em cada esquina eu vejo uma marília, por romério rômulo

em cada esquina eu vejo uma marília, por romério rômulo

 

para desvirginar o labirinto

há cordas e emoções em cada ouvido.

os músculos retesam todo o corpo

e o metafísico mistério é audível.

 

vestido de hidrogênio incandescente

desço ao inferno, cabedal da lira,

e queimo aquilo conforme demente

de que o corpo a custo se despira.

 

sabidas tripas, estômagos, quezílias

me sobem pela goela como unguento

e em cada esquina eu vejo uma marília.

 

o olho, corpo por si, e mais, espora

que range o peito do cavalo lento

faz necessário seja eu uma metáfora.

 

romério rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Na mão atropelada em que me levas, por Romério Rômulo

1 comentário

  1. ótimo, romério….
    eespiremos

    ótimo, romério….

    eespiremos superficialides

    aspiremos as palavras,essenciais, metáforas…

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome