Milton Hatoum é vencedor do Juca Pato 2018

Foto: Reprodução

Jornal GGN – O Prêmio Intelectual do Ano da União Brasileira de Escritores (UBE) será entregue ao escritor Milton Assi Hatoum, em cerimônia no dia 18 de setembro. O autor do romance ‘A Noite da Espera’, livro responsável pelo prêmio, será homenageado na Biblioteca Mário de Andrade, em São Paulo, à partir das 19h.

“A escolha da UBE recaiu sobre um grande escritor brasileiro, membro da UBE, pelo romance ‘A Noite da Espera’, que é de altíssima qualidade e de leitura obrigatória. Hatoum é um dos maiores escritores de todos os tempos”, comentou Durval de Noronha Goyos Jr, presidente da UBE.

Hatoum lançou “A Noite da Espera”, no ano passado, como o primeiro livro da trilogia “O Lugar Mais Sombrio”. O segundo volume está previsto para lançamento no início de 2019. O autor disse que ainda pretende lançar outro livro de contos e um segundo volume de crônicas.  

“Eu fiquei surpreso por ter sido escolhido! A gente nunca espera e nem escreve para ganhar prêmios. Costumo dizer que o grande prêmio do escritor é o leitor talentoso; um bom leitor. Mas fico honrado, pois é um prêmio que já foi dado a grandes intelectuais brasileiros. Alguns eu tive o prazer de conhecer e conversar, a exemplo de Antonio Candido, e outros grandes que já ganharam o Juca Pato”, comentou Hatoum.

Formado em arquitetura, Hatoum já foi professor – tanto de arquitetura quanto de literatura – e sempre gostou de ler e escrever. Seu primeiro livro foi “Relato de um Certo Oriente” (1989) e, na sequência, vieram “Dois Irmãos” (2000) e “Cinzas do Norte” (2005). Em 2006, seus contos foram reunidos em “A Cidade Ilhada”, de 2006, e  sua novela “Órfãos do Eldorado”, nasceu em 2008; suas crônicas estão em ”Um Solitário à Espreita”, de 2013.

O autor e vencedor desta edição do Juca Pato, ainda disse gostar de todos os gêneros da escrita. “Gosto da literatura, gosto do teatro também. Mas quando penso numa história, e ela não cabe num conto, passo para o romance. Então eu não tenho um gênero preferido, embora considere a poesia como o grande gênero da literatura.” completa.

O Juca Pato

A Premiação criada pela UBE em 1962, é uma homenagem à intelectualidade brasileira. Em referência àquele que, no ano anterior, tenha publicado uma obra de grande impacto e repercussão nacional.

O nome do prêmio é do personagem criado pelo jornalista Lélis Vieira e ilustrado pelo caricaturista Benedito Carneiro Bastos Barreto para o jornal “Folha da Manhã”, que representava o escritor brasileiro.

Entre os 61 escritores já premiados anualmente, estão as autoras Cora Coralina (1983), Rachel de Queirós (1992), Lygia Fagundes Telles (2008) e Renata Pallottini (2017). Além de nomes como Érico Veríssimo, Jorge Amado, JK, Carlos Drummond de Andrade, Antonio Callado e Antonio Candido.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Odonir Oliveira

- 2018-09-12 21:47:17

Salve, querido Milton

Conheci Milton nos primeiros anos de USP, morávamos no mesmo prédio na Vila Clementino. Ele estando na FAU e eu na FFLCH. Convivemos bastante e ele já gostava de escrever. Criou com amigos da FAU uma revista literária chamada POETAÇÃO. Fez um convite a mim, solicitou-me um poema sobre a morte da poesia- estávamos em 1974. Escrevi, e meu poeminha encerrava a revista, na última página dela.

Milton era um moreno de barba e bigode negros, intensos, e muito bonito. Acompanhei sua trajetória por anos, de longe, vendo-o seguir pra França, voltando, escrevendo seu 1º romance e os seguintes, suas colunas em jornal depois e seus personagens ganhando corpo na dramaturgia.

Querido Milton, vale pensar em toda aquela nossa passagem pela R. Botucatu, lê-lo e vê-lo com tamanho reconhecimento. Sua arquitetura tinge sua narrativa.

Parabéns.

Abraço da Odô

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador