GGN continua aguardando as respostas de Deltan

Pergunto: quais as doações intermediadas por Deltan para o Mude, valor e doadores, e qual a razão para Patrícia Coelho ter sido poupada pela Lava Jato?

Há 7 dias, o Jornal GGN encaminhou um conjunto de questões para o ex-procurador Deltan Dallagnol, após sua assessoria ter entrado em contato para publicar resposta dele às reportagens sobre o crescimento patrimonial da sua família.

Entendendo que Deltan mudou sua maneira, dispondo-se a prestar contas de sua vida financeira à opinião pública, encaminhamos as seguintes questões, até agora sem resposta.

Pedido de informações

Aqui, as questões encaminhadas à sua assessoria:

Sobre os negócios mencionados

1. No mesmo espaço de tempo, ocorreram os seguintes eventos:

* pedido de demissão do Ministério Público Federal, abrindo mão do salário recebido;

* abertura de várias empresas em nome de familiares de Deltan;

* abertura de empresa e compra de escritório em nome da esposa de Deltan;

* compra de um apartamento em nome da esposa de Deltan.

A que Deltan atribuiu essa coincidência de eventos?

2. Qual a razão da compra do segundo apartamento, no mesmo prédio em que adquiriu o primeiro, tenha sido em nome da esposa, e não do casal? Teria sido para fugir da proibição de procuradores, juízes e funcionários do sistema de justiça de participar de leilões judiciais em suas áreas de atuação?

3. Apartamentos em lugar mais alto são mais caros. Deltan diz que colocou à venda seu apartamento por R$ 2,7 milhões. E adquiriu outro, em andar mais alto, avaliado em R$ 2,6 milhões no leilão. A que atribui a diferença de preços, apenas ao estado de conservação? 

4. Segundo informações públicas, o INCRA está acionando Agenor Dallagnol, pai de Deltan, pelo recebimento de indenização fraudulenta. A abertura de várias empresas em nome da filha poderia, eventualmente, ser invocada como desvio de patrimônio. Qual a razão para Deltan ter permitido que a própria filha, de 3 anos, figurasse como sócia de uma das lojas?

4. Poderia apresentar evidências de que o primeiro apartamento foi, de fato, colocado à venda, e quais as propostas que recebeu?

Sobre o patrimônio de Deltan

Tendo em vista que qualquer patrimônio ou negócio foi aberto ainda em seu período de procurador da República – portanto, sujeito às normas de transparência do funcionário púbico -, indago:

1. Quais as fontes de renda de que dispõe, para permitir abrir mão dos rendimentos como procurador da República?

2. Dinheiro das palestras.

Em entrevista à Gazeta do Povo, de Curitiba, Deltan afirmou o seguinte:

“ Segundo ele, trata-se de “uma atividade legal e legítima, positiva para a sociedade”, para promover o debate e a consciência cívica. O procurador diz que parte das palestras são gratuitas e, das remuneradas, mais da metade do dinheiro recebido foi doado para a caridade. “O que faço [nas palestras] é algo convergente com minha atividade diária como procurador da República, algo que busca os mesmos valores.”

Pergunto: quanto Deltan recebeu pelas palestras, quanto doou e quais as instituições que receberam os recursos?

3. Dinheiro para o Instituto Mude

“Em parceria com a Agência Pública, o Intercept divulga matéria mostrando que Dallagnol também atuou diretamente para levar grandes empresários a financiarem o Mude, um deles a empresária Patricia Tendrick Pires Coelho, dona da Asgaard Navegação S.A., que fornece navios para a Petrobras”.

Segundo a reportagem:

O nome de Patrícia Coelho surge nos diálogos trocados entre integrantes do Mude e Dallagnol como “investidora anjo” no dia 29 de julho de 2016. Nas mensagens, o procurador diz que conheceu a empresária em uma viagem, sem dizer para onde estava indo.

“Caramba. Essa viagem de ontem foi de Deus. Além dela, estava um deputado federal que se comprometeu a apoiar rs”, escreveu.

Pergunto: quais as doações intermediadas por Deltan para o Mude, valor e doadores, e qual a razão para Patrícia Coelho ter sido poupada pela Lava Jato?

Agradecemos antecipadamente as respostas – que, temos certeza de que serão fornecidas – e nos colocamos à disposição para seus esclarecimentos.

1 Comentário

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

JOSE ERB UBARANA

- 2021-12-17 13:02:27

Enriquecimento ilícito

Você pode fazer o Jornal GGN ser cada vez melhor.

Apoie e faça parte desta caminhada para que ele se torne um veículo cada vez mais respeitado e forte.

Seja um apoiador