Saí de Portugal em rumo e naveguei, por Romério Rômulo

Peço perdão por tantos dissabores / Os mares sempre lavam meus amores.

Banksy

Saí de Portugal em rumo e naveguei

por Romério Rômulo

 

1.

Te peço perdão, moça, se passei

No teu olhar e nele não fiquei.

Peço perdão por tantos dissabores

Os mares sempre lavam meus amores.

2.

Saí de Portugal em rumo e naveguei

Em águas e missões e olhos que plantei.

Cheguei aqui em fogo, um turbilhão de horrores

Em terras decidido a recolher amores.

3.

De certo por aqui eu deixo ao teu espanto

O meu olhar calado, a minha mão de santo.

 

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Modesta proposta para melhor aproveitamento dos filhos das pessoas pobres, por Sebastião Nunes

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome