Vale suspende pagamentos para acionistas e remuneração variada de executivos

Decisão acontece após bloqueio de bens da mineradora no valor de R$ 11 bilhões pela Justiça 
 
Foto: Presidência da República/Divulgação
 
Jornal GGN – A mineradora Vale, responsável pela barragem da Mina do Córrego do Feijão, em Brumadinho (MG), que se rompeu na última sexta-feira (25) deixando pelo menos 60 mortos e 292 desaparecidos, segundo as últimas informações da Defesa Civil, divulgou nestas segunda-feira (28) um comunicado suspendendo o pagamento de bônus a acionistas.
 
A decisão aconteceu durante reunião extraordinária do Conselho Administrativo da empresa. O grupo divulgou dois informes. O primeiro explicado a decisão da Justiça de bloquear bens da mineradora no valor total de R$ 11 bilhões, e as multas administrativas aplicadas pelo Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama), no valor de R$ 250 milhões, e pelo Estado de Minas Gerais, em R$ 99 milhões.
 
No segundo comunicado, a mineradora determina a suspensão da Política de Remuneração aos Acionistas. Com isso, a Vale não realizará, por hora, o pagamento de dividendos e juros sobre o capital próprio e nem fará deliberações sobre a recompra de ações. A mineradora também suspendeu o pagamento de remuneração variável aos seus executivos. 
 
No sábado (26), a Justiça do Estado de Minas Gerais determinou dois bloqueios seguidos no valor de R$ 5 bilhões cada, atendendo a pedidos do Ministério Público de Minas. Um deles para ser utilizado exclusivamente na reparação de danos às vítimas. O outro, para a reparação de danos ambientais. Pouco antes, o juiz de plantão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, em Belo Horizonte, Renan Chaves Carreira Machado, tinha determinado o bloqueio de R$ 1 bilhão. 
 
Ainda no sábado, o Ibama multou a Vale em cinco infrações, totalizando o valor máximo previsto na aplicação de sanções pelo órgão: R$ 250 milhões. No mesmo dia, a Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável de Minas Gerais (Semad) determinou a suspensão imediata das atividades da Vale na região de Brumadinho e anunciou uma multa de R$ 99 milhões à multinacional. 
 
O Ibama enquadrou a Vale nos seguintes artigos do Decreto 6514/2018: causar poluição que pode resultar em danos à saúde humana; por tornar a área urbana ou rural impróprias para ocupação; causar a poluição de fontes de águas tornando necessária interrupção do abastecimento; emissão de efluentes contaminados que podem levar ao desaparecimento da biodiversidade; e por lançar rejeitos de mineração em recursos hídricos.
 
*Com informações da Agência Brasil
 

1 comentário

  1. Jabuticaba

    Estou de olho na jabuticaba/jogada dos preços das ações Vale/Petrobras.

    O “mercado” simplesmente não permite que as ações da petroleira fiquem acima das da mineradora. É um fenômeno que tenho observado há bastante tempo. 

    Neste momento, em que, obviamente, os papéis da Vale desabam, vejam só! os papéis da Petrobras também caem muito!! 

    Eu queria muito, um dia, poder bater um papinho, de meia hora que fosse, com esse tal Sr. Mercado aqui do Brasil…rs

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome