Jornalista responde Rosangela Moro: “É bom os bolsonaristas já irem se acostumando”

Jornal GGN – A jornalista Raquel Landim usou sua coluna na Folha de S. Paulo na sexta (11) para responder à esposa de Sergio Moro, Rosangela Moro, que pediu no Instagram que brasileiros parem de criticar o governo Bolsonaro.

“(…) apontar os problemas não é antipatriótico. Chama-se fiscalização e é o trabalho da imprensa. É bom os bolsonaristas já irem se acostumando”, escreveu Landim.

Depois da repercussão negativa da postagem, a advogada apagou a publicação. “Ainda bem. Afinal, Dra Rosangela, chega de mimimi”, acrescentou a repórter.

Na mensagem, Rosangela havia escrito que é preciso esperar e assistir o que o governo Bolsonaro implementará em termos de mudança.

Leia o artigo completo aqui.

12 comentários

  1. Ideologia

    Ideologia, se expressa por exemplo, em dizer que somos um só povo (todos iguais) mas dar um carguinho bacana num banco público pro parente (não somos iguais) ou dizer que tá desculpado o correligionário que admite ter feito caixa 2 e ao mesmo tempo querer o desafeto político na cadeia (não somos iguais). 

    A República de Curitiba é definitivamente anexada à República das Bananas. 

  2. Como é difícil passar a vida

    Como é difícil passar a vida sendo bodoque e de repente se tornar vidraça.

    Construir é sempre mais difícil, enaquanto escandalizar dá mais ibope. Quem passou os últimos cinco anos fazendo da calúnia e da difamação de figuras públicas um meio de fama e de ganhar dinheiro fácil em palestras pra otários, deve ficar assustado quando tem que trabalhar e receber crítcas ao mesmo tempo. Esta dona nã sabe, mas o inferno tá apenas começando a arder pros escandalizadores da nação. Deus é o único justo juiz e Ele na mora com esta senhora, não.

  3. Muito lindo…..

    Sobretudo o final…….Bic e bandejão……para os otarios do lado de ca, tenho certeza, até bic sem bandejão ou com bandejinha…….ja pra a madame “celebridade esposa de Moro” ta mais para Monblanc e caviar….maridão so voa de econômica, imagino ou vai de busão até Curitiba?

    • Permita-me discordar do adjetivo

      Toda a vez que uma mulher é atacada, os adjetivos remetem a práticas sexuais que a moralidade “cristã” desaprova na conduta feminina. No linguajar comum, vagabunda  assume o significado de prostituta, ou no popular: puta vadia.

      Chamaram de vagabunda a Presidenta. Chamaram de vagabunda a Maria do Rosário, a filha da Maria do Rosário, a Marielle Franco, a Lola Aronovich, a minha mãe quando separou-se do meu pai, a mim, quando não me puseram as rédias do autoritarismo. 

      Chama-a de aproveitadora, carreirista, tapada, metida, incompetente, fascista, corrupta ou do que quiser. Só não chama de vagabunda porque de certa forma, é ofensa que qualquer mulher e principalmente as muito diferentes da Rô já ouviram, engoliram ou regurgitaram. Além do que, se vagabunda é sinônimo de prostituta, por favor, não desmereça as prostitutas comparando-a com essa advogada da APAE e muito amiga da corrupção.

       

      Abraço 

  4. Tempos
    A FOLHA tá bombando, sabe onde? sabe onde?
    A FOLHA continua sendo a FALHA?
    O pessoal do Bolsonário anda chamando o jornal de a Foice.
    A Folha é persona non grata aos militantes de ambos os lados. Bizarro?

  5. Quem é essa senhora?

    Quem é essa senhora? Ela se julga mais patriota do que eu, que você, que milhões de brasileiros? Porque ela não usa as redes sociais para explicar porque seu nome consta de uma lista de pagamentos feita pela Odebrecht ao escritório de Roberto Zucolotto, de quem era sócia nesse escritório? Aí essa senhora seria investida de razão para falar sobre patriotismo e os demais brasileiros poderiam parar de mimimi.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome