STF abre inquérito sobre propina de R$ 60 milhões da JBS a Aécio Neves

Foto: George Gianni/PSDB
 
 
Jornal GGN – As revelações da JBS à Lava Jato renderam a Aécio Neves (PSDB) um inquérito por obstrução de Justiça e corrupção que, agora, será desdobrado em uma segunda apuração apenas sobre lavagem de dinheiro, envolvendo pagamentos de R$ 60 milhões em notas frias ao senador tucano.
 
De acordo com o Conjur, o ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal, tomou a decisão de instaurar o segundo inquérito na quinta (22). Além disso, ele determinou o desmembramento das investigações contra Andrea Neves e Frederico Pacheco, irmã e primo de Aécio, e Mendherson Souza Lima, assessor do senador Zezé Perrela. Os três, que conquistaram o direito à prisão domiciliar esta semana, serão processados na primeira instância.
 
Aécio, que nega as acusações da JBS, foi gravado solicitando R$ 2 milhões a Joesley Batista, com a desculpa de que o dinheiro seria um empréstimo pessoal para pagar sua defesa na Lava Jato. Os recursos, porém, foram entregues em 4 malas a Fred que, por sua vez, distribuiu uma parte a Mendherson. A Polícia Federal rastreou o caminho do dinheiro e suspeita que empresa da família Perrella ajudou na lavagem dos recursos.
 
Do Conjur
 
 
O ministro Marco Aurélio, do Supremo Tribunal Federal, decidiu nesta quinta-feira (22/6) abrir novo inquérito relacionado ao senador afastado Aécio Neves (PSDB-MG) pelo crime de lavagem de dinheiro.
 
Segundo a Procuradoria-Geral da República, será investigado suposto pagamento de mais de R$ 60 milhões em propina, por meio de notas fiscais frias da JBS. Em nota, a defesa declarou ter confiança de que a investigação comprovará a inocência do senador.
 
“A defesa do Senador Aécio Neves recebe a informação com naturalidade por se tratar de desdobramento da denúncia inicial. A investigação demonstrará que não se pode falar em lavagem ou propina, pois trata-se de dinheiro de origem lícita numa operação entre privados, portanto sem envolver recurso público ou qualquer contrapartida. Assim, não houve crime”, diz a nota.
 
Aécio já foi denunciado sob acusação de corrupção e obstrução da Justiça. O dono da JBS, Joesley Batista, gravou escondido uma conversa com o parlamentar em que o político solicita R$ 2 milhões para pagar advogados. De acordo com o tucano, tratava-se de um pedido de empréstimo, sem ligação com qualquer crime.
 
Marco Aurélio Mello tornou-se relator de casos contra Aécio por meio de sorteio eletrônico, após o antigo relator, Luiz Edson Fachin, atender ao pedido da defesa do senador afastado e redistribuir a relatoria do caso. 
 
Laços de família
O ministro também determinou o desmembramento de investigação aberta contra Andrea Neves e Frederico Pacheco, irmã e primo do senador. Eles serão julgados pela primeira instância da Justiça Federal em São Paulo, localidade onde foram promovidas ações controladas da Polícia Federal a partir das delações da JBS. 
 
Na terça-feira (20/6), a 1ª Turma do Supremo determinou que Andrea, Pacheco e Mendherson Sousa Lima cumpram prisão domiciliar. Eles estavam presos de forma preventiva desde maio, em Belo Horizonte.Com informações da Agência Brasil.

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Coronavírus: Barroso intervém para conter avanço entre povos indígenas

5 comentários

  1. Se o Senado não detonar o

    Se o Senado não detonar o Aécio, não vai acontecer nada.

    O STF não irá condena-lo,  por está exercendo o mandato.

    Outra, ele não é petista. Isso parece bobagem, mas não é

    Aécio e a maninha ainda vão fazer muitos estragos por aí

     

  2. “COM SUPREMO COM TUDO”: GLOBO/ MPF CHANTAGEIAM MINISTROS

    “COM SUPREMO COM TUDO”: GLOBO/ MPF CHANTAGEIAM MINISTROS DO STF – À LUZ DO DIA!

    Por Romulus e Núcleo Duro

    “Em suma – mais um triste episódio para a ‘institucionalidade’ (rá… rá… rááá…) brasileira:

    – Ministra que não tem a menor condição intelectual de estar lá no STF;

    – Ministro – Barroso – que se insurge contra o ‘jeitinho brasileiro’ – em Harvard… – tentando dar um ‘jeitão’ e meter um “jabuti” no acórdão.

    Metendo-o, inclusive, na boca de outros Ministros!

    – Chantagem e dossiês rolando soltos!

    – Inclusive com press-release (!): Dallagnol/ Revista Época/ Folha no Twitter na véspera do julgamento!

    – Em consequência, Ministros dando cavalos de pau…

    – E, até mesmo, um dando cavalo de pau no cavalo de pau anterior (!)

    Sim…

    – As ‘instituições funcionam normalmente’ (!)

    – O problema é justamente esse: o ~nosso~ ‘normal’ brasileiro!”

     

    LEIA MAIS »

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome