Melhor negócio que Judas fazes tu, Joaquim Silvério, por Cecília Meireles

Cecília Meireles, “Romanceiro da Inconfidência”, “OBRA POÉTICA” de Cecília Meireles, PUBLICADA, em volume único, pela Editora Nova Aguilar S/A

Sugestão de Gilberto Cruvinel

Romance XXXIV ou de Joaquim Silvério

Cecília Meireles

 

Melhor negócio que Judas

fazes tu, Joaquim Silvério:

que ele traiu Jesus Cristo,

tu trais um simples Alferes.

Recebeu trinta dinheiros..

– e tu muitas coisas pedes:

pensão para toda a vida,

perdão para quanto deves,

comenda para o pescoço,

honras, glórias, privilégios.

E andas tão bem na cobrança

que quase tudo recebes!

.

Melhor negócio que Judas

fazes tu, Joaquim Silvério!

Pois ele encontra remorso,

coisa que não te acomete.

Ele topa uma figueira,

tu calmamente envelheces,

orgulhoso e impenitente,

com teus sombrios mistérios.

(Pelos caminhos do mundo,

nenhum destino se perde:

Há os grandes sonhos dos homens,

e a surda força dos vermes.)

.

……………………………………………..

Cecília Meireles, “Romanceiro da Inconfidência”, “OBRA POÉTICA” de Cecília Meireles, PUBLICADA, em volume único, pela Editora Nova Aguilar S/A, no Rio de Janeiro, em 1977.

Pintura  “Tiradentes esquartejado (Tiradentes supliciado)” por Pedro Américo, 1893

Leia também:  "Política e ideologia na teoria marxista", de Ernesto Laclau