o poema, moça bela, é um entulho, por romério rômulo

a8365431f155c159653f92c0d8977f23.jpg

Por romério rômulo

o poema, moça bela, é um entulho

que peço me caber em cada canto

do corpo, essa estrada, meu espanto,

meu quebranto de escuros, meu engulho.

o poema, moça bela, é um reboco,

uma tela que cobre a tarde nua.

cada poema que piso é uma rua

imensidão de mãos, como num soco.
romério rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Construindo inimigos a partir da linguagem, por Sebastião Nunes

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome