Policial que matou ladrão na porta da escola deve disputar eleição pelo PR

Foto: Reprodução
 
 
Jornal GGN – A cabo da Polícia Militar Kátia Sastre, que fiou conhecida após ter reagido a uma assalto na porta da escola da filha, em São Paulo, e levado o ladrão à óbito, deve se filiar ao PR e disputar a eleição deste ano para a Câmara. 
 
Segundo informações do Estadão, a filiação de Kátia foi confirmada pelo deputado federal Capitão Augusto (PR-SP), que disse que “ela vai se filiar, mas como é militar da ativa, só poderá se filiar na convenção” do partido, que ocorre dentro de alguns meses.
 
O jornal ainda disse que Kátia esteve na terça (29) em Brasília, e se encontrou com lideranças do PR, entre eles, o ex-deputado Valdemar Costa Neto (SP), que comanda a legenda, e os deputados Tiririca (PR-SP) e Soraya Santos (PR-RJ). Esta última teria dito que “o Brasil precisa de gente” como a policial.
 
“No PR, a avaliação é de que a PM pode receber até 500 mil votos, o que ajudará a puxar outros parlamentares, ajudando o partido a obter uma grande bancada na Câmara. Ela se juntaria a Tiririca, que, apesar de dizer que não deve disputar, é tratado como candidato à reeleição nas eleições deste ano”, acrescentou o Estadão.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Boaventura de Souza Santos integra grupo que apoia Luis Nassif

9 comentários

  1. Vai se filiar ao partido ruim (PR) e não PT

    O mote da campanha é mate um ladrão e ganhe um beijinho do governador e uma assento no congresso. O trauma das crianças que viram alguém ser morto em sua frente é o de menos.

    • Ah sim, claro !

      Seria muito menos traumático para as crianças se elas fossem usadas de refém sob a mira de armas, é isso mesmo ?

      Ou então as crianças verem um dos coleguinhas mortos pelo ladrão, ou a mãe de um dos coleguinhas, ou a própria mãe. Tudo isso fui evitado pela atitude correta da PM ao eliminar o inimigo – sim, quem aponta uma arma é inimigo e deve ser morto.

      A candidatura é de um oportunismo absurdo mas ainda pior é defender o direito do bandido de cometer crimes.

  2. Policial….

    É lamentável que esta Policial, seus filhos e amigos tenham sofrido tamanha agressão por parte de Governos Esquerdopatas consecutivos e farsante Constituição Cidadã, que produziram esta aberração de um rapaz de apenas 20 anos, ter acesso à criminalidade e arma de fogo, sem inspeção ou registro. Esta Mulher, tendo o direito a ter uma Arma de fogo, pode se defender e a todos ao seu redor. Algo que a Libertdade Democrática possibilitará a todo Cidadão. É apenas questão de tempo. Uma Mãe de Família, que protege aos Seus e à Sociedade. O PR estará muito bem representado.     

  3. Oportunismo

    Reafirmo o que já disse aqui: a atitude da PM foi correta e eu também apoio a atitude do governador França em homenagear a PM na véspera do dia das Mães. Inclusive estou pensando eu deixar de votar em branco para votar nele por essa atitude.

    Mas é oportunismo puro uma candidatura dela. O que ela agregaria ao Parlamento? Quais são as propostas ? Candidatura fabricada, de um partido oportunista, cliente de primeira hora do balcão do Mensalão do PT. Tomara que não tenha 1.000 votos. 

  4. Xerifes do mundo

    Tempos pesados, esses… Bois, bíblias e balas, muitas balas, financiados todos pelos bancos.

    Mas não tinha jeito, está acontecendo igual em vários países do ocidente, o dólar tinha que entrar e para isso teve que destruir o “tecido social” que estava se tentando formar.

    Bagunçar para se “colocar à disposição” como organizador…

    – “Mas já estávamos nos organizando!”

    – “Não do jeito certo, não do nosso jeito.”

  5. Prefiro Tenório Cavalcanti, crudelíssimo mas verdadeiro

    Mais uma assassina para engrossar a bancada da bala no Congresso? Em um país de cegos, que mata jovens E policiais, essa é a expressão mais bem acabada da americanização da cultura, da política e da economia: violência e lucro para a indústria armamentista. Desejo que os filhos dessa infeliz sobrevivam a uma genitora da qual tiveram o azar de descender.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome