poema da ausência, por romério rômulo

poema da ausência

por romério rômulo

 

se eu morresse agora

se eu morresse hoje

quem não me namora

pode derreter.

 

se acaso eu fosse

bêbado e doce

em qualquer esquina

onde vou te ver

 

se a vida fosse 

corajosa e doce

quem não me espera

nem quer me saber

 

pode ser pra sempre

pode ser pra ontem

na rua calada 

onde vou morrer.

 

romério rômulo

 

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Apoie agora