PT processa Janaína Paschoal e Magno Malta por calúnia e difamação

Senador divulgou montagem com autor de atentado em comício de Lula e advogada fez alusão ao partido como autor do crime
 
Fotos: Agência Brasil
 
 
 
Da Redação
 
O Partido dos Trabalhadores ingressou na madrugada deste domingo (9) com ações penais contra a advogada Janaína Paschoal e o senador Magno Malta (PR-ES) por calúnia e difamação. Os dois disseminaram mentiras em relação à facada sofrida pelo candidato do PSL à Presidência da República Jair Bolsonaro (PSL).
 
No caso do senador Magno Malta, a queixa-crime impetrada no Supremo Tribunal Federal se dá em função de uma postagem do parlamentar no Twitter, na qual busca atribuir ao PT envolvimento com o crime a partir de montagem fotográfica. Abaixo da foto adulterada, escreveu: “Olha em que time joga o marginal” (sic).
 
“O querelado não só não se deu ao trabalho de verificar a autenticidade da foto, como usou a foto evidentemente falsa para caluniar ‘o time’ em que jogaria o agressor, ou seja, o Partido dos Trabalhadores, a que pertence o ex-presidente Lula”, observa o texto da ação, protocolada pelos advogados Eugênio Aragão, Ângelo Longo Ferraro, Marcelo Winch Schmidt, Rachel Luzardo de Aragão e Miguel Filipi Pimentel Novaes.
 
“Ora, reputar esta Agremiação Partidária, de tradicional militância pelos direitos humanos e sociais, o cometimento de crime que pode ser equiparado a atos de terrorismo, ou mesmo afirmar que se tentou, deliberadamente, por razões políticas, macular a integridade física de um Deputado Federal, ora candidato a Presidente da República, constitui ato de grave violação a honra objetivo do Partido dos Trabalhadores”, diz o texto da queixa-crime.
 
A ação contra Janaína foi impetrada no Tribunal de Justiça de São Paulo. Ela concedeu entrevista afirmando que o autor do crime seria vinculado às pessoas “do lado de lá”. Perguntada sobre quem seriam “eles”, respondeu serem as pessoas que “estavam no poder e que não estão aguentando a realidade que elas perderem o poder e que elas não vão voltar para o poder”, uma alusão ao PT.
 
“A querelada é assertiva ao atribuir a responsabilidade sobre o atentado contra a integridade física do candidato Jair Bolsonaro ao Partido dos Trabalhadores”, diz o texto da ação, lembrando que Janaína é professora doutora em Direito pela USP, não podendo se eximir de sua responsabilidade, afirmando desconhecer a tipicidade da conduta. Para ler na página da Rede Brasil Atual, clique aqui. 
 

10 comentários

  1. Tem que incluir na lista o Gal. Mourão e o Malafaia

    Foram rápidos, rapidíssimos, em puxar o gatilho das calúnias, difamações e acusações sem provas. 

    Ação tem responsável e consequências. O Estado de Direito e a Democracia não podem conviver, nem serem indulgentes, com essas atitudes infames.

     

    • man

      Maniqueismo do bom.Ou seria sofisma (tô tipo Marina,aliás, talvez não mais).

      Que parte da “justiça” é golpista, e tem coisa pior nela,  seria acaciano repetir.

    • #

      O que você sugere? Reclamar com o bispo?

      Não é o Judiciário inteiro que é tucano e partidarizado! Há os que são imparciais também.

      Ademais, o PT fez o que deveria ser feito,  se a Justiça resolver aliviar para os difamadores, a História não os perdoará. 

       

  2. O PT tem que ficar atento às

    O PT tem que ficar atento às tramóias nessas investigações da PF que antes disse que o criminoso era um lobo solitário e agora já está dizendo que houve ajuda de mais 2 suspeitos. A globo vai fazer de tudo pra jogar a culpa em cima do PT. 

  3. #

    Esses dois cretinos são do mesmo time do deputado do DEM e da desembargadora tucana que tentaram difamar Mariele com mentiras, calúnias e fotos falsas, logo após o seu covarde assassinato. Depois acham que um singelo pedido de desculpas resolve o problema.

    É esse tipo nocivo de gente que incita a violência com suas mentiras venenosas e irresponsáveis.

    Já não chega os bandidos, a milícia, os candidatos loucos que incitam a violência e ainda temos que aturar nojentos e “célebres” difamadores públicos.

    Esse é o Brasil dos coxinhas. É o “legado” do Golpe de 2016: Irresponsabilidade generalizada.

     

     

  4. Li, no DCM, sobre o atentado fake ao Carlos Lacerda

    Lembro-me que quando estudava na universidade pública, morando na casa do estudante da referida instituição de ensino, juntamente com outros estudantes oriundos do interior do estado, como eu, um estudant de medicina, que já estava dando plantão num hospital de emergência pública, disse a outro estudante, que trabalhava num supermercado e já, no final do curso, não tinha tempo de fazer sua monografia, que passasse no hospital que ele, estudante de medicina, engessaria a sua perna. E assim foi feito. Sem qualquer fratura, o estudante teve sua perna engessada, pegou mais de um mês de licença remunerada do trabalho e fez sua monografia.

    Então, Bolsonaro nunca fez mal a ninguém?

    Aquele que perseverar até o fim será salvo.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome