teus olhos que me latem/eu como todos, por Romério Rômulo

As flores que me aspergem / são meus lodos

Pablo Picasso

teus olhos que me latem/eu como todos

por Romério Rômulo

 

As terras que me travam

são perjúrios

Os rios que me lavam

são engodos

As flores que me aspergem

são meus lodos

Teus dedos que me regem

são meus muros

 

Teus olhos que me latem

eu como todos

As pedras que me abatem

são teus rodos.

 

Romério Rômulo

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor

Assine e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Assine agora

Leia também:  Que moça é essa, que moça?, 2. Por Romério Rômulo

1 comentário

Deixe uma mensagem

Por favor digite seu comentário
Por favor digite seu nome