é diferente quando temos uma reconciliação nacional ou uma anistia, como na África do Sul e no Brasil. Mas não na Itália.

    Battisti é um perdedor da história. Se damos a ele um tratamento segundo a lei comum, adotamos a posição do vencedor, o estado italiano. Tomamos partido de um lado.

    O Brasil tem negado extradições para todos os membros das brigadas vermelhas por reconhecer que são de natureza política os atos que os incriminam. Não me parece que Battisti seja muito diferente.

    A segunda difculdade é saber quando, na ação política, ultrapassam-se os limites da dignidade humana, mesmo na ação armada. Na guerra, há a convenção de Genebra. Nas ações de guerrilha e luta armada política, não existe um equivalente. É preciso que se faça um julgamento caso a caso, dentro de marcos legais mal-definidos.

    É isso que governo brasileiro fez. Creio que nisto tudo pesa o fato de que passada a ação política, Battisti teve uma vida normal, não de criminoso.

    O asilo que um país concede não representa uma tomada de posição de um lado de uma facção numa disputa. Representa uma atitude de tolerância. Abrigar derrotados da história é antes humano. No caso Battisti, a extradição representaria subscrever a história ditada pelo vencedor.

  47. Prezado Nassif.
    Para uma
    Prezado Nassif.
    Para uma melhor compreensão do caso Battisti e de outros relativos aos anos de chumbo na Itália, sugiro a leitura do livro de Carlo Ginzburg, Il giudice e lo storico: considerazioni in margine al processo Sofri, Feltrinelli Editore, 2006 (1ª ed. Einaudi, 1991). Há uma tradução espanhola: El Juiz y el historiador. Madri: Via Gráfica, 1993. Seria uma boa dica de leitura também para o Walter Maierovitch para, quem sabe, melhor informado, reveja sua posição sobre o assunto.
    Cordialmente,

  48. Caro Luís Nassif
    Se o senhor
    Caro Luís Nassif
    Se o senhor tivesse colocado aquela vergonhosa foto do Wladimir Herzog, morto no banheiro, sentado e com uma corda no pescoço, no “post”, sensibilizaria mais os frequentadores do “blog”, quanto ao que foi a Gloriosa Revolução de 1964.

  49. Me impressiona a manipulacao
    Me impressiona a manipulacao da midia, tambem, nesse caso. Ontem no jornal da globo, a noticia foi dada de forma a levar o telespectador a formar um juizo de valor contrario a decisao do Ministro da Justica. Nada foi dito sobre os 11 anos que Cesare Battisti esteve na Franca , pois o governo frances entendeu, assim como o nosso, que se tratava de questao politica. Pela maioria dos comentarios ja feitos creio a midia alcancou seu objetivo.

  50. porque devemos colaborar com
    porque devemos colaborar com a italia se a italia nao colabora conosco?
    E preciso fazer com a italia o que foi feito com os espanhois (imigracao).

  51. Passou 11 anos na
    Passou 11 anos na frança…….onde arrajou dinheiro…a esquerda financia….e o passaporte, se levou uma vida “normal” trabalhou em que! deu aula, fez palestra, foi comerciante….é um heroi da esquerda…não sei quem dá o dinheiro

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador