“Só dedura quem tem o que dedurar”, diz Marcelo Odebrecht à CPI da Petrobras

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras ouve depoimentos de executivos da Odebrecht, no Foro da Seção Judiciária do Paraná, em Curitiba (Luiz Medeiros/Divulgação Câmara dos Deputados)

Da Agência Brasil

Por Ivan Richard

O presidente da construtora Odebrecht, Marcelo Odebrecht, preso desde junho em uma das fases da Operação Lava Jato, disse hoje (1º), em depoimento à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, em Curitiba, que não pretende firmar acordo de delação premiada com a Justiça.

“Só dedura quem tem o que dedurar. O que não é o caso aqui. E há, sobretudo, questões de valores morais em uma decisão como esta”, disse Marcelo Odebrecht, que  respondeu parcialmente aos questionamentos dos membros da CPI. O empresário afirmou que “por questões processuais” impossibilidade de falar sobre as acusações de que teria participado do cartel de empresas que superfaturou contratos da Petrobras e pagava propina a partidos e agentes políticos em troca de favorecimento.

“Gostaria de ter oportunidade, nesta CPI, de falar tudo o que sei, mas infelizmente estou engessado porque estou amarrado pela questão do processo penal que corre paralelamente, inclusive com depoimentos de testemunhas de acusação”, argumentou Marcelo Odebrecht. “Não estou me negando a falar, estou limitado a falar e peço desculpas”.

Perguntado se teve conversas com a presidenta Dilma Rousseff e com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a Petrobras, Marcelo Odebrecht respondeu ser “provável” e “natural” ter “conversas republicanas” sobre o tema com políticos e colegas.

“É difícil um empresário, representante de uma das maiores empresas do país, se encontrar com um amigo, com um empresário, com um político, qualquer um, e não vir à tona o tema Petrobras. É provável que esse tema venha, não me lembro de nenhuma conversa específica”, disse.

Leia também:  MPF convoca médicas recém-nomeadas e vacinadas e abre investigação em Manaus

Marcelo Odebrecht, primeiro a responder perguntas da CPI nesta segunda viagem da comissão à Curitiba, disse que, apesar das dificuldades do momento, a Odebrecht sairá fortalecida. O empreiteiro ressaltou o histórico de investimento da construtora em programas sociais e argumentou que a sociedade perde quando a empresa passa por dificuldades.

“Temos um histórico de vasta divisão de dividendos. Temos um histórico muito grande de pagamento de impostos, de geração de renda, de investimentos em projetos sociais. Quando temos um prejuízo na Odebrecht não é a Odebrecht que perde, mas a sociedade”, disse o empresário.

Segundo Odebrecht, muitas famílias estão sendo prejudicadas com a perda de empregos e com as vagas de trabalho que não estão sendo abertas, mas a empresa “continua absolutamente sólida”.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

8 comentários

  1. Desejo todo sucesso  possível

    Desejo todo sucesso  possível nos empreendimentos desta empresa única no Brasil em questão de grandes empreendimentos.Estragos já podem ser contabilizados na conta de moro

  2. O item eh muito pobre -logo

    O item eh muito pobre -logo de outro “Ivan”- por somente se concentrar no que ele NAO disse!

    O unico fato que ele nos traz eh que a putada da CPI perguntou diretamente a Odebrecht se ele teve conversas COM DILMA sobre corrupcao, obviamente procurando chamadas pros jornais de amanha!

    Ivan, VA PASTAR!  Que merda eh essa agora?  A conversa eh todinha suspeita ja que OS INVESTIGADOS estao fazendo perguntas, e voce se sai com um “PERGUNTADO SOBRE”??????  Va aa merda!

    QUEM PERGUNTOU, IDIOTA?!  Quer um manual de jornalismo?  Eu doarei um dolar pra voce comprar.  Como custa quase dois dolares procurar isso no google, talvez alguem mais doe o resto.

    Se precisar, claro.

  3. Incrivel

    Apesar da clareza com que o Presidente da Odebrecht respondeu sobre encontros com Lula, voce vai no R7 e lá está: Marcelo diz que falou com Lula sobre Petrobrás.

    Incrivel a cara de pau dos jornalistas dessa mídia canalha que conseguem transformar palha em pilha.

    • Tem mais!  Tem mais!
      O cara

      Tem mais!  Tem mais!

      O cara documentadamente usou a palavra “dedurar” e nao “delatar”.  O que significa que ele ta por fora do assunto e ta usando linguagem dos anos 70 e 80.  O que mais ou menos implica que ele nao conhece la muita gente pra “delatar”, mas nao se sente obrigado a “dedurar” quando realmente nao conhece e nao sabe o que “dedurar”.

      A linguagem que ele usa eh um pouquinho mais bem treinada  e artificial do que eu me sinto confortavel com (exceto no verbo que eu notei acima) mas pode ter certeza que os advogados dele sao superbos.

      No mais, essa CPI eh tao canalha que acha que esta enganando alguem.  Ora, porque eh que eles perguntariam LOGO A ELE a respeito de Dilma mesmo?

      Porque ELES sabem que eles proprios nao lidaram com Odebrecht e nao tinham o que perguntar.  Ou seja, estavam enchendo linguicas.

      Ora, EU QUERO SABER QUEM FEZ A MERDA DA PERGUNTA.  A pergunta eh um ato de desespero de quem perguntou.

      Vou ter que esperar um jornalista de verdade pra historia completa.

  4. “Só dedura quem tem o que

    “Só dedura quem tem o que dedurar”, diz Marcelo Odebrecht à CPI da Petrobras

    desculpa esfarrapada do filho ungido de Dom Emílio, o padrinho do Sinatra das Palestras

    doutor Marcelo, na verdade, morre de vergonha, perante a CPI e o público em geral, da sua memória de curta duração…

    por isso, elementar meu caro Nassif, ele anotava e registrava tudo na sua agenda eletrônica, aquela confiscada pela PF na investigação Lava Jato… para não esquecer os mínimos detalhes das tratativas negociais, dos indefectíveis favores a gregos e troianos e, não podemos esquecer, do patrocínio cultural lei rouanet das palestras honoris causa causante de Lula mundo afora viajando soh na janelinha…

    como agora, por força de justiça e polícia, encontra-se sem sua agenda eletrônica de trabalho e reunião, doutor Marcelo não tem como se lembrar de nada do que lhe perguntam na CPI e na PF… estava tudo bem guardado na sua [email protected].

    portanto, sua memória de trabalho empreiteiro civil  está como uma tabula rasa de bebê em crescimento infantil.

    não precisava que seus advogados ventriloguassem para doutor Marcelo frasear linguagem chula e baixa do mundo do crime de pobres mortais, bastava ele ter apresentado um atestado médico atestando-lhe uma memória de curta duração… razão, óbvia ululante! de registrar e nomear tudo na sua [email protected].

    elementar, meu caro Nassif 

     

     

     

     

     

     

    • Pompeu, nao sei se voce sabe

      Pompeu, nao sei se voce sabe ingles mas voce assistiu isso aqui?

       

      [video:https://www.youtube.com/watch?v=lUyKpfbB9M8%5D

      Ja pensou em ser um juiz de talento em um concurso desses e ter que falar com alguem que ela esqueceu de tomar seu remedio?

      (Ah, e voce vai ver mais tarde que a “agenda” de Odebrecht nao tem absolutamente nada que voce pensa que tem)

  5. Para o juiz Moro e para

    Para o juiz Moro e para Polícia Federal as iniciais “JS” encontradas na planilha de doleiro quer dizer: JULA DA SILVA.

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome