Mando o poema, com amor/na dentição do Pastor, por Romério Rômulo

Enquanto isso, entrementes / 157 mil / o Pastor pagou nos dentes / com nossa moeda vil.

Mando o poema, com amor/na dentição do Pastor

por Romério Rômulo

 

(nos passos de Gregório de Matos)

 

Pastor que se quer maior

com palavras convincentes

tem que cuidar do suor

tem que tratar bem dos dentes.

 

Enquanto isso, entrementes

157 mil

o Pastor pagou nos dentes

com nossa moeda vil.

 

Arregaço seu covil

lhe mando na tarraqueta

157 mil

é a dentição do Capeta.

 

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  “Angústia”, de Graciliano Ramos, une introspecção e crítica social, por Claudia Costa

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome