TRF4 passou caso triplex na frente de outros 7 processos

Foto: TRF4
 
Jornal GGN – O Tribunal Regional Federal da 4ª Região passou o caso triplex na frente de outras sete ações penais que chegaram primeiro à segunda instância e ainda aguardam julgamento. É o que informa a Folha desta segunda (8).
 
O levantamento é mais um indício de que o TRF4 acelerou o julgamento do recurso de Lula de olho no calendário da eleição de 2018. Mas segundo a Folha, a desculpa da corte – que nega tentativa de interferir no processo eleitoral – é que os casos da Lava Jato são analisados na segunda instância de acordo com sua “complexidade”, e não por ordem de chegada.
 
Na frente de Lula estão processos como o da operação Carbono 14, de setembro de 2016, que condenou José Carlos Bumlai, Delúbio Soares, Ronan Maria Pinto (empresário do ABC) e outros. As outras 6 condenações envolvendo Eduardo Cunha (e a absolvição de Cláudia Cruz), de Marcelo Odebrecht, André Vargas e Sérgio Cabral, entre outros.
 
Folha sublinhou que o caso triplex foi o mais rápido a chegar à segunda instância: em 42 dias, desde que Sergio Moro condenou Lula a 9 anos e meio de prisão. Depois disso, levou poucos meses para ser relatado por João Gebran Neto e ter a data do julgamento agendada pelo revisor Leandro Paulsen.
 
O jornal afirma que o TRF4 também acelerou os processos contra Eduardo Cunha e João Vaccari. 
 
O Tribunal também alegou que passou a ter uma maior produtividade ao longo dos anos. Para sustentar a tese, mostrou o dado de que, em 2016, julgou apenas 5 casos que já haviam sido concluídos por Moro. Em 2017, o número saltou para 15. Em 2015, foram apenas 3.
 
O julgamento do recurso de Lula está marcado para o próximo dia 24. 

18 comentários

  1. Vai dar 2×1.
    Este é o motivo
    Vai dar 2×1.
    Este é o motivo da pressa. Dando o resultado por maioria o Lula terá direito ao recurso de embargos infringentes. Este recurso será julgado por um grupo de câmaras (2). Onde a defesa do Lula apresentará suas razões, a procuradoria posteriormente apresentará as suas, será designado novo relator, novo revisor, será marcado novo julgamento.
    A pressa é que tudo aconteça antes das eleições.
    Caberá a defesa de Lula entrar com alguns mandados de segurança à instância superior e adiar o novo julgamento.
    Ao que tudo indica o Desembargador Victor Laus abriu para os colegas da 8a. Câmara que iria discordar e estes (relator e revisor que também é presidente) resolveram apressar para que a condenação pelo grupo de câmaras saia antes das eleições.

+ comentários

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome