As mãos dos deuses não vão me deter, por Romério Rômulo

As mãos dos deuses não vão me deter

por Romério Rômulo

1.
Quero morrer da morte mais terrível
Quero morrer da morte mais cruel
As mãos dos deuses não vão me deter.

E vou morrer da morte mais doída
De quantas mortes podem me matar.
2.
Noites cantam meus olhos
De tanto ver-te, de pensar-te sempre
De trazer o escuro pela noite
E escavar no ombro cada rastro.

Que coisa é essa que me faz mortal?

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora