O mundo é muito cedo/e é de quem arde, por Romério Rômulo

Te peço perdão, moça, se pequei / Pelos teus olhos e neles me rasguei.

Chagall

O mundo é muito cedo/e é de quem arde

por Romério Rômulo

1.
Quando eu ficar aqui
só me namore.
Eu caibo no teu olho
eu já medi.

2.
Te peço perdão, moça, se pequei
Pelos teus olhos e neles me rasguei.

3.
A sul e norte, nos ventos que abatem
Sobre cavalos turbinados de suor
Em cândidas razões que me maltratem
Nos campos amargados do Senhor.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Humanamente forte, humanamente frágil, por Romério Rômulo

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome