Toffoli pede “providências” sobre ofensa de passageiro ao Supremo

 

Jornal GGN – O presidente do Supremo Tribunal Federal Dias Toffoli encaminhou à Procuradoria Geral da República um pedido de “providências cabíveis” sobre um passageiro que ofendeu a instituição durante um voo comercial, ao lado do ministro da Corte, Ricardo Lewandowski.

Na terça (4), o advogado Cristiano Caiado, defensor do eleito Jair Bolsonaro, disse ao ministro Lewandowski que o Supremo “é uma vergonha”. Hoje, o assunto repercutiu nos jornais e nas redes sociais. Associações de magistrados sairam em defesa do Supremo, lembrando que o direito à liberdade de expressão não pode ser usado para atacar as instituições.

Lewandowski acabou chamando a Polícia Federal, que deteve o passageiro para prestar esclarecimentos.

 

16 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Rui Ribeiro

- 2018-12-06 18:20:09

No tempo do mensalão, o $TF não era uma vergonha

Porque só agora a Coxinhada acha que o $TF é uma vergonha?

Edsonmarcon

- 2018-12-06 13:47:10

E se...

Associações de magistrados sairam em defesa do Supremo, lembrando que o direito à liberdade de expressão não pode ser usado para atacar as instituições.

 

E se o cara tivesse falado: "Sr. Lewandowski, o senhor é uma vergonha"

Acham que o resultado seria diferente?  Claro que não.

Então não se pode "atacar as instituições"?

E quando ELAS nos atacam?

As tais instituições fazem suas prórias regras, escolhem quanto querem ganhar, interpretam as leis como lhes convém no momento, escolhem em quam devemos votar...

Mas não podem ser criticadas. Isso não!

Nem os impolutos membros do SóTeFode.

ze sergio

- 2018-12-06 13:37:45

ESPIRITO DE PORCO

O Corporativismo Tupiniquim, primeiro e único, numa Ditadura, farsamente rotulada como Redemocracia. 88 anos de Golpe Civil-Militar Caudilhista Fascista. O 'Estado Novo' sendo preservado até 2018. "Sabe com quem tá falando?!". "Olha, que mando te prender". E OAB e Sindicato de Advogados, duas Instituições inventadas pelo Governo Fascista, defenderia a quem? Ao Advogado , que as sustentam, mas não tem o Direito de votar na seu Comando e Liderança (que o representará) ou no STF, que numa vergonhosa Unanimidade (toda é burra), manteve o Controle Corporativista na Senzala da Instituição. Brasil de muito, mas muito, mas muito. Bota muito fácil explicação.    

JSFMarcelo

- 2018-12-06 11:12:55

Brasil caminha para aqule

Brasil caminha para aqule momento  a qual não podemos mas "achar " se opinarmos contra o governo não seremos mas "achados". Slogan bom para o novo governo é Brasil o país do passado!

Rui Ribeiro

- 2018-12-06 10:23:13

Eu não sou um robô, Nassif, sou um cyborg

As prostinstuições estão funcionando normalmente.

Até de férias os juízes trabalham. $érgio Moro, de férias, tomou providências tornando sem efeito um habeas corpus do TRF-4. Mais do que isso, até bem pouco tempo, ele prestava seus serviços a dois poderes.

Tudo tá funcionando normalment, exceto o auxílio-moradia mas, em compensação, houve um reajuste dos salários dos nababos, nesse deserto de miséria, de quase 17%. Rosa Weber não viu provas da culpa do Dirceu mas o condenou porque a literatura jurídica permite. Ela instituiu o princípio da Colegialidade. A Carminha fez um pique-nique para o Temer. A Raquel Dodge se encontrou às escondidas com o Temer. O Moro, também na calada da noite, foi se encontrar com o Paulo Guedes, depois liberou uma delação premiada do Palocci há seis dias das eleições. O Renan Calheiros cumpriu a ordem judicial do $TF, etc. O Bostonaro Júnior quer fechar a $uprema instituição com um cabo de quinta e um soldado raso de 6ª categoria.

Esse advogado é um crápula mas que ele tá, certo, isto é uma vergonha.

Esse advogado é um relógio parado. Mas mesmo assim marca a hora certa duas vezes ao dia. Só que ele deveria ter poupado o Lewandovski, que, ao que parece, é o único Ministro honesto da $uprema Corte.

Esse país é uma vergonha. Que o diga o Boris Casoy, pois, aqui, até gari se confraterniza no Natal. Onde já se viu isso, né Waack?

E as cotas parlamentares para o filho do Bolsa Anário fazer turismo em $anta Catarina?

Rui Ribeiro

- 2018-12-06 10:17:05

Porra, Cara, as ProstInstituições estão funcionando normalmente

Até de férias os juízes trabalham. $érgio Moro, de férias, tomou providências tornando sem efeito um habeas corpus do TRF-4. Mais do que isso, até bem pouco tempo, ele prestava seus serviços a dois poderes.

Tudo tá funcionando normalment, exceto o auxílio-moradia mas, em compensação, houve um reajuste dos salários dos nababos, nesse deserto de miséria, de quase 17%. Rosa Weber não viu provas da culpa do Dirceu mas o condenou porque a literatura jurídica permite. Ela instituiu o princípio da Colegialidade. A Carminha fez um pique-nique para o Temer. A Raquel Dodge se encontrou às escondidas com o Temer. O Moro, também na calada da noite, foi se encontrar com o Paulo Guedes, depois liberou uma delação premiada do Palocci há seis dias das eleições. O Renan Calheiros cumpriu a ordem judicial do $TF, etc. O Bostonaro Júnior quer fechar a $uprema instituição com um cabo de quinta e um soldado raso de 6ª categoria.

Esse advogado é um crápula mas que ele tá, certo, isto é uma vergonha.

Esse advogado é um relógio parado. Mas mesmo assim marca a hora certa duas vezes ao dia. Só que ele deveria ter poupado o Lewandovski, que, ao que parece, é o único Ministro honesto da $uprema Corte.

Esse país é uma vergonha. Que o diga o Boris Casoy, pois, aqui, até gari se confraterniza no Natal. Onde já se viu isso, né Waack?

Francisco Andrade

- 2018-12-06 10:15:58

É ?.....

... e quem vai tomar providências contra os aumentos imorais, concedidos ao judiciário, em troca do apoio aos golpistas ?...  quem vai tomar providências contra os "arquivamentos" que beneficiam os corruptos no poder ? ... quem vai tomar providências contra uma presidente do STF que comprou um mansão de um contraventor que anda por aí, lindo, leve e solto, conseguindo um  ótimo "desconto"...

Como dizia Julinho da Adelaide, .... "chame um ladrão, ... chame um ladrão, .... chame um ladrão "....

sergioa

- 2018-12-06 10:00:40

Fizeram a cama, que deitem

Fizeram a cama, que deitem nela ...

 

FOI COM SUPREMO E TUDO.

spinabolicionista

- 2018-12-06 09:31:09

q loko....o mesmo stf que

q loko....o mesmo stf que tempos atrás fazia parte do pelotão de detonar as Intituições ....ou será que pensam que o povo já se esqueceu da famosa senha do golpe "com STF e tudo dentro"....e saber que isso é só o começo....

Romanelli

- 2018-12-06 08:55:14

Tá mal contado Será q
Tá mal contado Será q voltamos ao tempo de q não se podia desafiar funcionário público ? Evidente q o local e momento foram inadequados ..mas.. Mas lembro de Messias dizer q era a favor da ditadura ..da tortura ..da morte de adversários ..e nada ocorreu ..ou recentemente, Bozo, desmerecer o indio, quilombolas, sem teto nem terra ..e ficou por isso mesmo Realmente, como eu previ pra dezenas de eleitores do coiso ..bem vindo ao SABE COM QUEM TA FALANDO ?! Em tempo ..saudades do tempo em que a presunção da inocência, e o direito sagrado a liberdade pra quem não tinha o trânsito em julgado eram observados (desde q não pego em flagrante delito ou dado como risco à sociedade)

Renato Lazzari

- 2018-12-06 02:34:07

Um pulga me picou atrás da orelha, acho.

Não que o advogado não tenha merecido ser impedido de insultar. Ainda mais num avião, situação especialíssima. Nesse caso me parece bom que Lewandovski tenha interrompido aqueles insultos antes que aumentassem ou até virassem coisa pior. Se o ministro não o fizesse, seria obrigação do comandante da aeronave fazâ-lo.

Mas, sei lá... esse clima de punição não me agrada. E está alinhadíssimo com outras "providências" como considerar o MST um grupo terrorista ou qualquer manifestação pública como terrorismo. Sim, sei que há que se distinguir liberdade de expressão de direito de incomodar os outros. Mas distinção é algo do círculo do bom senso, agora que não tem sido visto ultimamente.

Não me surpreenderia se descobrisse que o MBL, "assim, ó" com Bolsonaro, Aécio e Moro, já fez esse cálculo.

Tempos de mentiras, momentos de incertezas...

 

Marcos Videira

- 2018-12-06 01:27:44

Será que entendi ?

Dizer que o STF é "uma vergonha" não me parece uma ofensa assim tão grave pra toda essa repercussão.

Penso que a reação de Lewandowski e Toffoli é para estabelecer um novo limite para as manifestações ofensivas. Gilmar Mendes foi muito mais hostilizado em agosto, também num avião, e não houve essa polêmica toda.

Se a autoridade não impõe respeito, os "fascistas" deitam e rolam. É só lembrar daquele policial federal que treinava tiro tendo a foto da Presidente Dilma no alvo. Dilma não reagiu energicamente como deveria e sua inação demonstrou fraqueza... 

Jose mestre Carpina

- 2018-12-06 01:11:36

Se não cortar o cabelo já, vira trança...

A  sequência  de hoje, com as  projeções  assinadas nas  paredes do STF,  já indicam pra  aonde  a  vaca da  democracia  tá  indo:   pro  brejo  do  fascismo !!!

Uma alternativa a prisão  de  toda esta galera é  punir  pelo  órgão  que  mais  dói:  o  bolso !!

Uma multazinha  por  danos morais  coletivos  de 10 X o  salário-novo   de  cada  ministro  em  cima  de  cada  membro  da  direção  do MBL seria  bem didático:   pode  xingar à vontade,  mas  passe  no  caixa  depois !!

E  como  eles  já manifestaram  interesse  em  se  tornar um  partido  político, já  vão  começar com  o  saldo  bancário  no  vermelho !!

 

Pedro Augusto

- 2018-12-06 01:04:35

SEM LIMITES

https://mundovelhomundonovo.blogspot.com/2018/12/sem-limites.html

 

 

  

Mário Augusto Gomes

- 2018-12-06 00:59:54

Achei errado o ministro. O

Achei errado o ministro.

O cidadão não insultou ninguém, apenas externou o que sentia, a vergonha do STF.

Nisto, eu também sinto.

L.Morais

- 2018-12-06 00:07:54

Um exagero. Não obstante a

Um exagero. Não obstante a falta de educação do advogado importunador, não existe como "ofender" uma instituição.

O ministro importunado agiu corretamente ao solicitar a presença da polícia para por fim à importunação, ainda mais pelo local onde os fatos ocorreram - dentro de uma aeronave, colocando em risco a segurança e a tranquilidade do vôo.

É preciso acabar de vez com essa onda fascista de agressões verbais em locais públicos.

 

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador