Procurador de Curitiba “ameaça” deputado do PT que apura escândalo das delações

Jornal GGN – O deputado federal do PT Paulo Pimenta usou as redes sociais para denunciar uma “ameaça” feita pelo procurador de Curitiba Carlos Fernando dos Santos Lima, um dos membros da força-tarefa da Lava Jato.

Segundo Pimenta, o membro do Ministério Público publicou uma crítica em tom ameaçador provavelmente em retaliação ao fato de que a CPI da JBS também investiga o escândalo das delações premiadas denunciado por Rodrigo Tacla Duran, envolvendo um amigo pessoal de Sergio Moro.

No Facebook, Santos Lima insinuou que Paulo Pimenta manifestou-se contra as delações premiadas porque é leniente com organizações criminosas e sugeriu que a eleição de 2018 irá limpar o Congresso de parlamentares que pensam de maneira similar.

“Para exatamente isso é que as colaborações existem, nobre parlamentar, para justamente desestruturar organizações criminosas. Por sorte 2018 está aí”, disparou.

O deputado reagiu dizendo que estamos em um “estado policial em um estado de exceção”.

“Minha gente, onde nós estamos. Nem a ditadura ameaçava seus opositores de forma tão explícita. Será que isso tem a ver com o conteúdo do áudio de Rodrigo Tacla Duran, que eu e Wadih Damous protocolamos hoje na CPMI?”, rebateu.

Pimenta também citou a farra das passagens aéreas estrelada por Santos Lima.

“Minha crítica foi sobre delações obtidas de forma ilegal e criminosa, se o senhor se sentiu atingido, lamento. Confesso que não foi do senhor que lembrei na hora”, ironizou.

Leia, abaixo, o texto de Paulo Pimenta na íntegra.

ESTADO POLICIAL EM UM ESTADO DE EXCEÇÃO!!

Leia também:  Vereador bolsonarista está entre os líderes do motim no Ceará

AGORA SOU AMEAÇADO POR INTEGRANTE DA FORÇA TAREFA DA LAVA JATO, POR MINHAS OPINIÕES SOBRE O INSTITUTO DAS DELAÇÕES PREMIADAS.

Um deputado federal emite uma opinião em um espaço democrático do Congresso Nacional. Logo em seguida, um Procurador Federal, contrariado com o conteúdo da manifestação, usa sua rede no Facebook para ameaçar o parlamentar. Sem qualquer explicação plausível, faz referências a 2018 e avisa: “2018 vem aí “!! Na sequência, um horda de bajuladores passa a me atacar. Não vote nele, Carlos Fernando avisou.

Minha gente, onde nós estamos. Nem a ditadura ameaçava seus opositores de forma tão explícita. Será que isso tem a ver com o conteúdo do áudio de Rodrigo Tacla Duran, que eu e Wadih Damous protocolamos hoje na CPMI?

Ou por eu ter recebido do MPF detalhes sobre a “farra das viagens e diárias” dos procuradores, e que, por coincidência, Carlos Fernando dos Santos Lima aparecia como um dos que mais se utilizava desse expediente.

Em levantamento, via Lei de Acesso à Informação, verificou-se que o procurador Carlos Fernando Santos Lima recebeu R$ 429.313,74 em diárias entre 2013 e fevereiro de 2017. Entre os destinos do procurador estão viagens para Estados Unidos e Áustria.

Dr. Carlos Fernando, ainda não nasceu o Procurador que vai me intimidar!!

PS – minha crítica foi sobre delações obtidas de forma ilegal e criminosa, se o senhor se sentiu atingido, lamento. Confesso que não foi do senhor que lembrei na hora.

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

50 comentários

  1. Mais preocupante é notar que
    Mais preocupante é notar que o procurador compartilhou (e deve se “informar”) um site horrível e desonesto que é esse O antagonista. O que passa na cabeça desse procurador?
    Como confiar na postura de PROCURADOR que segue um site desequilibrado destes?

      • https://istoe.com.br/13328_RAPOSA+NO+GALINHEIRO/

        Raposa no galinheiro

        Procurador Santos Lima, casado com ex-funcionária do Banestado, tentou barrar quebra de sigilo de contas suspeitas

        03.09.03 – 10h00

        A proverbial raposa volta a tentar tomar conta do galinheiro. Desta vez aconteceu nos EUA. No sábado 23 de agosto, uma comissão de autoridades brasileiras embarcou para um périplo por cidades americanas. A missão era verificar in loco investigações feitas pelos procuradores daquele país, que poderiam ser ampliadas nos casos de remessas monetárias ilegais e lavagem de dinheiro feitas por brasileiros. Estavam na turma os senadores Antero Paes de Barros (PSDB-MT) e Magno Malta (PL-ES) e os deputados Dr. Hélio (PDT-SP) e José Mentor (PT-SP), todos da CPI do Banestado, dois procuradores da República, uma delegada, um perito da Polícia Federal e consultores da Câmara dos Deputados. A viagem seria um sucesso, mas o trem quase descarrilou por causa de uma disputa insólita, cujos motivos até então ocultos se revelaram, no mínimo, de má-fé. É que entre os procuradores estava Carlos Fernando dos Santos Lima. Santos Lima, quando servia em Curitiba, foi quem recebeu e manteve engavetado, desde 1998, o dossiê detalhadíssimo sobre o caso Banestado e uma lista de 107 pessoas que figuram na queixa-crime sobre remessa de dólares via agência em Nova York. No episódio houve aquilo que em termos jurídicos se chama de “instituto da suspeição”, já que o procurador é parte interessada no caso. Sua esposa, Vera Lúcia dos Santos Lima, trabalhava no Departamento de Abertura de Contas da filial do Banestado, em Foz do Iguaçu. Agora, na Big Apple, Santos Lima fez um tour de force para que a documentação da quebra de sigilo de várias contas, realizada pelo escritório da Procuradoria Distrital de Manhattan, também não viesse à luz, enveredando por um labirinto burocrático que, como sempre, tem seu final em pizza.

        ISTOÉ recebeu informações de autoridades americanas de que 
        os procuradores Santos Lima e Vladimir Aras, do Paraná, tentaram amarrar a entrega dos preciosos documentos. Alegaram que os quatro membros da CPI não tinham autoridade para processar o caso e só 
        ao Ministério Público caberia a tomada de medidas legais. Insistiram também que só aceitariam os resultados da quebra de sigilo bancário
        se a Promotoria Distrital nova-iorquina remetesse a papelada para
        o Departamento de Justiça americano e este colocasse o crivo do 
        MLAT – o acordo de cooperação entre os ministérios da Justiça dos 
        dois países. O impasse causou constrangimento não apenas a quem forneceria a papelada como também aos parlamentares presentes.
        “Foi insólito”, disse um dos americanos.

        O impasse só seria resolvido através de uma manobra que frustrou Santos Lima. Os promotores distritais nova-iorquinos enviariam os documentos da quebra de sigilo para a filial do Banco Itaú em Nova York – instituição que comprou o Banestado na privatização, herdando o imbróglio – e o banco daria tudo aos senadores e procuradores. Com essa posse, os papéis seriam “consularizados”, ou seja: o Consulado do Brasil na cidade atestaria a autenticidade da documentação. De funcionários do Itaú ISTOÉ recebeu informações que houve nova investida de Santos Lima para que os membros da CPI não recebessem o que esperavam. A jogada, porém, não deu certo, e as provas obtidas pelo escritório do promotor Robert Morgenthal já estão nas mãos de quem promete dar continuidade ao caso. O senador Antero Paes de Barros (PSDB-MT), que encabeçava a missão parlamentar, disse: “No final da reunião com o District Attorney, a história do Brasil começou a mudar. Dou minha palavra de que esta CPI não vai acabar em pizza.” Mas, se depender do procurador Santos Lima, pode-se esperar uma mezzo-a-mezzo.

        Vera Lúcia, esposa de Santos Lima, trabalhava no Banestado quando, em 1998, o procurador recebeu em Curitiba o dossiê sobre as atividades ilegais do banco. No dia 17 de setembro daquele ano, ele tomou o depoimento de Heraldo Ferreira – ex-gerente de câmbio da agência do banco em Foz do Iguaçu –, em que fazia denúncias sobre as atividades da instituição financeira. O caso Banestado saiu da gaveta do procurador somente depois que ISTOÉ investiu nas apurações do escândalo. Apenas em 21 de março de 2003 é que o procurador Santos Lima enviou esse depoimento à PF, sendo que na Assembléia do Paraná havia sido instaurada uma CPI sobre o assunto quatro dias antes.

        A invasão ao galinheiro não seria feita apenas por uma única raposa. Junto a Santos Lima estava nos EUA Neide de Alvarenga – ex-chefe-geral da Divisão de Repressão ao Crime Organizado da PF (DCOIE). Era ela quem insistia para que a primeira equipe de agentes da PF – mergulhada nas investigações em Nova York, em fevereiro deste ano – voltasse ao Brasil. Isso a despeito de o chefe do grupo, o delegado José Castilho, insistir que as investigações avançavam e que o grupo tinha ganhado importante aliado no escritório do promotor distrital de Manhattan. Os faxes que Neide mandava para o Consulado do Brasil em Nova York, onde os agentes se reuniam, eram de conhecimento público, já que não vinham protegidos pela confidencialidade. Batia-se sempre na mesma tecla: a da interrupção dos trabalhos e a volta da equipe, o que acabou acontecendo em abril. Não foi por falta de convites que a delegada deixou de verificar no local os progressos – que hoje são provados pelas 270 caixas de documentos que o District Attorney pôs à disposição das autoridades brasileiras. Mas ela só decidiu viajar em companhia do procurador Santos Lima.

        Nem tudo, porém, foi refrega na viagem desta comissão de parlamentares e procuradores. A primeira escala do grupo foi Washington. Na capital americana, a visita rendeu frutos inesperados: o adido da Receita Federal na Embaixada do Brasil entregou à comissão uma lista com 170 nomes
        de pessoas que possuem imóveis em território americano, não declarados ao Fisco brasileiro. Da lista, fazem parte artistas, empresários e políticos. No total, existem 660 nomes de pessoas com imóveis, mas apenas 170
        o fazem de modo criminoso. Destes, o preço mínimo de imóvel é de 
        US$ 800 mil – o que vale um apartamento de um dormitório em Manhattan, mas é soma suficiente para se adquirir um condomínio de
        luxo em partes da Flórida e de outros Estados americanos. Entre os nomes –que estão sendo mantidos em sigilo pela CPI e pela Receita –
        está o de Fábio de Oliveira Catão.

         

  2. Por que nõa ocnvoca esse

    Por que nõa ocnvoca esse procuradior golpista? A câmara dos deputados deveria convocar todos eles, para dar explicações. São meros funcionários públicos que tem que prestar conta de seus atos e de seu desempenho. Senão rua!

  3. Pimenta pegou o estrategista em ação…

    Tenho uma profunda intuição de que este procurador é a eminência parda e o cerebro que teve participação ativa em todos os vazamentos-retaliações casuais e os seletivos, bem como toda a engenharia política que foi chacoalhar o Brasil nos últimos mais de 3 anos. O chacoalhar o Brasil, deixando a sociedade atônita e acachapada , tinha o óbvio objetivo de tornar fraca a sua reação aos absurdos da força-tarefa. 

    Pode ser apenas uma pensamento equivocado.

    Mas, hoje Pimenta pegou ele em ação. E a verdade tem a ver com o que o deputado falou: retaliação pela viagem á Espanha.

    Isso, de certa forma, confirma um pouco minha intuição.

     

  4. a farsa

    O mesmo truque a toda hora revela a ilusão e desmascara o mágico.

    Não restará outra alternativa a não ser a borracha dos jagunços, a mídia nas bancas e nas TVs, de hora em hora e dia após dia, vai perdendo o seu poder de opacidade, a realidade vai se impondo.

  5. Mais uma demonstração de

    Mais uma demonstração de incabível prepotência de um membro do Ministério Público. Ademais, feita num ambiente – redes sociais –  não condizente com o status dos envolvidos. Afinal, o foco não era um serviçal dele ou um cidadão comum, mas um membro do Congresso Nacional cujo perfil institucional é bem maior que de um procurador. 

    Se ficou incomodado é porque as denúncias tem algum fundamento. 

     

  6. Vão mesmo é reforçar o Paulo Pimenta junto a oposição.

    Quanto mais forte bater no Paulo Pimenta mais forte ele ficará como oposição aos golpistas, vá forte deputado o caminho é bater no fígado.

  7. Grande Parte

    Grande parte da população espera mesmo uma grande limpeza nas eleições de 2018.

     

    Politico não é profissional, 4 anos de vida pública já está bom demais.

     

    E não tem nada demais dizer a um funcionário público no caso um deputado que ele não está performando e que pode não ter seu contrato renovado.

    • #

      “Grande parte da população espera mesmo uma grande limpeza nas eleições de 2018.”

      Sim. Mas só se Jesus Cristo se candidatar.

      Alias, em relação, ao que o procurador disse sobre “como a política é feita hoje em dia”, ou ele é muito ingênuo ou muito hipócrita.

      Que idiota acredita que empresas como Odebrecht, OAS, Andrade Gutierres, UTC, Camargo Correa e tantas outras, começaram a pagar propina “hoje em dia”?.

      Tem que ser muito cara de pau pra dizer que acredita nisso.

      Emílio Odebrecht, pai do Marcelo, disse na cara dos procuradores que o avô do Marcelo, o Norberto, já pagava propina.

      Sabe quantos governos federal passaram de lá ora cá? Mais de dez. Mais ou menos de uns 40 anos pra cá. E não é que depois de mais de dez governos que a Odebrecht pagava propina a governos federal, estaduais e municipais descobriram que havia propina nos governos do PT?

      Essa Lava Jato é um colosso mesmo!

       

      • Então…

        Então é para deixar como esta ?

         

        E ele nao fazer nada do que esta na JURISDIÇÃO dele ?

         

        Sim pq nas demais esferas ele é legalmente impedido..

         

        Não defendo ele, mas entre um tecnico e um politico, sempre estarei ao lado de um tecnico.

         

        É a minha posição.

        • #

          Na última campanha para presidência a Odebrech deu 45 milhões ao PT e 40 milhões ao PSDB. Por quê é que só petistas são acusados de corrupção??

          Isso se chama PREVARICAÇÃO!!

          Todos os tucanos receberam propina, o Santo, o Careca, o Mineirinho, etc. Só um tucano foi acusado, mas ele está morto, é o Sérgio Guerra.

          Quando eles prenderem um tucano aí eu acredito na “imparcialidade” deles.

    • Pois é,

      E não tem nada demais dizer a um funcionário público no caso um deputado que ele não está performando e que pode não ter seu contrato renovado.

      Pena que não se pode dizer o mesmo do procurador politiqueiro, já que está acobertado pelas tais garantias constitucuinais…, isso pelo menos até que o Estado fascista que ele está ajudando a criar resolva acabar com todas as garantias, inclusive as dele!

       

      • CLT

        Sou completamente a favor da CLT ser o unico regime de contratação existente no Brasil.

         

        Publico e Privado na CLT.

         

         

    • Adorei

      o performar.

      Nesse caso o dito procurador tem perfomado sobretudo e muito no facebook.

      Irritadiço, sobretudo, mesmo recebendo um quantia nababesca em diárias para estar em casa pois ele mora em curitiba.

      Isso sim é performar. 

      • Não Seria o caso

        Não seria o caso de brigar para mudar a lei, ou só com o procurador ?

         

        É só ele que esta com esta indevida remuneração ?

         

        Quem é que faz as leis neste pais?

  8. Esta reação desta coisa de

    Esta reação desta coisa de curitiba é medida preventiva. Ele deve saber onde o calo dói. E essa viagem do Damous e do Pimenta à espanha pode virar o pedra no sapato dos santos curitibanos. Então  o procurador parte para o ataque como prevençaõ porque sabe o quanto de dividendos políticos os petistas terão contra essa máfia fascista que se instalou no solo das araucárias. E como se sabe, a lava jato sempre foi um equadra da direita fazendo política usando toga. Quem tem .. tem medo, já diz aquele ditado.

  9. HAVERÁ O TEMPO DE FALARMOS

    Fique atento o tal procurador: haverá o tempo de falarmos e o de ele calar-se.

     

    Sugiro ao deputado subir à tribuna e bradar contra atitudes e palavras desabridas dessa gente. E eu, como advogado, pensava que era dever desse servidor manter-se contido. 

     

    Sobra-me, então, o direito de indignar-me.

  10. perfil institucional, segurança e liberdade…

    do ponto de vista legislativo, duvido muito que falte instrumentos para combater, e até mesmo punir, este tipo de violência

    caso falte, duvido também que numa análise jurisprudencial acurada este “desrespeito” para com um deputado federal é, ou venha a ser, aceitável…………………………………..

    tolerar é se sujeitar às leis e ao direito em mão dupla deles, uma para se protegerem e outra para constrangerem

  11. Esse procurador afrescalhado

    Esse procurador afrescalhado tá é com medo que apareça toda a verdade sobre a Lava Jato: uma operação montada pela CIA que contou com a colaboração dos imbecis que infestam o nosso putrefato judiciário.

  12. Carlos Fernando dos Santos Lima, ou “O Procurador Boquirroto”

    Nesse momento tão infeliz do Ministério Público Federal, que nas mãos de Rodrigo Janot atingiu o ápice da pequenez, da farsa, do golpismo, da truculência, da quebra dos direitos e garantias fundamentais e da PROTEÇÃO AOS CORRUPTOS, ser um destaque negativo, entre tantos exemplos, é uma proeza para poucos…..

    Carlos Fernando dos Santos Lima tem se revelado de uma mediocridade e ausência de pudor e limites tão descarada, que merece o posto! . Procurador que veste a carapuça e faz pirracinha comprando briga com um deputado federal respeitado como é o Paulo Pimenta, num nível mais compatível com discussão de botequim, é atingir o nível mais baixo que um indivíduo deveria se permitir, ocupando um cargo de tal envergadura. .

    A arrogância, o narcisismo patológico dos procuradores da Lava Jato aparecem mais uma vez nessa atitude tosca de Carlos Fernando. Ora, porque o instituto das delações não pode ser criticado por um deputado federal, aliás, por um jornalista, um cidadão, uma dona de casa, qualquer brasileiro? Porque temos que temer “puxões de orelha” públicos, debochados, com ironias rasteiras, do senhor procurador…? .

    Porque Carlos Fernando não se refere desse modo a Aécio Neves, tão protegido pelo MPF, até que a JBS rompesse o cerco, OBRIGANDO Janot a aceitar as provas, irrefutáveis e tornadas públicas? Porque Carlos Fernando não fala das centenas de executivos que tiveram suas penas reduzidas de trinta, quarenta anos, para dois, três anos, muitos já gozando a liberdade e a fortuna amealhada na corrupção? Porque Carlos Fernando não fala do caso Panamá Papers, em que a Globo foi pega em corrupção pesada, e aliviada por eles, procuradores e pelo juiz Sérgio Moro? .

    Esse é o mesmo procurador, que numa das falas mais COVARDES e CANALHAS já ditas por uma autoridade, debochou da falecida mulher do presidente Lula, dizendo que ela “deveria também ter sido conduzida coercitivamente”, mas que o “cavalheirismo de Moro impediu o gesto….” – algo que se fosse feito à sua mulher, ou sua filha, certamente o faria ter acessos de indignação e revolta, prova cabal de sua ausência de caráter, ética e o respeito humano mínimo por seus semelhantes.

    É um boquirroto, um ser covarde, parcial, e que desonra o MPF. Uma lástima a instituição permitir que pessoas desse nível enlameiem sua imagem.

  13. Sim. Mas só se Jesus Cristo se candidatar.

    Alias, em relação, ao que o procurador disse sobre “como a política é feita hoje em dia”, ou ele é muito ingênuo ou muito hipócrita.

    Que idiota acredita que empresas como Odebrecht, OAS, Andrade Gutierres, UTC, Camargo Correa e tantas outras, começaram a pagar propina “hoje em dia”?.

    Tem que ser muito cara de pau pra dizer que acredita nisso.

    Emílio Odebrecht, pai do Marcelo, disse na cara dos procuradores que o avô do Marcelo, o Norberto, já pagava propina.

    Sabe quantos governos federal passaram de lá ora cá? Mais de dez. Mais ou menos de uns 40 anos pra cá. E não é que depois de mais de dez governos que a Odebrecht pagava propina a governos federal, estaduais e municipais descobriram que havia propina nos governos do PT?

    Essa Lava Jato é mesmo um colosso!

  14. se não for ingênuo é desonesto

    “(…) as revelações para a sociedade de como a política é feita hoje em dia”  

    Em relação ao que o procurador disse sobre “como a política é feita hoje em dia”, ou ele é muito ingênuo ou muito hipócrita.

    Que idiota acredita que empresas como Odebrecht, OAS, Andrade Gutierres, UTC, Camargo Correa e tantas outras empreiteiras, começaram a pagar propina “hoje em dia”?.

    Tem que ser muito cara de pau pra dizer que acredita nisso.

    Emílio Odebrecht, pai do Marcelo, disse na cara dos procuradores que o avô do Marcelo, o Norberto, já pagava propina.

    Será que o procurador sabe quantos governos federal passaram de lá pra cá? Mais de dez. Mais ou menos de uns 40 anos pra cá. E não é que depois de mais de dez governos que a Odebrecht pagava propina a governos federal, estaduais e municipais “descobriram” que havia propina nos governos do PT?

    Essa Lava Jato é mesmo um colosso! Tá todo mundo esperando eles salvarem o Brasil. Vamos ver.

  15. Paulo Pimenta é um grande

    Paulo Pimenta é um grande parlamentar e que merece ser reeleito… São poucos da qualidade no congresso…

  16. É, nobre procurador,

    É, nobre procurador, aprendemos também como vários órgão públicos funcionam, inclusive o MPF, STF e polícia federal, e como podem ser utilizados por pessoas sem escrúpulos para ganhar dinheiro em palestras, consultorias e propinas.

  17. A capivara e a orcrim lavajateira

    …o procurador que se investe de função inquisitória, supostamente em favor da moralidade, adotou conduta suspeita quando participou da força-tarefa que investigou a evasão de divisas do banco estadual paranaense – o Banestado. A CPI que investigou o caso recebeu à época documentos provando que, entre 1995 e 2001, a então mulher do procurador, Vera Márcia dos Santos Lima, trabalhava no Banestado e que, durante parte desse período, Carlos Fernando já atuava na investigação do esquema. Mais que isso, consta que sua mulher trabalhou em dois dos principais locais onde funcionava a “lavanderia” no Banestado e que, antes de o caso vir à tona, o procurador chegou a negar na CPI que algum parente trabalhasse no banco.

    https://www.conversaafiada.com.br/brasil/cabeca-da-lava-jato-tem-passivo-no-banestadohttps://www.conversaafiada.com.br/brasil/cabeca-da-lava-jato-tem-passivo-no-banestado

    E a corrupção começou com o PT:

    A primeira vítima da CPI do Banestado no Congresso não é caça, e sim caçador. Encarregada de investigar a evasão de US$ 30 bilhões por intermédio do banco estadual paranaense, a CPI recebeu na última semana documentos aos quais ISTOÉ teve acesso comprovando que, entre 1995 e 2001, Vera Márcia dos Santos Lima, então mulher do procurador da República do Paraná Carlos Fernando dos Santos Lima, trabalhava no Banestado, como revelou a revista na última edição. Durante boa parte desse período, o marido-procurador já participava da força-tarefa encarregada de investigar o esquema de lavagem no Banestado e outros bancos, bem como o envolvimento de clientes e funcionários em atividades ilegais. Integrantes da CPI do Banestado também decidiram investigar o comportamento de Santos Lima durante seu depoimento à comissão no dia 24 de julho, junto com outros três colegas. Diante das perguntas dos deputados Moroni Torgan (PFL-CE) e Robson Tuma (PFL-SP), se tinha conhecimento da notícia de que alguma autoridade encarregada de investigar o caso teria um parente no Banestado, Santos Lima escondeu o fato de ter sido casado com uma funcionária do banco.

    …Em 1997, ao se mudar com o então marido para Curitiba, Vera Márcia caiu em um setor ainda mais estratégico da lavanderia: o Departamento de Operações Internacionais do Banestado, onde eram fechadas transações fraudulentas de câmbio.

    IstoÉ – 10/09/2003

    https://istoe.com.br/13447_AS+PROVAS/

  18. Calculando……

    Em levantamento, via Lei de Acesso à Informação, verificou-se que o procurador Carlos Fernando Santos Lima recebeu R$ 429.313,74 em diárias entre 2013 e fevereiro de 2017.

    Digamos que de janeiro 2013 a fevereiro 2017 são 50 meses…….

    429.000,00/50=8.580,00 por mes…..ou 102.960,00 por ano……

    Digamos que o “nobre personagem” viaje ao exterior um vez por bimestre, pois imagino que deve “pendurar o paleto na cadeira” de tempos a outros, temos a modica quantia de -17.160,00 por viagem….

    Se viaja 1 vez a cada trimestre-25.740,00 por viagem….da para comprar um bocado de vinho francês, aifone(iphone) e chocolate lindt…..

    Sincera homenagem…..

    [video:https://youtu.be/t-mJrsZ94es%5D

     

    pra juizada e mpzeda…..

  19. Convocação desse rapaz

    Está na hora de dar um basta na demagogia megalômana desse rapaz e de seu coleguinha Dallagnol.  Sugiro a convocação de ambos para esclarecerem o uso de redes sociais e da mídia para constrangimento ilegal de investigados e de terceiros que ousam confrontá-los. São práticas inaceitáveis num Estado democrático de Direito (se é que ainda somos um) por parte de um órgão repressivo. O ministério público tem que se comportar com a discrição que se espera de quem trabalha com o risco à honra alheia e não podemos mais tolerar esse abuso midiático de alguns de seus atores que de procuradores passaram a estrelas de redes sociais. Não dá mais. Pau neles!

  20. Tá difícil escolher quem

    Tá difícil escolher quem melhor representa  e simboliza a temeridade atual. Se esse procurador (de $$$$$$$$), se Moro ($$$$$), se Dalagnoll($$$$$), ou se todos na foto emblemática de Curitiba.  Merecem sim, ser a imagem da Banalização do Mal.

  21. O dia dele chegará!

    A história é implacável. Mais dia, menos dia, a Democracia será mais uma vez restaurada no país e aí vamos querer estes criminosos e traidores que destruíram nossa economia a serviço de outro país sejam levados à frente de juízes honestos e patriotas para responder por todos os atos de bandidagem que praticaram sob o manto da Farsa a Jato, um esquadrão da morte como bem a qualificou o bravíssimo Senador Requião. Isso é o mínimo que será exigido quando este túnel de escuridão que estamos enfrentando mostrar sua luz no final.

  22. + comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome