PF tenta provar que outro operador de Aécio recolheu propina da Odebrecht

Foto: Agência Senado
 
 
Jornal GGN – A Polícia Federal busca provas de que um suposto operador de Aécio Neves se encontrou com executivos da Odebrecht e recebeu uma mala com R$ 500 mil em 2014. O pagamento seria uma parcela dos R$ 5 milhões que a empreiteira afirma, em delação, ter pago via caixa 2 para a campanha presidencial de Aécio.
 
Segundo reportagem divulgada pelo portal U0L nesta quinta (18), a PF solicitou cópias de registros de entrada e saída de endereços ligados a Oswaldo Borges, ex-diretor da Codemig.
 
Borges é casado com uma das filhas do padrasto de Aécio, o banqueiro Gilberto Faria, morto em 2008. O investigado atuou como captador de recursos para a campanha de 2002 e, depois da vitória de Aécio, assumiu a Codemig, onde ficou até 2014, fim do governo Anastasia.
 
Em 2007, a Codemig realizou a licitação para as obras da Cidade Administrativa. Orçada em R$ 500 milhões, a obra acabou custando o dobro: R$ 1,26 bilhão. 
 
Os investigadores também pediram acesso a registros da empresa de veículos Minas Máquinas, onde Borger é diretor, e de um apartamento alugado pela Odebrecht, onde teria ocorrido a entrega da mala com R$ 500 mil.
 
Antes de enviar emissários ao apartamento da Odebrecht, Borges se encontrava com o delator da Odebrecht Sergio Neves, que dava “senhas” para acesso à propina. Esses encontros teriam ocorrido na Minas Máquinas. Borges nega que tenha usado a sede da concessionário para essa finalidade.
 
O inquérito sobre a propina de R$ 5 milhões da Odebrecht para a campanha de Aécio tramita no Supremo Tribunal Federal. As diligências da PF foram solicitadas em dezembro de 2017.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  MP estuda novas regras para fiscalizar e ter o controle externo de polícias

6 comentários

  1. Provas sem convicção são supérfluas

    Onde existem convicções, provas são supérfluas e onde não convicções provas são inúteis. O A´pecio Neves foi flagrado com malas de dinheiro bem como afirmou que mataria seu intermédiário para impedir que esse o delatasse.

    Além do mais,. de acordo com o $upremo Ministro Marco Aurélio Aécio – do $TF-,  Aécio Neves tem ‘fortes elos com o Brasil, é brasileiro nato, chefe de família, com carreira política elogiável’. Portanto, a Montanhas vai parir um rato.

  2. A gente espera sentada

    Que tristeza para a PF que tanto amou e apoiou o Ah é sim! agora ter que produzir provas contra seu heroi. Quem diria que os herois deles podem também morrer de overdose… Até a droga ficou conservadora.

  3. E quebra dos sigilos bancários e fiscais? Nada?

    Só registros de entrada e saída reforçam suspeitas mas não provam o crime. Sem quebrar os sigilos bancários e fiscais de Aécio e seus operadores (incluindo offshores), a investigação anda de lado e não reunirá provas. Sob medida para Gilmar absolver o tucano por “falta de provas”.

    Aliás por que a PGR não denunciou até hoje Aécio e o primo pelo caso da mala de dinheiro do Joesley? Se denunciou Temer (que só ainda não responde processo porque é presidente e a Câmara votou contra autorizar a abertura do processo) pelo mesmo motivo, por que ainda não denunciou Aécio? Isso é blindagem travestida de investigação mal feita.

  4. pf

    a mesma pf que até hoje não descobriu o senador mineiro que mora no rio, dono de 450 kgs de pasta de cocaina achadas num heliPÓptero de propriedade do amigo tambem politico

    a mesma pf que não descobriu quem matou a modelo mineira, mula do mensalão tucano de minas gerais

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome