Soneto torto para Maradona, por Romério Rômulo

que homem se repete só no espanto?

Soneto torto para Maradona

por Romério Rômulo

a sede que invade meu espanto
meu fel e meu extrato de agonia
se encontra toda no tropel do manto
que me socorre em plena luz do dia

soubesse dessas luzes no encanto
dos ancestrais da minha agonia
o meu estado de noite em que levanto
seria só o espanto pelo dia

sou mais devasso ao me perder portanto
nessas estradas de cavalaria
que outro homem feito de quebranto?

que homem se repete só no espanto?
só Maradona em estado de poesia
veria meu suor por todo canto.

e eu me arregaço pela luz do dia.

romério rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Trago meu cavalo doido, por Romério Rômulo

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome