Natal, por Adão Ventura

Enviado por Felipe A. P. L. Costa

Natal

Por Adão Ventura

 

Natal é missa do galo à meia-noite,

leitão e farofa de Conceição de Mato Dentro,

cachaça de Peçanha, doce de cidra e rapadura

preta de Santo Antônio do Itambé,

requeijão do Serro,

goiabada de São Gonçalo

do Rio das Pedras,

estórias de seu Teodoro da Fazenda,

vestido de chita de Biribiri,

linguiça de Morro do Pilar,

doce de leite de Sabinópolis,

marmelada de Guanhães,

modinhas de Diamantina

– na herança,

no sangue, na sombra do cerne dos olhos.

 

[Fonte: blog Poesia contra a guerra. Poema – referido como ‘Natal (I)’, pois há ainda um ‘Natal (II)’ – publicado em livro em 1980.]

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora