Quando tudo chegar e eu me for, por Romério Rômulo

Vou sobretudo dizer / da necessária visão dos meus domínios

Quando tudo chegar e eu me for

por Romério Rômulo

Vou sobretudo dizer
da necessária visão dos meus domínios
das minhas terras abertas ao fracasso
dos meus cavalos rasgados
de um Beethoven que altera meu caminho.

E quando tudo chegar e eu me for
te deixo só de herança o poema.

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  A moça do Freud, 2 - por Romério Rômulo

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome