“Quando de noite me der/Vontade de me matar” (MB), por Romério Rômulo

Peço a todos / Que se eu me matar / Me entreguem à beira do rio.

Toulouse-Lautrec

“Quando de noite me der/Vontade de me matar” (MB)

por Romério Rômulo

1.
Eu não tenho Pai
Não tenho Mãe
Não tenho Filho
Não tenho Espírito Santo.

Peço a todos
Que se eu me matar
Me entreguem à beira do rio.
2.
A morte quando chega
É sem riso
E mostra seu xadrez
Já decidido.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  O complexo sistema de vaporização de impessoas, por Sebastião Nunes

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome